A interação dos pais pode impactar no desenvolvimento da linguagem

Os primeiros anos de vida são um período crítico para o desenvolvimento do cérebro. Neste momento, o cérebro é mais maleável, o que representa um momento de grande oportunidade e vulnerabilidade para um bebê. As interações sociais durante esse período são essenciais para o desenvolvimento de sua linguagem, por isso é importante que os pais compreendam o papel vital que desempenham no sucesso da aprendizagem de seus filhos.

Os bebês começam a aprender sobre a linguagem mesmo antes de começarem a falar. Quando eles choram ou balbuciam e recebem uma resposta carinhosa de um adulto em retorno, eles estão formando e fortalecendo as conexões neurais relacionadas à comunicação e às habilidades sociais. Essas interações são conhecidas como “jogo de ação e reação”, e são essenciais para o desenvolvimento. As relações interativas entre pais e filhos não são apenas esperadas, mas também essenciais para evitar atrasos no desenvolvimento ou um impacto negativo no bem-estar futuro. A qualidade do ambiente do bebê e a disponibilidade de experiências enriquecedoras no início da vida serão fundamentais para determinar a força de sua arquitetura cerebral futura.

Anne Fernald, diretora do Centro de Estudos Infantis da Universidade de Stanford, é uma das principais pesquisadoras sobre esse assunto. Os estudos que ela conduziu mostraram que, embora as habilidades verbais sejam influenciadas por fatores genéticos em alguma medida, as primeiras experiências da infância são tão ou mais importantes. Em um de seus estudos sobre o desenvolvimento da linguagem, ela descobriu que crianças de cinco anos que não recebiam a estimulação adequada da linguagem ficaram mais de dois anos atrás de seus colegas mais estimulados em testes de desenvolvimento de linguagem padronizados quando entraram na escola. Fernald identificou três fatores principais que os pais devem levar em consideração para evitar esse atraso: o acesso do bebê à fala dirigida, o aumento da quantidade e da qualidade das palavras (ricas e variadas) e os gestos dos pais.

É importante que os pais se lembrem de que as conversas ouvidas não irão ajudar no desenvolvimento da linguagem do bebê: eles precisam falar diretamente com o bebê,  fazendo contato visual, para permitir o aprendizado do vocabulário. Além disso, de acordo com a Academia Americana de Pediatria, as crianças menores de 2 anos devem evitar a visualização de telas (celulares, tablets, televisão, etc.), pois isso pode ter efeitos negativos duradouros no desenvolvimento da linguagem, nas habilidades de leitura, na memória de curto prazo e no sono. Infelizmente, isso significa que você provavelmente não deve deixar seu filho assistir a um episódio de Dora Aventureira ou de Bob, o Construtor com muita frequência. Mesmo os vídeos que afirmam ensinar novas palavras ao seu bebê podem, na verdade, prejudicar o seu desenvolvimento. Se você quiser estimular o desenvolvimento da linguagem do seu bebê, ele precisará de interações frequentes face a face.

Como mostrado acima, a melhor maneira de impulsionar o desenvolvimento da linguagem é concentrar-se nas interações verbais entre os pais e o bebê. Os pais devem tentar conversar com seus bebês sempre que possível – quanto antes você começar, melhor será! Eles devem tentar encaixar as conversas nas atividades diárias (qualquer que seja a atividade, ela pode ser explicada em voz alta para o bebê!). O aumento na interação verbal dos pais aumenta a possibilidade de ampliação do vocabulário de seus filhos, melhora o desenvolvimento da linguagem e estimula futuras habilidades de leitura.

Se você deseja começar a ter interações verbais, aqui está uma de nossas atividades para lhe ajudar nisso!

Atividade “Isso se chama”

Os primeiros anos: desenvolvimento visual

O desenvolvimento visual é um subdomínio da área física!

Seu bebê nasceu com uma visão 20/400, o que seria equivalente a ser cego – mas não se preocupe, a visão do seu bebê irá melhorar gradualmente. Sua visão será, na verdade, uma das suas principais ferramentas de aprendizagem ao processar todos os tipos de informações do mundo ao seu redor. Problemas na visão podem causar atrasos no desenvolvimento, por isso, certifique-se de que o seu médico acompanhe o progresso do seu bebê em toda consulta.

Embora nos primeiros dias após o nascimento ele não tenha muita visão periférica, sua visão limitada de recém-nascido serve, na verdade, para protegê-lo de estímulos excessivos. Em um mês, ele só será capaz de se concentrar em objetos a menos de 30 cm de distância, o que seria a distância até o rosto da pessoa que está segurando-o. Faça várias interações face a face e observe ele sorrindo toda vez que vislumbrar seus olhos! Também é normal que os olhos do seu bebê fiquem cruzados nos primeiros dois meses, mas os movimentos oculares devem ser coordenados no terceiro mês.

Outras habilidades visuais serão aprendidas nos próximos meses. A percepção de profundidade será desenvolvida por volta do quarto mês – o que é parte do motivo pelo qual é complicado para o seu bebê coordenar a preensão de um objeto ou brinquedo antes disso. Ele logo começará a melhorar sua capacidade de seguir objetos em movimento e a concentrar sua visão em coisas que estão mais distantes. Como outras habilidades, a visão é aperfeiçoada ao longo do tempo – e certas coisas podem ajudá-lo a se desenvolver normalmente. Embora seu bebê aprecie padrões de preto e branco com alto contraste nos primeiros meses, você não precisa ficar limitada à exposição a esses tons. Ao contrário da crença popular, os bebês com mais de duas semanas de idade podem realmente perceber a cor – mesmo que sua visão de cores não seja tão boa quanto a sua ainda! Ainda assim, os padrões em preto e branco serão hipnotizantes para o seu bebê – então não se surpreenda se você encontrá-lo olhando para um tabuleiro de xadrez!

No Kinedu, você vai encontrar muitas atividades para estimular a visão do seu bebê. Aqui está uma para você dar uma olhada:

 

Os primeiros anos: desenvolvimento auditivo

Este artigo discute o desenvolvimento do sentido auditivo do seu bebê: um subdomínio da área física!

Seu bebê nasceu com um excelente senso auditivo – quase tão bom quanto o de um adulto. Ele realmente tem escutado suas conversas desde a 20ª semana no útero! A partir do momento em que seu bebê nasce, ele não só pode ouvir sua voz claramente, mas também pode diferenciar entre os vários tons que você usa, mesmo que ele ainda não consiga entender o que você está falando. Ter ouvido você falar por todo esse tempo valeu a pena!

A audição será importante no desenvolvimento das habilidades linguísticas, sociais e cognitivas, por isso, é recomendável examinar seu bebê antes de sair do hospital. Se você não tiver essa chance, confira o reflexo de Moro (assustando-o com um barulho alto ou inesperado) antes de ele completar dois meses, quando o reflexo desaparecerá.

Uma das primeiras habilidades auditivas desenvolvidas pelo seu bebê será a de localização – ou a capacidade de identificar a origem de um som. Durante seu primeiro ano de vida, as habilidades relacionadas com a audição serão aperfeiçoadas. Você será capaz de notar isso ao perceber que a atenção do seu bebê se alterna entre o toque do telefone, o barulho de panelas, uma porta batendo ou apenas alguém falando.

Você pode trabalhar a audição do seu bebê tocando música para ele, lendo e conversando com ele no dia a dia. Tente, de forma gradual, estimular a fala do seu bebê, dando mais oportunidades para ele balbuciar e, futuramente, falar suas primeiras palavras. Entre um e dois anos, seu vocabulário será ampliado em um ritmo incrível, triplicando a cada seis meses. E, quando ele começar a ir à escola, seu filho entenderá quase tudo que for dito!

Toda criança possui um ritmo próprio de desenvolvimento. No entanto, existem coisas que você pode fazer para ajudar no desenvolvimento dele. Aqui está uma atividade do Kinedu para melhorar a audição!

 

Os primeiros anos: desenvolvimento motor

O desenvolvimento motor é um subdomínio da área física.

A coordenação motora, como todas as outras habilidades, é desenvolvida ao longo do tempo, e sua prática é fundamental.

Para desenvolver a coordenação motora, seu bebê precisa de oportunidades para fortalecer seus músculos e coordenar suas ações. Em seus primeiros meses, ele precisará ficar de bruços por tempo suficiente para fortalecer os músculos da parte superior do corpo. Quando deitado de barriga para cima, seu bebê poderá começar a levantar a cabeça momentaneamente e virá-la de um lado para o outro. Teste seu reflexo de preensão – você pode colocar seu dedo na mão dele, e ele irá enrolar os dedos automaticamente ao redor dela!

Observe como a cabeça do seu bebê começa a ficar ereta quando você o segura sentado. Em pouco tempo, ele será capaz de se sentar sozinho e, no quarto mês, ganhará mais e mais controle sobre sua cabeça. Ficar sentado também ajudará na prática do equilíbrio e da coordenação, o que será útil quando ele estiver pronto para andar! Para prepará-lo ainda mais para este grande passo, tente segurá-lo em pé – assim, ele irá começar a conseguir suportar algum peso nas pernas.

A partir do quinto mês, seu bebê poderá começar a rolar e virar de barriga para baixo, mesmo que ele não consiga voltar à posição com a barriga para cima. Começar a engatinhar é outro marco interessante, e ótimo para que seu bebê explore seu ambiente e melhore sua percepção espacial. No entanto, essa nova forma de se mover significa que, se a sua casa ainda não foi adaptada para a segurança do seu bebê, a hora é agora. Sua mobilidade irá melhorar cada vez mais ao longo do tempo e, em apenas alguns meses, ele conseguirá começar a se apoiar em alguns móveis ou outros objetos para, finalmente, dar o primeiro passo. Tente ao máximo registrar esta ocasião – com certeza será um momento marcante!

Lembre-se de que todo bebê se desenvolve de forma diferente. Estas são apenas diretrizes para o desenvolvimento, e não são definitivas. O único bebê com quem você deve compará-lo é ele mesmo! Porém, atividades como pegar e jogar, nadar ou escalar proporcionarão mais oportunidades para melhorar a coordenação olho-mão e a coordenação motora do seu filho! No Kinedu você irá encontrar várias ideias. Confira este vídeo com um exemplo:

 

Os primeiros anos: desenvolvimento socioafetivo

Nós somos seres sociais e, por isso, os bebês, desde o nascimento, adoram abraços, carinhos, sorrisos e conversas. Como os bebês são completamente dependentes durante a infância para garantir a sobrevivência, o desejo deles de criar laços afetivos com os adultos não é nenhuma surpresa. No entanto, para prosperar, e não somente sobreviver, um bebê precisa de mais do que apenas comida e abrigo. Ele precisa do amor e da atenção da mãe, do pai ou de seu cuidador. O que é surpreendente, no entanto, é que um bebê precisa de um tipo específico de envolvimento – um relacionamento de ação e reação.

Os jogos de ação e reação com os cuidadores são necessários para que o cérebro de um bebê se conecte adequadamente e estabeleça a arquitetura correta para o aprendizado futuro. Eles seguem o padrão em que um bebê age – como balbuciar, realizar expressões faciais ou gestos -, e os adultos reagem ao estímulo com uma resposta significativa – digamos, outro gesto, ou dizendo algo de volta. Essas interações simples permitem que as conexões corretas ocorram no cérebro do bebê, e criem um ambiente seguro e estimulante para que ele desenvolva a área socioafetiva.

O desenvolvimento socioafetivo poderá representar os momentos mais emocionantes que você provavelmente irá presenciar durante o crescimento do seu filho. O contato visual do seu bebê, sua resposta ao seu sorriso e, mais tarde, seu próprio sorriso – tudo isso faz parte do seu desenvolvimento e demonstra o crescimento da relação entre vocês. Aos nove meses, seu bebê ficará bravo quando você sair do ambiente, mesmo que por um segundo. Porém, seu sistema nervoso está amadurecendo e, eventualmente, ele será capaz de lidar com os momentos estressantes que ocorrem ao longo do dia e se divertir por mais tempo.

Embora seja importante, a formação de uma arquitetura cerebral sólida para aprendizados futuros é apenas uma parte do desenvolvimento. O jogo de ação e reação ajudará a desenvolver um apego seguro entre a criança e seu cuidador, o que tem muitas implicações para sua inteligência socioafetiva. A longo prazo, o grau em que o seu filho consegue administrar seus sentimentos, entender as emoções dos outros e interagir com os colegas será incrivelmente importante para formar relacionamentos de sucesso e manter seu bem-estar emocional. Em outras palavras, as crianças precisam desenvolver a área socioafetiva para prestar atenção na aula e se dar bem com seus colegas de classe da mesma forma que eles precisam aprender matemática e ciências. As relações humanas geralmente são mais importantes do que as notas, mas, se você está preocupada com isso também, há um estudo bastante sólido que demonstra que um apego seguro na infância exerce um efeito positivo sobre o QI no futuro.

No Kinedu você vai encontrar várias ideias de atividades para impulsionar o desenvolvimento socioafetivo do seu filho. Aqui está uma das nossas atividades mais populares. Deixe abaixo o seu comentário se fizer a atividade com o seu bebê!

 

Os primeiros anos: desenvolvimento linguístico

A linguagem do seu bebê está se desenvolvendo antes mesmo de ele pronunciar sua primeira palavra. Ele está sintonizando o mundo exterior desde o útero – ouvindo sua voz e as mudanças de tom. Ele continuará fazendo isso durante os primeiros meses – descobrindo as regras da linguagem e observando como os adultos ao seu redor a utilizam para se comunicar.

Suas primeiras tentativas de linguagem não serão mais do que gritos e balbucios que se transformarão em combinações de vogais e consoantes no terceiro ou quarto mês. Você aprenderá que a linguagem é mais do que palavras – sorrisos e diferentes choros irão demonstrar o prazer ou o desprazer. Aguarde pelo grande avanço: sua primeira palavra pode surgir aos seis meses! No entanto, a associação entre “ma-ma” e “pa-pa” e você pode não estar presente ainda. Você terá que esperar mais seis meses por isso! Porém, seu bebê provavelmente entende muito mais do que ele consegue dizer.

Existem várias coisas importantes que você pode fazer para ajudar no desenvolvimento da linguagem do seu filho – e não se preocupe, não é nada muito complicado! Por exemplo, uma das coisas mais importantes a fazer é conversar com ele e perto dele. Não precisa falar ininterruptamente, apenas converse com o seu bebê para expô-lo ao vocabulário e desenvolver a atenção que ele precisa para o desenvolvimento de suas habilidades linguísticas. Falar em um tom melódico e agudo, como muitos adultos fazem para conversar com bebês, é especialmente útil para ajudar no aprendizado, então não tenha receio de fazer isso. Outra coisa que você pode fazer é ler para o seu bebê. Alguns minutos por dia são suficientes para ensiná-lo sobre a estrutura das frases e os tons, e para mantê-lo entretido! Ele estará aprendendo novas palavras a um ritmo incrível, então os livros também são boas maneiras de melhorar o vocabulário. Ouvir e dar feedback positivo é a última – e talvez a mais difícil – dessas três coisas que você pode fazer para ajudar o desenvolvimento do seu filho. Ser receptivo ao seu balbucio – mesmo que pareça um absurdo – irá incentivá-lo a continuar praticando. O mesmo se aplica quando ele começar a usar suas primeiras palavras e elaborar frases curtas!

Uma coisa importante a considerar é que os bebês só usufruem dos benefícios quando uma pessoa de verdade está falando com eles. A TV ou o rádio não têm o mesmo impacto positivo nas habilidades linguísticas e no QI que a fala, a leitura e a escuta.

Lembre-se: toda criança tem seu próprio ritmo para começar a falar. No entanto, existem coisas que você pode fazer para ajudar. O Kinedu possui dezenas de atividades para estimular a área linguística do seu bebê – não deixe de conferir! Aqui está uma das nossas favoritas:

 

Desenvolvimento cognitivo infantil: como são os primeiros anos?

Desde os primeiros meses de vida, seu bebê terá uma curiosidade insaciável e estará à procura de novas conquistas. Ele demonstrará uma melhora crescente e contínua da capacidade de processar as informações, lembrar e conceituar — tudo isso faz parte do rápido desenvolvimento cognitivo infantil que ocorre no cérebro.

A cognição é o grupo de processos mentais que inclui pensamento abstrato, resolução de problemas, memória e atenção, auxiliando a criança a compreender melhor o mundo a sua volta. Afinal, estamos falando de pequenos cientistas que experimentam, de forma proativa, aquilo que está a seu redor para descobrir como tudo funciona.

Entender como as crianças absorvem aprendizados e desenvolvem o raciocínio é fundamental para propor atividades que sejam estimulantes, assim como para identificar sinais de quando algo não vai bem. Pensando nisso, preparamos este post para apresentar as etapas do desenvolvimento cognitivo de acordo com a idade e mostrar como os pais devem agir em cada fase. Vamos lá?

Continue lendo