As sonecas ajudam a melhorar a memória e a aprendizagem dos bebês

“Essas descobertas são particularmente interessantes tanto para os pais quanto para os educadores, pois sugerem que o melhor momento para os bebês aprenderem novas informações é justamente antes de dormirem.”, diz Jane Herbert do departamento de psicologia da Universidade de Sheffield.

Todos nós sabemos que o sono é uma parte importante de nossas vidas – afinal, passamos cerca de 1/3 da nossa vida dormindo. Quando está bem descansado, você se sente mais feliz, mais alerta e cheio de energia. Em outras palavras, o sono é necessário para que o cérebro e o corpo se reparem e se desenvolvam adequadamente, e isso é especialmente verdadeiro durante os primeiros anos de vida. Os períodos de sono de qualidade são tão importantes para o bebê quanto os alimentos que você fornece a ele!

Como mãe ou pai, você pode ter presenciado os efeitos de uma soneca perdida ou de um atraso na hora de dormir do seu bebê – não é uma experiência agradável. A falta de sono não afeta apenas o humor dele, mas também sua atenção e sua concentração – o que acaba afetando seu aprendizado e seu crescimento. Quando seu bebê está acordado, todo som e movimento é uma nova experiência que demanda a energia dele para ser processada.

Sabemos que os bebês dedicam a maior parte do tempo a dormir, certo? Mas você já se perguntou quanto do que você e seu bebê fazem juntos durante o dia, especialmente os momentos de aprendizado, ele será capaz de lembrar? Existe um momento ideal durante o dia em que você deveria ensiná-lo novas habilidades que permanecerão por um longo período?

Pesquisadores da Universidade de Sheffield e da Universidade Ruhr de Bochum, na Alemanha, tinham essas mesmas perguntas. Eles queriam descobrir o melhor momento para os bebês aprenderem um novo comportamento. Eles questionaram especialmente se uma soneca durante o dia, logo após o aprendizado, ajudava a memória dos bebês. Seu estudo se concentrou em 216 bebês de seis a doze meses de idade – que foram testados em sua capacidade de lembrar as habilidades recém-aprendidas.

Os pesquisadores compararam bebês que não cochilaram depois de aprender com bebês da mesma idade que cochilaram por pelo menos 30 minutos em até 4 horas após aprenderem as ações. Os resultados foram muito interessantes – apenas os bebês que cochilaram depois de aprenderem uma atividade lembraram-se das ações direcionadas, enquanto os que não dormiam não mostraram evidências de recordar as novas informações. Eles descobriram que o melhor momento para os bebês aprenderem é quando estão começando a se sentir cansados. Mas a história não termina aí – após 24 horas, os bebês do grupo que cochilou continuaram mostrando uma memória significativamente melhor em comparação com os bebês do grupo sem o cochilo!

Uma importante lição sobre este estudo são as grandes oportunidades de aprendizado que os pais podem proporcionar com as atividades no momento em que seu bebê vai dormir ou cochilar. Ele mostra como atividades como ler livros para o seu filho antes que ele durma são extremamente valiosas!

Se você está se perguntando quantas horas de sono seu bebê deveria ter, aqui está uma tabela que pode ajudá-lo!

Fontes: WebMD, BabyCenter, Parents.com.

É importante notar que os pesquisadores descobriram que as sonecas com menos de 30 minutos não dão aos bebês tempo suficiente para manter seus conhecimentos a longo prazo – tenha isso em mente ao definir a programação e os horários do seu bebê!

Os cochilos ajudam a melhorar a memória e a aprendizagem dos bebês

Nós todos sabemos que o sono é uma parte importante de nossas vidas – tanto que, na verdade, nós passamos cerca de 1/3 de nossas vidas dormindo. Quando está bem descansado, você se sente mais feliz, alerta e enérgico. Em outras palavras, o sono é necessário para que o cérebro e o corpo se reparem e se desenvolvam adequadamente, e isso é especialmente verdadeiro durante os primeiros anos de vida. Períodos de sono de qualidade são tão importantes para o seu bebê quanto os alimentos que você dá para ele!

Como mãe ou pai, você pode ter testemunhado em primeira mão os efeitos de uma soneca perdida ou de um atraso na hora de dormir: não é uma experiência agradável. A falta de sono não afeta apenas o humor, mas também a atenção e a concentração do seu bebê – o que acaba afetando também o aprendizado e o crescimento. Quando seu bebê está acordado, cada som e cada movimento é uma nova experiência que requer a energia dele para ser processada.

Sabemos que os bebês dedicam a maior parte do tempo a dormir, certo? Mas você já se perguntou quanto do que você e seu bebê fazem juntos, especialmente os momentos de aprendizagem, ele será capaz de lembrar? Existe um momento ideal durante o dia em que você deveria lhe ensinar novas habilidades que permanecerão a longo prazo?

Pesquisadores da Universidade de Sheffield e da Ruhr University Bochum, na Alemanha, tinham essas mesmas perguntas. Eles queriam descobrir o melhor momento para um bebê aprender um novo comportamento. Questionaram, especialmente, se uma soneca durante o dia, logo após o aprendizado, ajudava os bebês a se lembrarem mais das coisas posteriormente. O estudo se concentrou em 216 bebês de 6 a 12 meses de idade, que foram testados em sua capacidade de lembrar as habilidades recém-aprendidas.

Os pesquisadores compararam bebês que não cochilaram depois de aprender algo a bebês da mesma idade que cochilaram por pelo menos 30 minutos em até 4 horas após aprenderem as ações. Os resultados foram muito interessantes: apenas os bebês que cochilaram depois de aprenderem uma atividade se lembraram das ações direcionadas, enquanto os que não dormiram não mostraram evidências de recordar as novas informações. Eles descobriram que o melhor momento para os bebês aprenderem é quando estão começando a se sentir cansados. Mas a história não termina aí. Após 24 horas, os bebês do grupo que cochilou continuaram demonstrando uma memória significativamente melhor em comparação com os bebês do grupo sem cochilo!

Uma importante lição sobre esse estudo são as grandes oportunidades de aprendizado que os pais podem ter com as atividades no momento em que seu bebê vai dormir ou cochilar. Esse estudo mostra que atividades como ler livros para o seu filho antes de dormir são extremamente valiosas!

Se você está se perguntando quantas horas de sono seu bebê deveria ter por dia, aqui está um gráfico que pode ajudá-la!

Fontes: WebMD, BabyCenter, parents.com

É importante notar que os pesquisadores descobriram que os cochilos com menos de 30 minutos não dão aos bebês tempo suficiente para armazenar seus conhecimentos a longo prazo. Então, tenha isso em mente ao definir a programação de cochilos do seu bebê!

Meu bebê está pronto para o desfralde?

Geralmente os pais iniciam o desfralde em torno dos dois anos de idade, mas não se surpreenda se sua família a pressionar para começar mais cedo. Anos atrás, as famílias começavam o desfralde mais cedo, pois as fraldas tinham que ser lavadas à mão, e até mesmo fervidas!

Antes de iniciar o processo, o mais importante é saber se o seu bebê está pronto. Especialistas dizem que, para uma criança ter sucesso em aprender a usar o banheiro, ela precisa sentir a necessidade de fazer xixi ou cocô, ser capaz de entender o que essa sensação significa e ser capaz de comunicar verbalmente que precisa de ajuda para ir ao banheiro. Algumas crianças começam a mostrar esses sinais aos 24 meses, mas outras não demonstram o menor interesse até os três anos de idade ou mais.

A melhor maneira de determinar se seu bebê está pronto para começar o desfralde é observar seu comportamento em geral e suas respostas a qualquer sugestão sobre o uso do banheiro. Aqui estão algumas questões para você se perguntar para saber se o seu filho está pronto:

  • Ele entende e segue instruções e solicitações simples?
  • Ele é capaz de puxar as calças para baixo e para cima?
  • Ele fica “seco” por pelo menos três ou quatro horas?
  • Ele consegue se sentar e permanecer na mesma posição por 2 a 5 minutos?
  • Ele consegue andar e se sentar sozinho?
  • Ele demonstra aversão a ficar com a fralda suja?
  • Ele gosta de ser independente?
  • Ele se orgulha de suas realizações?
  • Ele consegue perceber quando precisa ir ao banheiro (dicas físicas) e avisá-la antes de fazer alguma coisa?
  • Ele imita adultos ou seus irmãos quando eles vão ao banheiro?

Se você respondeu SIM à maioria das perguntas, então é muito provável que seu filho esteja pronto para iniciar o desfralde! Mas se ele ainda não preenche alguns dos requisitos, tente não pressioná-lo. Pressioná-lo quando ele ainda não estiver pronto pode ser contraproducente e frustrante para você e para ele. Lembre-se de que toda criança é diferente e tem seu próprio tempo. Por exemplo, as meninas tendem a ficar prontas alguns meses antes dos meninos.

Antes de iniciar o desfralde, é importante que você avalie outros fatores além do desenvolvimento físico do seu filho. Situações familiares complexas podem dificultar o processo. Se, neste momento, sua família está passando por uma grande mudança, como a perda de um ente querido, a mudança de casa ou de escola, adie o processo até que a situação se estabilize.

Por fim, antes de começar o desfralde de seu filho, faça uma pausa e pense se VOCÊ está pronta para isso. Não faz sentido começar se você não tiver tempo suficiente ou não estiver fisicamente preparada para essa grande tarefa. Lembre-se de que o desfralde requer muito treinamento e reforço diário. Então, se você acha que não está pronta, é melhor esperar algumas semanas ou meses até que as coisas estejam equilibradas.

Como desenvolver o gosto pela leitura no seu filho

Um número crescente de estudos mostra que promover a leitura pode ter um grande impacto sobre as crianças e seu futuro. Há muitos benefícios para ler por prazer: as habilidades linguísticas, o vocabulário e o conhecimento geral aumentam, assim como a autoconfiança. Há muitas coisas que os pais podem fazer para promover a leitura e criar um leitor feliz! É bem simples, na verdade. Tudo começa com vocês, os pais – pesquisas mostram que ler livros para o seu filho é a coisa mais importante que vocês podem fazer para prepará-lo para ler e aprender.

Mas por que limitar-se a simplesmente ler palavras de uma página? Por que não dar um ou alguns passos a mais? Aqui estão algumas dicas simples e truques que certamente irão ajudá-la a criar um leitor!

  • Anime-se! – Certifique-se de que seu filho sinta sua emoção na hora da leitura, para que ele também fique animado!
  • Improvise – Deixe a atriz em você brilhar! Use diferentes sotaques e vozes para os personagens e adicione um pouco de drama com gestos, efeitos sonoros e expressões faciais.
  • Aponte – Aponte para imagens e fale sobre elas!
  • Interaja – De vez em quando, faça uma pausa e faça perguntas ao seu filho sobre a história, os sentimentos dos personagens, possíveis finais alternativos, etc.
  • Diversifique – A hora da leitura não se limita a histórias para dormir! Você pode ler durante as refeições ou o banho, por exemplo!
  • Brinque com as palavras – Escolha livros que tenham rimas e músicas – os bebês amam! – e veja o quanto o seu filho se diverte e aprende com isso!
  • Crie um hábito – Comece a ler em voz alta desde muito cedo e incorpore esse hábito à sua rotina diária!
  • Tenha livros em todos os lugares – Certifique-se de que você tenha uma variedade de livros para ler, e que eles sejam uma parte natural do ambiente do seu filho.
  • Personalize a experiência – Pesquisas mostram que crianças que têm seus próprios livros gostam de ler mais e fazem isso com mais frequência.
  • Faça passeios – Incorpore passeios à biblioteca local à sua rotina ou participe de um clube de leitura para crianças.
  • Mostre o amor pela leitura – É importante para o seu filho ver que seus pais também gostam de ler. Afinal, vocês são seus primeiros e mais importantes professores.

Como você pode ver, há tantas coisas que você pode fazer para promover o desenvolvimento da alfabetização, e elas são tão simples! Não há palavras que descrevam o tamanho da importância de adicionar a leitura à sua rotina diária! Há muitos benefícios: o desenvolvimento da linguagem, do cérebro e dos laços afetivos são apenas alguns deles! Leitura e livros devem fazer parte do seu cotidiano. Que tal apresentar ao seu filho um dos livros que marcaram sua infância esta semana? Ele gostará de conhecer suas sugestões e, quem sabe, talvez ele também goste dos mesmos livros!

A importância dos gestos no desenvolvimento da linguagem

As pessoas do mundo todo, de diferentes origens e culturas, utilizam gestos quando estão falando. Os movimentos das mãos são tão naturais e predominantes entre as culturas, que pesquisadores de diferentes áreas, como a linguística e a neurociência, estudaram os gestos para buscar compreender o desenvolvimento da linguagem.

Pode parecer engraçado pensar que os gestos são importantes para o desenvolvimento da linguagem, mas imagine essa cena por um segundo: tente explicar ao seu filho como amarrar o cadarço, ou o tamanho de um prédio em comparação a outro sem fazer gestos com as mãos. Seria bem difícil, não seria? É uma ação tão simples, mas tão difícil de explicar sem usar as mãos! Gestos com as mãos são parte da maneira como nos comunicamos, especialmente com as crianças. Elas usam as mãos para se comunicar com os outros muito cedo. Elas apontam para as coisas que desejam. Elas sabem o que querem dizer, mas ainda não conseguem fazer isso com palavras!

As pesquisadoras Meredith Rowe e Susan Goldin-Meadow são duas das principais especialistas nos temas de gestos manuais e desenvolvimento da linguagem infantil. Elas examinaram por que algumas crianças pareciam entender a linguagem mais cedo do que outras. Em seu estudo, elas descobriram que crianças que gesticulavam mais, em média, obtiveram 26% mais em testes de linguagem do que outras crianças! Ao aprender a fazer gestos, as crianças aprendem novas palavras mais rapidamente, porque incentivam os pais a nomear os objetos para os quais estão apontando – reforçando, assim, o uso da palavra. Por exemplo, se uma criança aponta para um carro, o pai pode repetir a palavra “carro” algumas vezes, potencialmente aumentando as chances de a criança lembrar a palavra.

Você pode se perguntar: por que aprender novas palavras é importante? Bem, acontece que o vocabulário é um fator determinante para o sucesso escolar – por isso, ao incentivar seu filho a usar gestos de mão, você pode melhorar seu vocabulário e aumentar suas chances de sucesso na escola no futuro!

“Agora sabemos que apontar objetos dá às crianças a chance de praticar a comunicação não-verbal antes de poderem fazer isso com palavras”, diz Rowe. “Apontar também pode servir como um meio para as crianças adquirirem informações, já que, quando as crianças apontam, elas frequentemente obtêm uma resposta verbal dos pais”.

Então, que conselho Rowe tem para os pais que querem ajudar a desenvolver o vocabulário de seus filhos? “Como pai ou mãe, eu entendo que é natural se preocupar com o desenvolvimento da linguagem de seus filhos”, diz ela. “A questão é perceber que você pode fazer uma grande diferença. Apontar de forma frequente e para uma variedade de objetos pode ter um impacto dramático a curto e longo prazo no desenvolvimento da linguagem”. Como você pode ver, promover o uso de gestos pode ajudar no desenvolvimento da linguagem do seu filho!

Algumas coisas que você pode fazer:

  • Enquanto estiver andando pela sua casa, aponte e nomeie objetos com o seu filho. Faça o mesmo em todos os lugares que vocês forem.
  • Faça brincadeiras de apontar – por exemplo, aponte para as partes do seu corpo enquanto repete seus nomes em voz alta.
  • Ao ler, pergunte ao seu filho “O que é isto?”, e incentive-o a apontar para objetos no livro e nomeá-los.
  • Quando seu filho apontar, certifique-se de ficar animada com o que ele está apontando! Dê muita atenção ao apontar. Isso irá fornecer reforço positivo, levando a mais apontamentos.

Aqui está uma atividade do Kinedu para você começar a brincar de apontar com o seu filho: