Lendo com o seu bebê de 0 a 11 meses

Ler para o seu bebê é muito benéfico. Ler todos os dias ajuda a construir um relacionamento saudável entre os pais e o filho, já que é uma oportunidade para interagirem de maneira próxima. Crianças que participam de atividades de leitura diariamente têm habilidades linguísticas mais desenvolvidas quando chegam ao jardim de infância e, por isso, estão mais preparadas para aprender a ler. Você pode ler mais sobre a importância da leitura para o seu filho em nosso post anterior. Pode parecer estranho pensar que um bebê de apenas um mês esteja realmente aprendendo ou absorvendo alguma coisa durante a hora da leitura. Dependendo da idade do seu bebê, você pode se concentrar em diferentes aspectos da experiência da leitura, para se certificar de que ele a aproveite ao máximo!

De 0 a 3 meses de idade

Seu bebê pode: Nesse estágio, seu bebê pode olhar para o livro que você está segurando, ouvir os sons que você faz e começar a copiá-los, e observar suas expressões faciais e começar a imitá-las também. Observe seu bebê: ele está sorrindo, fazendo barulhos ou mexendo as mãos? Isso significa que ele está gostando muito desse momento da leitura com você! Apenas lembre-se de que seu bebê só consegue prestar atenção por um minuto ou dois de cada vez.

Você pode: Encontrar um lugar tranquilo no qual você e seu bebê possam se aconchegar e ler juntos. Ao ler o livro, aponte para as imagens para as quais seu bebê olha e diga os nomes das pessoas, animais ou objetos que estão nelas. Também é ótimo usar expressões faciais, diferentes tons de voz e gestos com as mãos. Imite os sons que seu bebê faz como se vocês estivessem conversando, como em um “jogo de ação e reação”.

De 4 a 5 meses de idade

Seu bebê pode: Alcançar o livro e tocar suas imagens, prestando atenção por apenas alguns minutos de cada vez. Seu bebê provavelmente imita alguns dos sons e expressões faciais que você faz durante a leitura. Além disso, nessa idade, tente identificar se seu bebê já tem um livro favorito. Veja se ele fica mais entusiasmado com a leitura de um livro específico – ele demonstrará sua preferência sorrindo, gritando ou se aproximando dele!

Você pode: Encontrar um lugar tranquilo no qual você e seu bebê possam se aconchegar e ler juntos. Ao ler, aponte para as imagens para as quais seu bebê olha e diga os nomes das pessoas, animais ou objetos que estão nelas. Também é ótimo usar expressões faciais, diferentes tons de voz e gestos com as mãos. Imite os sons que seu bebê faz como se vocês estivessem conversando, como em um “jogo de ação e reação”.

6 a 8 meses de idade

Seu bebê pode: Segurar um livro e explorá-lo, sentindo-o, virando-o, colocando-o na boca e batendo nas imagens. Nessa idade, seu bebê também consegue copiar alguns dos sons que você faz, suas expressões faciais e gestos. Seu bebê está sorrindo ou balbuciando? Isso significa que ele adora a hora da leitura, mas lembre-se de que ele só consegue prestar atenção por alguns minutos de cada vez.

Você pode: Encontrar um lugar tranquilo no qual você e seu bebê possam se aconchegar e ler juntos. Durante a leitura, aponte e nomeie as imagens para as quais o seu bebê olha. Além disso, nessa idade, você pode começar a ajudar seu bebê a virar as páginas, de acordo com o interesse dele. Também é ótimo interpretar as histórias usando expressões faciais, diferentes tons de voz e gestos com as mãos. Imite os sons do seu bebê e fale com ele sobre as imagens do livro.

9 a 11 meses de idade

Seu bebê pode: Nessa idade, seu bebê pode escolher seu livro favorito quando você lhe oferecer duas opções. Além disso, ele pode segurar um livro e explorá-lo, sentindo-o, virando-o, abrindo-o, fechando-o e batendo nas imagens. Ele também pode copiar alguns dos sons que você faz, suas expressões faciais e gestos.

Você pode: Encontrar um lugar tranquilo no qual você e seu bebê possam se aconchegar e ler juntos. Durante a leitura, aponte e nomeie as imagens que o seu bebê olha ou toca. Fale sobre aquilo que chama a atenção dele! Ajude seu bebê a virar as páginas, seguindo o interesse dele. Também é ótimo interpretar as histórias usando expressões faciais, diferentes tons de voz e gestos com as mãos. Imite os sons do seu bebê e fale com ele sobre as imagens do livro, especialmente aquelas pelas quais ele se interessa.

Para obter mais informações sobre os benefícios de ler para o seu filho em todas as idades, e conhecer alguns recursos para ajudá-la ao longo do caminho, acesse o “Kit de Ferramentas de Alfabetização” da Academia Americana de Pediatria.

6 dicas para ajudar seu filho a gostar de aprender

Todos nós queremos criar filhos que sejam automotivados. Não só porque isso pode levar a boas notas na escola, mas porque esse é um fator importante que influencia no sucesso futuro das crianças. Ajudá-las a terem paixão pelo desenvolvimento dos seus conhecimentos é uma grande virtude. Quando uma criança tem o desejo de aprender, ela compreende melhor e se lembra da informação por um longo período, além de se tornar mais persistente e predisposta a realizar uma atividade que seja desafiadora!

Idealmente, todos nós gostaríamos que nossos filhos se concentrassem em melhorar, e não apenas provar que são inteligentes, aproveitando a jornada de aprendizado.

Geralmente, há dois tipos de orientações de objetivos que as pessoas adotam: domínio e desempenho. A orientação de domínio centra-se na aprendizagem e na melhoria, enquanto a orientação de desempenho se concentra em mostrar competência contra os outros. Os psicólogos descobriram que ter uma orientação de domínio traz mais benefícios – algumas de suas qualidades positivas incluem: persistência, desejo de aprender e busca de desafios para melhorar ainda mais.

Mas como as crianças podem ter esse tipo de mentalidade, com foco no alto comprometimento e na ânsia de aprender, bem como na resiliência quando elas fracassam?

Acontece que os pais têm a chave; eles têm grande influência na disposição de uma criança para aprender. No entanto, eles nem sempre sabem como incentivá-la adequadamente. Em seu livro “Mentes motivadas: criar crianças para amar a aprendizagem”, a Dra. Deborah Stipek – acadêmica internacionalmente reconhecida e reitora da Escola de Educação da Universidade de Stanford – e Kathy Seal argumentam que pais e professores podem criar uma base sólida para a aprendizagem, ajudando as crianças a desenvolverem os quatro elementos-chave para o sucesso: competência, autonomia, curiosidade e relacionamentos críticos.

Então, para ajudar você a começar, aqui estão seis estratégias para impulsionar a disposição do seu pequeno para aprender e ter sucesso:

1) Associar a aprendizagem escolar às atividades do dia a dia

Quanto mais o seu filho vê a conexão entre o que ele aprende com o que ele experimenta na vida real, mais interesse ele terá em aprender sobre o assunto! Você pode iniciar conversas, planejar uma viagem ou relacionar o assunto a eventos familiares ou familiares para associar o tópico à vida diária. Por exemplo, se seu filho estiver lendo um livro, tente perguntar a ele se o personagem principal se parece com alguém que ele conhece ou se o cenário da história é como um lugar que vocês já visitaram antes.

2) Ofereça vários tipos de experiências

Viagens em família ou até recados todos os dias podem aumentar a curiosidade das crianças. Lembre-se de que expor seu filho a experiências diversas pode oferecer muitas oportunidades de aprendizado e aumentar sua vontade de explorar! Uma visita ao parque, a um museu, ao mercado ou à praia pode aprimorar o que as crianças aprendem nos livros e na escola.

Se o seu filho tiver problemas com um determinado assunto, tente fazer atividades simples e divertidas para que ele se interesse por algo relacionado a isso. Por exemplo, se ele tem dificuldades em matemática, você pode cozinhar junto com ele para ensiná-lo sobre as medidas e proporções. Ou, se ele não estiver interessado em um determinado livro, comece uma conversa sobre como a história se relaciona com as experiências dele ou de sua família.

3) Faça o seu filho se sentir competente

Nada motiva mais as crianças (e os adultos!) do que o sentimento de competência. Depois que as crianças aprendem algo novo, elas mal podem esperar para tentar novamente. É por isso que vemos crianças esvaziando e enchendo caixas repetidamente – elas estão experimentando suas novas habilidades aprendidas! São os sentimentos de satisfação e de curiosidade que as motivam.

Outra parte da construção de competência é ter cuidado com as declarações encorajadoras que você faz ao seu filho. Nós conversamos sobre isso em posts anteriores, mas é basicamente sobre como evitar elogios à inteligência ou elogios vagos. Você deve reconhecer o que seu filho realizou e dar a ele a chance de demonstrar o que aprendeu no processo. Por exemplo, você pode dizer: "Você trabalhou muito no seu desenho! Eu realmente gostei de como você organizou as cores. Me fale mais sobre o que as cores significam."

Lembre-se de que, ao dar feedback, é melhor ser específica sobre o que você gostou e fazer perguntas sobre isso, para que o seu filho se sinta competente em relação às habilidades que está adquirindo!

Uma parte inevitável de toda jornada de aprendizado é sentir-se desencorajado. As crianças estão sujeitas a se sentirem assim em algum ponto, então o que você pode fazer nessa situação? Mostre ao seu filho o que ele já sabe, para restaurar sua confiança. Lembre-o de que ele foi capaz de enfrentar com sucesso tarefas semelhantes no passado, e que ele tem a capacidade de passar por isso. Além disso, evite dizer "é fácil” – está provado que isso faz com que as pessoas se sintam incompetentes. Quando seu filho se esforçar com uma tarefa, reconheça a dificuldade e ofereça sugestões construtivas para ajudá-lo.

4) Fique animado com a sua aprendizagem!

Se o seu filho é apaixonado por algo específico, demonstre entusiasmo e incentive-o a explorar mais sobre o assunto!

Uma forma eficaz de aprender sobre diferentes assuntos é por meio dos livros – por isso, é uma boa ideia desenvolver um hábito de leitura na sua família. Lembre-se de que você é o modelo do seu filho, então quando você lê livros e revistas por prazer, você envia a ele a mensagem de que ler é algo divertido!

Você pode começar a ler para o seu filho logo nos primeiros meses – quanto mais cedo, melhor! Esta atividade é útil para desenvolver não apenas os laços afetivos entre vocês dois, mas também as habilidades linguísticas do seu filho!

5) Concentre-se na aprendizagem ao invés das notas

Infelizmente, o peso que a sociedade dá para os testes coloca muita pressão desnecessária nas crianças, trazendo ansiedade. Você pode diminuir essas preocupações concentrando-se no que o seu filho aprendeu, e não nas notas dele. Por exemplo, peça para ele contar para você sobre um projeto que ele fez, ao invés de perguntar a nota que ele recebeu. Além disso, evite comparar seu filho com amigos, irmãos ou colegas – concentre-se apenas no progresso dele.

6) Mude a visão em relação ao fracasso

Veja o fracasso como uma oportunidade de aprendizado. Dê ao seu filho liberdade suficiente para fazer escolhas, deixando claro que você estará ao lado dele se ele precisar de ajuda. Certifique-se de lembrar o seu filho de que as pessoas que não cometem erros não aprendem nada novo. Sempre que ele falhar em algo, repasse a tarefa com ele e tentem descobrir juntos onde está o erro ou o que pode ser melhorado.

Existem várias coisas que os pais podem fazer para promover uma mentalidade orientada para o domínio. A pesquisa do psicólogo Paul O ‘Keefe, da Universidade de Stanford, mostra que há efeitos a longo prazo em se expor a um ambiente orientado para o domínio. Em seu estudo, os alunos que foram expostos a um ambiente que enfatizava o aprendizado em prol do conhecimento, onde as preocupações de superar os outros eram muito pequenas, mantiveram uma mentalidade orientada para o domínio 6 meses depois! Esses alunos estavam imersos nesse ambiente para um programa de verão, mas isso mostra que, quando uma orientação de objetivo de domínio é fomentada e reforçada, os padrões de motivação persistem.

Como fazer o desfralde?

É hora de dar adeus às fraldas? Antes mesmo de comprar o penico do seu filho, é importante ter um plano para o desfralde. Confira dois métodos que podem ajudá-la a decidir como começar essa importante tarefa.

Lembre-se de que não existe um método único e garantido para o sucesso do desfralde. O segredo é escolher a estratégia que melhor se adapta ao seu filho e a você. Listamos alguns métodos com seus prós e contras. Confira!

A abordagem centrada na criança ou o Método de Brazelton

O foco principal desse método é deixar que seu filho defina o ritmo do desfralde, de modo que a prontidão dele seja mais importante do que a idade. Quando a criança estiver pronta, os pais podem começar uma série de “aproximações sucessivas”, levando ao uso bem-sucedido do penico.

Como funciona:

Antes de começar, você deve identificar se seu filho está demonstrando sinais de estar pronto (para uma lista de sinais, consulte “Como saber se o meu bebê está pronto para o desfralde?”.).

  • Pronto? O primeiro passo é levar seu filho para escolher o penico dele. Ele irá adorar escolher sua cor favorita, e começará a ter uma sensação de propriedade sobre ele;
  • O próximo passo é incentivar seu filho a sentar-se, completamente vestido, no penico. Ele irá começar a associar o penico com o ato de ir ao banheiro;
  • Para incentivar o seu filho a “ir ao banheiro”, você pode deixá-lo correr pela casa sem fraldas e deixar o penico em um lugar visível;
  • O objetivo é deixá-lo acreditar que o desfralde foi ideia dele, e não sua;
  • Para os próximos passos, como esvaziar o penico no vaso sanitário, dar a descarga e lavar as mãos, você terá que esperar até que seu filho demonstre interesse por isso.

Prós

  • Esse método é recomendado pela Academia Americana de Pediatria (AAP), e é o método mais utilizado nos Estados Unidos atualmente;
  • É um método fácil de seguir, mesmo para quem tem um estilo de vida agitado;
  • Não requer muita preparação ou planejamento;
  • Não há um grande compromisso com tempo ou consistência.

Contras

  • Esse processo pode levar semanas, dependendo da criança.

Para obter mais informações sobre o método de Brazelton, procure esses livros: "Tirando as Fraldas – O Método Brazelton", de Berry Brazelton e Joshua Sparrow, "O Guia do AAP para Treinamento no Banheiro"e "O Livro do Bebê da AAP", de William e Martha Sears

O método de um dia

Este método é baseado na noção de que as crianças aprendem pelo exemplo. Na verdade, o “um dia” refere-se ao dia que você gastará com seu filho praticando como usar corretamente o penico. Depois deste primeiro dia, você passará alguns dias acompanhando e observando pequenos “acidentes”

Como funciona:

Seu filho deverá ter 20 meses ou mais e apresentar vários sinais de desenvolvimento. (Para uma lista de sinais de desenvolvimento, consulte “Como saber se o meu bebê está pronto para o desfralde.”).#

  • Antes de começar, você precisará montar uma área com um penico, uma boneca com uma fralda removível (especialistas sugerem usar uma boneca que possa beber e “fazer xixi”), guloseimas e bebidas. Lembre-se de que você precisará dedicar um dia ao treinamento (4 a 6 horas contínuas);
  • Pronto? Use a boneca para demonstrar a rotina do penico. Dê a ela uma bebida, e depois diga ao seu filho que a boneca precisa fazer xixi. Guie-o durante o processo de tirar a fralda da boneca, sentá-la no penico, esperá-la “fazer xixi”, elogiá-la e recompensá-la por isso.
  • Então, verifique a fralda da boneca. Se a fralda estiver seca, a boneca receberá outra recompensa. Se estiver molhada, explique que as crianças grandes não fazem xixi em suas calças;
  • Repita esse exercício várias vezes, até que seu filho entenda as etapas (isso geralmente não leva mais de uma hora);
  • Agora é hora de tentar com o seu filho o que vocês exemplificaram com a boneca;
  • O segredo para este método de desfralde é o reforço positivo e a correção. Quando as crianças acertam, elas são recompensadas. Quando elas erram (molham as calças), elas realizam treinos práticos.

Prós:

  • É um método rápido, pois normalmente pode ser feito em menos de duas semanas;
  • É um método estruturado;
  • Pode funcionar para crianças com necessidades especiais;
  • Estudos científicos sugerem que a maioria dos pais que tentam usar técnicas rápidas de desfralde obtêm sucesso.

Contras:

  • Exige planejamento e preparação;
  • Requer acompanhamento.

Para obter mais informações sobre o “Método de um dia”, procure o livro "Treinamento em Banheiro em Menos de um Dia", do PhD Nathan H. Azrin e do PhD Richard M. Foxx.

Quando você tiver escolhido um método, converse sobre ele com seu pediatra ou com o responsável pelo berçário. Eles provavelmente terão muita experiência e conselhos para compartilhar. E certifique-se de que você e todos os que cuidam do seu filho adotem o método!

Existem muitos métodos e técnicas para fazer o desfralde do seu bebê. Listaremos mais deles, e seus prós e contras, em nosso próximo artigo. Fique ligada!

Como usar livros para lidar com birras e crises de raiva

É muito comum as crianças fazerem birras – todos podemos concordar com isso! De chutar e gritar a segurar a respiração, elas são comuns em crianças de 1 a 3 anos e igualmente comuns entre meninas e meninos. O que precisamos entender é que as birras são uma maneira de os bebês expressarem seus sentimentos e frustrações, já que eles ainda não conseguem se comunicar com palavras! O mais importante é que você, o adulto, dê um bom exemplo e permaneça calmo durante esses períodos estressantes. Junto com as birras, surgem outros comportamentos difíceis, como morder, arranhar ou bater. Tudo isso é uma forma de as crianças chamarem a atenção ou expressarem emoções fortes, como a raiva, o medo e a frustração. Sem as habilidades linguísticas necessárias para lidar com elas, eles recorrem a esses comportamentos como uma maneira de dizer "Preste atenção em mim!" ou “Eu não gosto disso!”. Aqui estão algumas coisas que você pode fazer quando se deparar com estas situações:

  • Mantenha a calma – A birra aumentará se você ficar frustrada. Respire fundo e pense com clareza.
  • Dê o exemplo – Tenha autocontrole por vocês dois. Seu filho depende do seu exemplo. Usar força e punição física não ajuda em nada.
  • Seja compreensivo – Tente entender de onde vem a birra do seu filho. Ela deve ser tratada de formas diferentes, dependendo da causa.
  • Redirecione a atenção – A distração funciona bem por causa dos breves lapsos de atenção das crianças. Então, mude o foco para algo mais positivo!
  • Conforte a vítima – Se houver uma vítima na situação, primeiro dirija sua atenção para ela – ao invés da criança que a causou -, a fim de evitar reforçar a noção de receber atenção depois de morder ou bater.
  • Simplifique – Evite explicações demoradas neste momento e seja direta, usando uma frase firme, como “sem morder!” ou “bater machuca!”.

Os livros podem se tornar muito úteis para ajudar seu filho a identificar e compreender diferentes sentimentos, como a raiva e a frustração. Por meio das situações distintas pelas quais os personagens passam, e de suas imagens coloridas, os pais podem ensinar as crianças a lidar com emoções e circunstâncias difíceis. Ler um bom livro infantil que foi especialmente desenvolvido para abordar um assunto específico, e depois falar sobre ele com o seu filho, certamente o ajudará a compreender melhor suas emoções e distingui-las.

Há muitos livros ótimos que abordam os sentimentos de raiva e frustração. Aqui estão dois que eu recomendo!

“Llama Llama Mad at Mama” por Anna Dewdney: conta a história clássica de uma criança que não gosta de sair para fazer compras, e, antes que você perceba, ela está fazendo uma birra enorme! Descubra como Mama a acalma e descobre uma maneira de tornar as compras divertidas para as duas.

“Hands are not for hitting”, de Martine Agassi, e “Teeth are not for biting”, de Elizabeth Verdick, são parte de uma série de livros sobre comportamento, que mostram os motivos pelos quais as crianças podem querer bater ou morder, e que sugerem coisas positivas que eles podem fazer ao invés de agredir. Esses livros coloridos também incluem dicas úteis para os pais!