Como escolher os livros certos para o seu filho!

Tirar alguns minutos por dia para ler com o seu bebê aumentará drasticamente suas habilidades linguísticas. Mais do que isso: o momento da leitura é uma ótima atividade para fortalecer os laços afetivos entre você e o seu filho. Além disso, adicionar a leitura à sua rotina diária aumentará as chances de o seu filho desenvolver o gosto pela leitura, e até de se tornar um leitor também!

É importante encontrar o livro certo, tendo em mente sua adequação aos interesses, à maturidade e ao nível de leitura do seu filho. Aqui estão algumas coisas básicas para você observar:

Bebês e crianças pequenas (de 0 a 2 anos)

  • Procure livros com fotos grandes e coloridas de objetos familiares.
  • Eles devem ser escritos em frases curtas e simples, e podem incluir rimas divertidas e fáceis para o seu filho eventualmente imitar.
  • Procure livros grossos de papelão, plástico ou tecido. Eles são perfeito para as crianças manusearem (e eles sobreviverão, pois podem ser limpos com facilidade).
  • Estimule os sentidos do seu filho com livros com diferentes texturas ou aromas;
  • Encontre histórias sobre a vida cotidiana e eventos como a hora de dormir, os banhos ou o horário das refeições, especialmente se eles forem ilustrados com fotos de crianças da idade do seu filho ou um pouco mais velhas.
  • Histórias que revisam conceitos básicos como cores, formas, letras e números são sempre boas para se ter por perto.
  • Finalmente, pense nas paixões do seu filho e procure livros sobre elas! De que tipo de história ele pode gostar mais?

Onde você pode encontrar esses livros? Eles estão em todo lugar! Conheça a seção infantil da sua biblioteca ou livraria local ou simplesmente compre-os pela internet.

Por que a curiosidade é tão importante e como podemos incentivá-la?

Os bebês nascem curiosos. Eles vêm ao mundo com um desejo natural de entender como as coisas funcionam. São atraídos por novas coisas e experiências, questionam, exploram e, ao fazer isso, aprendem!

Se você quer que seu filho seja um bom aprendiz, a melhor maneira de fazer isso é cultivar sua curiosidade. Todas as crianças têm algum nível de curiosidade inata que as motiva a explorar. No entanto, é importante que você leve em consideração o estilo de curiosidade específico do seu filho. Lembre-se de que nem toda criança é igual. Por exemplo, algumas crianças gostam de explorar com suas mentes, enquanto outras preferem fazer isso por meio de atividades físicas (tocar, engatinhar, cheirar ou saborear). Ofereça oportunidades para cada estilo dentro de um ambiente seguro e encorajador!

A pesquisa mostrou que é o desejo interno de uma criança em aprender (sua curiosidade) que a motiva a buscar novas experiências e soluções, não as pressões externas. As pessoas curiosas são "caçadoras" de conhecimento. Elas gostam não apenas de explorar, mas também de procurar desafios. A curiosidade ajuda as pessoas a abordar a incerteza de uma forma positiva.

Um estudo recente conduzido por pesquisadores da Universidade John Hopkins revelou o papel fundamental que a curiosidade desempenha na aprendizagem. Em um dos experimentos, os pesquisadores descobriram que, quando os bebês foram surpreendidos – isto é, quando suas expectativas em relação ao comportamento de um objeto foram desafiadas, eles aprenderam melhor! A curiosidade atraiu os bebês para experimentar, explorar e, consequentemente, descobrir o que estava acontecendo para entender melhor a situação.

Dada a importância que a curiosidade desempenha na aprendizagem, como os pais podem nutrir a curiosidade de seus filhos e torná-los "caçadores" de conhecimento?

Aqui estão algumas dicas que ajudarão você a começar:

  • Siga os interesses do seu filho – As crianças aprendem melhor por meio de atividades que chamam a atenção delas e acendem sua imaginação. Encontre atividades que o seu filho goste e faça-as junto com ele com frequência. Por exemplo, se ele gosta de um tipo particular de música, então toque-o para ele ou dancem juntos. Se ele gosta de animais, leve-o ao zoológico ou leia livros para ele sobre seus animais favoritos.
  • Crie um ambiente interessante – Os bebês passam a maior parte do tempo observando o ambiente ao seu redor. Eles são curiosos sobre o ambiente, por isso, certifique-se de fornecer brinquedos e objetos seguros que seu bebê possa explorar e que estimulem seus sentidos.
  • Redirecione, não desanime – As crianças, mesmo quando bebês, precisam se mover para aumentar as conexões cerebrais. Lembre-se de que nenhuma criança é uma aprendiz passiva! Tente descobrir o que está capturando o interesse do seu filho e encontre uma maneira segura de deixá-lo observar e analisar. Use o mínimo possível de restrições, mas verifique sempre sua segurança.
  • Arranje tempo para brincar de faz-de-conta – Embora você possa achar alguns dos novos brinquedos eletrônicos mais atraentes, você deve tentar incluir objetos como caixas, blocos ou areia de vez em quando. Eles podem parecer sem graça, mas podem ser usados ​​de formas criativas também! Na verdade, esses brinquedos são ferramentas de aprendizado incríveis, porque deixam que a curiosidade determine a  brincadeira. Não diga ao seu filho o que fazer com o material, como usá-lo ou como ele deve ficar no final. Deixe que a curiosidade seja o guia dele!
  • Faça perguntas abertas – Esta dica é para as crianças maiores, mas vale ser mencionada. Evite perguntas que tenham uma resposta "sim" ou "não". Dessa forma, você estimulará a mente do seu filho, incentivando-o a desenvolver seus pensamentos e ideias. Tente usar perguntas como: "Como você se sente sobre isso?", ou "Como foi a experiência para você?".

Saber como cultivar a curiosidade do seu filho é muito importante, mas há 3 coisas que você também deve ficar de olho: os inimigos da curiosidade. De acordo com Dr. Bruce D. Perry, doutor em medicina e filosofia, uma autoridade internacionalmente reconhecida no desenvolvimento do cérebro e crianças em crise, eles são: o medo, as restrições e a ausência.

  1. Medo: O medo é o assassino nº 1 da curiosidade. Quando o mundo de uma criança é abalado ou quando ela está com medo, ela não consegue explorar. Lembre-se de que a forma como você lida com uma situação estressante e a maneira como você incentiva a exploração ajudam no desenvolvimento do seu filho.
  2. Restrições: Dizendo a palavra "não". Não toque. Não suba. Não grite. Não fique sujo. "As crianças sentem e respondem às nossas atitudes e medos. Se transmitirmos um sentimento de repulsa à sujeira de suas roupas, sua excitação pela descoberta será diminuída. Use o mínimo de restrições possíveis com segurança.
  3. Ausência: A presença de um adulto carinhoso, encorajador e investigador fornece fatores essenciais para a exploração ideal. Dê ao seu filho uma sensação de segurança, bem como reforço e aprovação para as suas descobertas.

Lembre que você é o primeiro e mais importante professor do seu filho. Explore a curiosidade com entusiasmo e o apresente a novas experiências. Não se esqueça de que as crianças exploram com seus sentidos, por isso, forneça oportunidades suficientes para que ele as use em seu ambiente. Leve em consideração as habilidades e a idade do seu filho para, pouco a pouco, introduzir novas experiências e objetos com diferentes formas, texturas, sabores, cores e sons.

Lembre-se de que ajudar seu filho a aprender a usar a curiosidade através da exploração é uma das melhores habilidades que você pode cultivar! Se você quer que seu filho seja um aprendiz vitalício, a melhor maneira de fazer isso é cultivar sua curiosidade. Todas as crianças têm algum nível de curiosidade inata que as motiva a explorar – no entanto, é importante que você leve em consideração o estilo de curiosidade específico do seu filho.

Aprendendo a andar – perguntas e respostas

Geralmente, os bebês dão seus primeiros passos entre os 9 e os 15 meses de idade, mas lembre-se de que cada bebê se desenvolve em seu próprio ritmo. Então, seja paciente se seu filho estiver demorando para começar a andar. Alguns bebês começam a andar mais tarde, por volta dos 18 meses, e está tudo bem!

Você sabia que os bebês nascem com um conhecimento inato dos movimentos necessários para caminhar? Eles apenas não têm força nas pernas para fazer isso. Se você segurar seu bebê em uma posição ereta, notará que ele instintivamente move um pé na frente do outro em movimentos de caminhada. Isso é chamado de “reflexo de caminhada”, e desaparece por volta dos 4 meses.

Como posso saber se o meu bebê está pronto para começar a andar?

Não há um sinal universal que indique que seu bebê está pronto para dar os primeiros passos. Mas a maioria dos bebês conquista estes marcos físicos antes de caminhar:

  • Entre os 7 e os 10 meses de idade, a maioria dos bebês aprende a engatinhar (apesar de alguns bebês nunca engatinharem antes de caminhar);
  • Entre os 9 e os 12 meses, os bebês aprendem a se levantar sozinhos. Apenas lembre-se de que ele pode acabar usando os móveis para se apoiar – por isso, certifique-se de que sua casa esteja segura para ele.
  • Quando seu bebê dominar o percurso entre os móveis, ele poderá se aventurar a praticar seus primeiros passos sem apoio.

 

E quanto a deixar minha casa segura para o meu bebê?

Quando seu bebê começar a dar os primeiros passos, você sentirá muita alegria ao vê-lo começar a ganhar sua independência, mas provavelmente também se sentirá ansiosa ao ver como cada objeto pode se tornar perigoso! Você provavelmente protegeu a sua casa com protetores de quinas, de tomadas, etc. quando seu filho estava aprendendo a engatinhar – mas tenha em mente que, agora, ele será capaz de alcançar objetos mais altos, então lembre-se de checar tudo novamente!

A maneira mais eficaz de garantir a segurança do seu bebê é ter uma visão da sua casa no ponto de vista dele. Fique de joelhos e veja como as coisas são nessa altura. Isso ajudará você a descobrir quais armários, gavetas e outros espaços podem colocar seu filho em perigo.

Como posso ajudar meu bebê a dar seus primeiros passos?

Andar é uma questão de confiança e equilíbrio. Por isso, a melhor maneira de ajudar seu filho é elogiá-lo e incentivá-lo toda vez que ele tentar andar. Seus primeiros passos significam muito para ele, então, quando ele atingir este marco monumental, certifique-se de fazer uma grande comemoração!

Você pode encontrar várias atividades no Kinedu para incentivar seu filho a praticar essa habilidade! Lembre-se de que a prática leva à perfeição, então, quanto mais ele praticar, melhor ele se tornará – e, antes que você perceba, ele estará correndo por aí!

Confira esta atividade:

A melhor forma de ler com o seu filho de 1 ano

Em posts anteriores, destacamos a importância de criar o hábito de ler para o seu bebê todos os dias, promovendo um tempo de qualidade que fortalece os laços afetivos entre vocês. Dependendo da idade do seu bebê, você pode se concentrar em diferentes aspectos da experiência da leitura, mas qual é a melhor forma de ler com uma criança de um ano de idade? A Academia Americana de Pediatria (AAP) criou um kit de ferramentas de alfabetização que inclui ótimas dicas para pais e cuidadores que desejam aproveitar ao máximo o tempo de leitura! Este post resumirá alguns pontos importantes sobre a leitura com uma criança de um ano em três estágios: 12 a 14 meses, 15 a 17 meses e 18 a 24 meses. Dentro de cada faixa etária, você encontrará exemplos do que o seu filho pode fazer e do que você pode fazer para melhorar a experiência da leitura!

12 a 14 meses de idade

Seu filho pode: Nesse estágio, seu filho provavelmente consegue escolher um livro favorito para ler com você e apontar para as fotos que ele quer que você olhe também! Seu bebê provavelmente irá explorar o livro todo, virando-o de cabeça para baixo, abrindo-o ou fechando-o, e até mesmo colocando-o em sua boca. Ele tentará copiar suas reações durante a leitura e prestará atenção por alguns minutos.

Você pode: Encontrar um lugar calmo e aconchegante no qual você e seu filho possam se aconchegar e ler juntos. Durante a leitura, nomeie e aponte as figuras para as quais seu filho olha e aponta. Ajude seu filho a virar as páginas, acompanhando o interesse dele. Leia com alegria, usando diferentes tons de voz para cada personagem. Você também pode perguntar ao seu filho coisas que ele consegue responder apontando, como “Onde está o gatinho?”. Também imite os sons do seu filho e converse com ele sobre as imagens do livro usando frases curtas.

15 a 17 meses de idade

Seu filho pode: Nesse estágio, seu filho pode escolher um livro favorito para ler com você e ver imagens familiares, fazendo sons para algumas delas, como os dos animais. Durante a leitura, seu filho prestará atenção por alguns minutos, e irá rir, gritar e apontar enquanto aproveita o tempo de leitura com você.

Você pode: Encontrar um lugar calmo e aconchegante no qual você e seu filho possam se aconchegar e ler juntos. Deixe o seu pequeno escolher qual livro ele quer ler com você, mesmo que seja o mesmo da última vez! Durante a leitura, nomeie e aponte as figuras para as quais seu filho olha e aponta. Leia com alegria, usando diferentes tons de voz para cada personagem e copiando os sons que ele faz ou as palavras que ele diz quando olha para uma imagem, adicionando mais algumas palavras para formar uma frase. Você também pode nomear e demonstrar ações ou emoções que aparecem nos livros, como sorrir. Você pode dizer “Veja a garota, ela está sorrindo!”, e depois sorrir para o seu bebê.

18 a 23 meses de idade

Seu filho pode: Nesse estágio, seu filho pode escolher o livro para ler com você e apontar para imagens familiares, dizendo uma palavra ou duas sobre elas. Se o livro incluir animais, seu filho provavelmente produzirá os sons deles. Além disso, se você está lendo um livro que é muito familiar, ele será capaz de terminar algumas frases, como “Brilha, brilha…. (estrelinha)”. Esta é uma boa fase para desfrutar de um passeio pela biblioteca local para contar histórias ou encontrar livros novos!

Você pode: Encontrar um lugar calmo e aconchegante no qual você e seu filho possam se aconchegar e ler juntos. O tempo de leitura pode se tornar uma maneira de acalmar e confortar seu filho, especialmente se fizer parte de sua rotina noturna. Deixe-o escolher qual livro ele quer ler com você, mesmo que seja o mesmo da última vez! Ajude seu filho a entender, fazendo frases curtas e falando lentamente. Leia com alegria, usando diferentes tons de voz para cada personagem, e copie os sons que ele produz ou as palavras que ele diz quando olha para uma imagem, adicionando mais algumas palavras para formar uma frase. Você também pode fingir ser os personagens do livro, agindo como bebês, filhotes ou o que quer que apareça na história!

Para obter mais informações sobre os benefícios de ler para o seu filho em todas as idades, e conhecer alguns recursos para ajudá-la ao longo do caminho, acesse o “Kit de Ferramentas de Alfabetização” da Academia Americana de Pediatria.