A atenção do bebê é prejudicada quando seus pais se distraem durante a hora de brincar

* Fotografia por Chen Yu

Seus olhos frequentemente se afastam quando você está brincando com o seu bebê? Em caso positivo, é hora de deixar o celular – ou qualquer outra distração – de lado quando for brincar com ele. Prestar atenção em seu filho e nos brinquedos com os quais vocês estão brincando pode realmente beneficiar muito o desenvolvimento cognitivo dele. A atenção sustentada é importante, pois é um forte indicador de sucesso futuro em áreas como a aquisição de linguagem, a resolução de problemas e outros marcos cognitivos fundamentais.

No passado, a atenção era vista como uma característica que as crianças melhorariam em seu próprio ritmo, e que não era afetada por fatores ambientais, como o comportamento dos pais ou dos cuidadores. No entanto, um novo estudo publicado na revista “Current Biology”, realizado por Chen Yu e Linda Smith, do Departamento de Ciências Psicológicas e do Cérebro da Universidade de Indiana, mostra os efeitos que os pais e os cuidadores exercem sobre as crianças simplesmente prestando atenção nelas por um longo período. Os pesquisadores descobriram uma correlação direta entre a quantidade de tempo que uma mãe, um pai ou um cuidador olha para um objeto com o qual um bebê está brincando e a quantidade de tempo que esse bebê permanece focado no mesmo objeto. Isso significa que olhar para o seu telefone durante a hora de brincar pode fazer com que o seu filho se distraia também!

Os pesquisadores descobriram que, quando os pais tiravam um tempo para observar o brinquedo por um longo período, essa ação também era espelhada pelo bebê. Na verdade, quanto mais tempo os pais mantinham o olhar no brinquedo, mais tempo a criança também olhava para ele, mesmo depois de os pais terem desviado o olhar. Um elemento adicional a ser considerado foi que os pais que tiveram mais sucesso em sustentar a atenção dos bebês foram aqueles que deixaram que os próprios bebês liderassem a brincadeira. Isso significa que os pais ou cuidadores esperavam até verem seus bebês se interessarem por um brinquedo, e depois intervinham, e expandiam o interesse dos bebês nomeando os objetos e incentivando a brincadeira.

Segundo Chen Yu, “Se os pais tentarem liderar a brincadeira, chamando a atenção de seus bebês para os objetos pelos quais eles se interessam, esse esforço poderá não ser bem-sucedido. No entanto, se os pais simplesmente seguirem o interesse de seus bebês, será mais fácil manter sua atenção”.

Por isso, se o seu filho está tendo dificuldade em manter a atenção por longos períodos, experimente essas dicas:

  • Deixe seu bebê assumir a liderança das brincadeiras;
  • Mantenha o foco em seu bebê e no brinquedo;
  • Incorpore o incentivo verbal;
  • Interaja com os objetos.

Brincando sozinho: incentivando a exploração e a criatividade

“As crianças florescem quando têm oportunidades de fazer escolhas, particularmente em situações relacionadas com as brincadeiras.” – Jean Ispa, PhD

Ensinar as crianças a brincar de forma independente as ajuda a desenvolver a criatividade e as habilidades de pensamento crítico, além de ajudar os pais a terem uma folga também! A brincadeira independente é importante porque ensina as crianças a se divertirem e as ajuda a se tornarem mais autossuficientes. Esse tipo de brincadeira geralmente ocorre entre 1 e 3 anos de idade.

Nem sempre é fácil fazer as crianças brincarem sozinhas, pois elas adoram a nossa companhia! Mas tente mesmo assim, um passo de cada vez. Primeiro, tente sentar-se ao lado do seu filho em silêncio enquanto ele brinca. Deixe-o explorar livremente os brinquedos. Quando ele estiver completamente entretido com a atividade, tente se mudar para o outro lado da sala. Seu bebê ainda se sentirá confortável com você por perto. Quando seu filho estiver brincando sozinho, tente não ficar rondando-o, mas certifique-se de que o espaço esteja seguro e confortável para ele.

Quando dizemos às crianças exatamente como brincar com um brinquedo ou o que fazer com ele, limitamos sua exploração e sua imaginação. Um estudo do Instituto de Tecnologia de Massachusetts descobriu que as crianças eram mais propensas a descobrir as características extras de um brinquedo (como um barulho que ele emite, por exemplo) quando deixadas sozinhas com ele do que se um adulto as mostrasse primeiro como usá-lo.

Tenha consciência do quanto você interfere nas ações do seu filho e o instrui quando ele está brincando. Um estudo da Universidade do Missouri descobriu que as crianças se tornam menos engajadas quando suas mães lhes dizem como e com o que brincar. Verificou-se até que essas crianças tinham sentimentos negativos em relação às suas mães, especialmente quando suas orientações eram negativas ou críticas, com falta de afeto.

É importante demonstrar afeição pelo seu filho, dando apoio à brincadeira dele e, ao mesmo tempo, tomando cuidado para não ditar exatamente como ele deve brincar. Dessa forma, você irá beneficiar o seu desenvolvimento. Deixe seu filho brincar livremente por um tempo, e você verá a criatividade dele florescer diante dos seus olhos.

Chew, J. (ID: 2013 ). Comportamento das mães durante a hora de brincar está associado ao envolvimento das crianças pequenas com elas, afirma MU Researcher. Acessado em 18 de julho de 2016, em http: // munews. missouri. edu / notícias-releases / ID: 2013 /ID: 0204 -mães-comportamento-durante-brincadeiras-ligado-a-jovens-crianças-noivado-com-elas-mu-pesquisador-diz /

Phillips, A. (ID: 2011 ). Tornando-se independente: Crianças que brincam sozinhas. Acessado em 18 de julho de 2016, disponível em http: // www. pais. com / toddlers-preschoolers / desenvolvimento / social / independente-play-toddlers /

Como incentivar as crianças a terem uma imagem positiva de seu corpo

Como mãe/pai, você é o primeiro modelo do seu filho e a maior influência em suas vidas. Então, o que você faz e diz é importante.

As crianças são como esponjas, absorvem tudo o que lhes é fornecido pelo ambiente, e isso inclui nossas ações. Nossas atitudes em relação a nós mesmos e aos outros as marcam e podem gerar certas crenças desde a primeira infância. Nós, como pais, desempenhamos um papel muito importante em ajudar a construir uma imagem corporal saudável em nossos filhos, que os fará apreciar e amar seus corpos. Nunca é cedo demais para começar! De fato, se começarmos cedo, podemos ajudar a desenvolver uma autoestima saudável, que, por sua vez, irá favorecer o bem-estar socioafetivo de nossos filhos.

Como faço para ajudar meu filho a ter uma imagem positiva do próprio corpo?

  • Dê o exemplo: Evite fazer comentários negativos sobre seu corpo ou sobre os corpos de outras pessoas. Não se queixe do seu corpo na frente do seu filho e nem deixe ele observar você agindo negativamente em relação ao seu corpo. Suas atitudes têm poder e, se você não for cuidadosa, elas podem ser internalizadas pelo seu filho.
  • Faça elogios específicos: Embora não seja um problema dizer ao seu filho que ele é bonito e maravilhoso, não se esqueça de enfatizar suas atitudes e qualidades específicas, não apenas sua aparência física. Tente complementar o elogio com as capacidades do corpo, ao invés de se restringir à sua aparência. Você pode dizer ao seu filho, por exemplo: “Uau, veja como o seu corpo é forte, você aprendeu a correr!”, ou “Com o seu esforço, você aprendeu a colocar a camisa sozinho!”.
  • Estimule a atividade física: Ser ativo tem um impacto direto na saúde e no bem-estar, então ofereça atividades divertidas que permitam que seu filho se mova dentro e fora de casa. Faça um passeio ao ar livre com ele, ou uma festa dançante. O importante é que a atividade seja agradável, divertida, e uma parte natural da vida cotidiana.
  • Forneça opções de alimentação saudável e demonstre uma atitude positiva em relação à comida: Concentre-se em fazer refeições saudáveis ​​e lanches saborosos em vez de restringir ou rotular os alimentos. Evite dizer ao seu filho que este alimento é “bom” ou “ruim”, mas ensine-o sobre os benefícios de comer certos alimentos. Além disso, classifique como “às vezes” os alimentos que podem ser consumidos em pequenas quantidades, e como “sempre” os alimentos saudáveis, que fornecem energia e nos ajudam a crescer.
  • Convide seu filho a participar de atividades que estimulem sua independência: Peça ao seu filho para ajudar na cozinha e na lavanderia, ensine-o a se vestir, dê duas ou três opções de roupas para ele escolher, etc. Quando as crianças participam de atividades que estimulam sua independência, sua autoestima e sua autonomia também aumentam, fazendo com que elas se sintam bem consigo mesmas. Isso, por sua vez, cria uma autoimagem positiva.

Há muitas coisas que você pode fazer para ajudar seu filho a crescer confiante e seguro. Esperamos que estas dicas ajudem! E você? O que você faz para construir uma imagem corporal positiva no seu filho? Deixe sua dica nos comentários!

Para mais informações, não deixe de conferir:

Horas de sono recomendadas: 21 a 24 meses de idade

Um sono agradável e profundo é muito importante para restaurar nosso corpo e nosso cérebro. Dormir bem está associado a melhores atitudes, desempenho físico, temperamento e humor. O sono é essencial para o nosso cérebro, pois, durante esse tempo, ele consolida e organiza tudo o que aconteceu no dia. No caso de nossos filhos, dormir permite que eles continuem crescendo e acordem cheios de energia e vontade para continuar aprendendo e explorando o ambiente. Dormir é muito importante para adultos e crianças.

O sono é essencial para as crianças, pois as ajuda a recarregar a energia para o dia seguinte e promove o crescimento físico e cognitivo. Quando dormem, as crianças economizam energia, permitindo que ganhem peso e cresçam, e que seus órgãos vitais se desenvolvam. Da mesma forma, dormir as ajuda a acordar com energia suficiente para se mover, andar, aprender, conversar e explorar o mundo ao seu redor.

Nessa idade, as crianças normalmente precisam apenas de um cochilo durante o dia, dormindo por cerca de uma hora. Isso lhes dá mais tempo para explorar seu entorno e brincar durante o dia. De acordo com a National Sleep Foundation, o intervalo de sono ideal para crianças de 21 a 24 meses é de 11 a 14 horas por dia. Algumas crianças dormem mais ou menos horas; no entanto, os especialistas não recomendam que, nessa idade, o seu bebê durma menos do que 9 horas por dia, ou mais do que 16. Se você acha que seu filho está dormindo mais do que o necessário, você pode tentar encurtar os cochilos e fazer muitas atividades, para garantir que ele receba estímulos suficientes durante o dia. Por outro lado, se o seu bebê dorme menos do que o recomendado, tente reforçar sua rotina noturna, e lembre-o de tirar uma soneca antes das 16h. Dormir bem permite que seu filho continue aprendendo e permaneça ativo. Ele receberá muitos estímulos e afeto durante o dia e, quando dormir, seu cérebro irá consolidar os momentos e as novas descobertas.

Não se preocupe muito com a precisão das horas de sono. É importante ter em mente as recomendações referentes às horas de sono, mas lembre-se de que cada criança é diferente. A melhor maneira de saber se o seu filho está dormindo bem é perceber se ele está feliz e bem descansado, ou se fica cansado e irritado durante o dia.

Promovendo a autonomia do meu filho na hora de dormir

Você provavelmente já percebeu que seu filho tem buscado ser mais independente. Ele está entrando em um estágio no qual ele começa a definir o que ele gosta e o que não gosta, e sente vontade de exercitar sua autonomia. Se seu filho está nessa fase e você percebe que ele resiste a ir se deitar para dormir, um bom conselho é permitir que ele participe da rotina noturna. Aqui estão ideias diferentes que você pode experimentar em casa para incentivar a independência do seu filho e ajudá-lo a aproveitar a hora de dormir:

  • Continue implementando sua rotina regular de dormir, mas dê a ele a oportunidade de expressar sua opinião e fazer suas próprias escolhas;
  • Dê opções diferentes de pijamas, deixe-o escolher a história que vocês irão ler juntos, com qual bichinho de pelúcia ele irá dormir – ou mesmo com quantos! Deixar seu filho participar fará com que ele sinta que está no controle de suas próprias decisões;
  • Decore seu quarto com seus bichinhos de pelúcia favoritos, para que ele se sinta confortável e goste de ficar no quarto;
  • Deixe seu filho escolher sua luz noturna favorita;
  • Ao fornecer opções, o truque é dar apenas duas ou três opções para ele escolher. Certifique-se de que as opções sejam algo que você aprovaria;
  • Não pergunte ao seu filho se ele quer dormir ou não, porque ele pode responder “NÃO!”. Ao invés disso, pergunte “Você quer ir para a cama antes ou depois de ler uma história comigo?”.

Lembre-se de que, apesar de estar aberta a dar opções ao seu filho, você é responsável pelo sono dele. Você tem a palavra final, e não ele, então, se sinta confiante em estabelecer as regras necessárias para que seu filho durma bem. Seja compreensiva e ouça o seu filho. Você pode dizer: “Eu sei que você quer ficar acordado, mas é hora de dormir. Vamos escolher o seu pijama”. Você também pode perguntar: “Você quer escovar os dentes antes ou depois de vestir o pijama?”. Oferecer opções permite que você atinja seu objetivo e cumpra seu propósito: ajudar pacificamente seu filho a fazer o que for melhor para o bem-estar dele.

Horas de sono recomendadas: 17 a 20 meses de idade

Um sono agradável e profundo é muito importante para restaurar nosso corpo e nosso cérebro. Dormir bem está associado a melhores atitudes, desempenho, temperamento e humor. O sono é essencial para o nosso cérebro, pois, durante esse tempo, ele consolida e organiza os eventos do dia. No caso de nossos filhos, dormir permite que eles continuem crescendo e acordem cheios de energia e de vontade para continuar aprendendo e explorando o ambiente. Dormir é muito importante para adultos e crianças.

O sono é essencial para as crianças, pois as ajuda a recarregar a energia para o dia seguinte e promove o crescimento físico e cognitivo. Quando dormem, as crianças economizam energia, permitindo que ganhem peso e cresçam. Seus órgãos vitais também se desenvolvem durante o sono. Da mesma forma, dormir as ajuda a acordar com energia suficiente para se mover, andar, aprender, conversar e explorar o mundo ao seu redor.

Nessa idade, as crianças normalmente precisam de apenas um cochilo durante o dia, dormindo por cerca de uma hora. Isso lhes dá mais tempo para explorar seu entorno e brincar durante o dia. De acordo com a National Sleep Foundation, o intervalo de sono ideal para crianças de 17 a 20 meses é de 11 a 14 horas por dia. Algumas crianças dormem mais ou menos horas; no entanto, os especialistas não recomendam que seu bebê durma menos do que 9 horas por dia, ou mais de 16. Se você acha que seu filho está dormindo mais do que o necessário, você pode tentar encurtar os cochilos para garantir que ele receba estímulos suficientes durante o dia. Por outro lado, se ele dorme menos, tente reforçar sua rotina noturna.

Dormir é essencial, pois ajuda a fortalecer o sistema imunológico do seu filho. Além disso, seu humor será melhor durante o dia, e ele estará mais receptivo para o aprendizado linguístico, motor e cognitivo. Você provavelmente ficará perseguindo seu filho por toda a casa ao longo do dia. Isso é bom, pois significa que ele tem muita energia e, com sorte, estará cansado quando for a hora de dormir. Então, quando dormir, seu filho reforçará o que aprendeu durante o dia, pois o cérebro usa o sono para organizar esses eventos.

Horas de sono recomendadas: 13 a 16 meses de idade

Um sono agradável e profundo é muito importante para restaurar nosso corpo e nosso cérebro. Dormir bem está associado a melhores atitudes, desempenho, temperamento e humor. O sono é essencial para o nosso cérebro, pois, durante esse tempo, ele consolida e organiza os eventos do dia. Da mesma forma, dormir o suficiente nos permite acordar sentindo-nos revigorados e cheios de energia. Se o sono é extremamente importante para os adultos, imagine o tamanho de sua importância para os bebês, que ainda estão crescendo!

Dormir é essencial para as crianças. É um aspecto fundamental no desenvolvimento de seu sistema nervoso central; seus cérebros precisam dele para se desenvolver adequadamente e permitir que seus corpos cresçam. Quando um bebê dorme, ele economiza energia, permitindo que ele cresça e ganhe peso. Dormir permite que as crianças acordem prontas para explorar o ambiente, com energia suficiente para começar a se movimentar, andar e aprender sobre o mundo ao seu redor.

Nessa idade, as crianças devem continuar tirando uma soneca durante o dia. De acordo com a National Sleep Foundation, o intervalo ideal de sono para crianças de 13 a 16 meses é de 11 a 14 horas por dia. Algumas crianças dormem mais ou menos horas, no entanto, os especialistas não recomendam que, nessa idade, o seu bebê durma menos do que 9 horas por dia, ou mais do que 16. Se você acha que seu filho está dormindo mais do que o necessário, você pode tentar encurtar os cochilos para garantir que ele receba estímulos suficientes durante o dia. Por outro lado, se ele dorme menos, tente reforçar sua rotina noturna.

Dormir é essencial, pois ajuda a fortalecer o sistema imunológico do seu filho. Além disso, seu humor será melhor durante o dia, e ele estará mais receptivo para o aprendizado linguístico, motor e cognitivo. Então, quando dormir, seu filho reforçará o que aprendeu durante o dia, pois o cérebro usa o sono para organizar esses eventos.

Horas de sono recomendadas: 10 a 12 meses de idade

O sono é essencial para levar uma vida saudável. Ele permite que o nosso corpo descanse e mantenha uma boa saúde mental e física. O sono é essencial para nosso cérebro, pois, durante esse tempo, ele consolida e organiza os eventos do dia. Da mesma forma, as horas de sono adequadas nos permitem passar por diferentes fases do sono, fazendo com que ele seja reparador. Se o sono é extremamente importante para os adultos, imagine o tamanho de sua importância para os bebês, que ainda estão crescendo!

O sono é vital para os bebês. Seus cérebros precisam dele para se devolver adequadamente e permitir que seus corpos cresçam. Quando os bebês dormem, eles recarregam sua energia, seus corpos liberam hormônios de crescimento e eles consolidam as descobertas do dia. Dormir os ajuda a acordar prontos para explorar seus arredores, com energia suficiente para se mover e engatinhar. Também os ajuda a ficarem felizes e de bom humor!

De acordo com a National Sleep Foundation, o intervalo de sono para bebês de 10 a 12 meses é de 12 a 15 horas. Alguns bebês dormem menos, entre 11 e 13 horas, e outros, mais, até 19 horas por dia. No entanto, os especialistas não recomendam que seu bebê durma menos do que 11 horas ou mais do que 19. Se seu filho está dormindo mais do que o recomendado, você pode tentar encurtar os cochilos, para que ele receba estímulos suficientes durante o dia; se ele dorme menos do que o recomendado, tente reforçar sua rotina noturna. Tenha em mente que, após o primeiro ano, o tempo de sono recomendado será de 11 a 14 horas por dia.

Horas de sono recomendadas: 7 a 9 meses de idade

O sono é essencial para ter uma vida saudável. Ele permite que o nosso corpo descanse e mantenha uma boa saúde mental e física. O sono é fundamental, pois é durante este tempo que o cérebro consolida e organiza os eventos do dia. Da mesma forma, as horas de sono adequadas nos permitem passar por diferentes fases do sono, fazendo com que ele seja reparador. Se o sono é extremamente importante para os adultos, imagine o tamanho de sua importância para os bebês, que ainda estão crescendo!

O sono é vital para os bebês. Seus cérebros precisam dele para se desenvolver adequadamente e permitir que seus corpos cresçam. Quando um bebê dorme, ele economiza energia, permitindo que ele ganhe peso mais rapidamente e que tenha um desenvolvimento saudável. Além disso, seus órgãos se desenvolvem e seu sistema imunológico se fortalece para protegê-lo de doenças e infecções.

De acordo com a National Sleep Foundation, o intervalo de sono ideal para bebês de 7 a 9 meses é de 12 a 15 horas. Alguns bebês dormem menos, entre 11 e 13 horas, e outros mais, até 19 horas por dia. No entanto, os especialistas não recomendam que o seu bebê durma menos do que 11 horas ou mais do que 19. Dormir menos do que o recomendado priva seus corpos do descanso e dos benefícios proporcionados pelo sono. Quando seu bebê dorme, ele está recarregando a energia necessária para engatinhar, mover-se, sentar-se, comer e explorar seus arredores. Por outro lado, dormir mais do que o recomendado impede que os bebês recebam o alimento adequado e os estímulos necessários em um dia.

Horas de sono recomendadas: 4 a 6 meses de idade

Dormir bem é extremamente importante. É essencial para o corpo, pois nos permite descansar e manter uma boa saúde física e mental. O descanso ajuda nosso cérebro a trabalhar em seu máximo potencial. Nos ajuda a ficar alertas, aprender e nos concentrar durante o dia, e consolidar o que aprendemos, formando memórias, durante a noite. Dormir bem também reduz nossos níveis de estresse, permitindo-nos viver vidas mais saudáveis. Se o sono é extremamente importante para os adultos, imagine o tamanho de sua importância para os bebês!

Por volta do quarto mês, o ritmo circadiano (o processo de nosso relógio biológico) de um bebê está consolidado. Se você é consistente com as rotinas, seu bebê aprende a diferenciar entre dia e noite. O tempo que um bebê dorme à noite aumenta lentamente, mas ele ainda precisa de sonecas durante o dia. De fato, dormir durante o dia e dormir à noite são coisas interdependentes, porque a quantidade de horas que um bebê dorme durante o dia afeta seu sono à noite. Durante o dia, os bebês devem tirar, no mínimo, dois cochilos de uma ou duas horas – há crianças que tiram até três cochilos! O cochilo da manhã geralmente é tirado de uma hora e meia a duas horas depois de acordar, enquanto o cochilo da tarde normalmente acontece por volta das 13h ou 14h. O horário do cochilo não é tão importante – o importante é defini-lo e seguir um cronograma de sono fixo. Dessa forma, seu filho irá antecipar as horas de sono dele. Você pode criar sua própria rotina de dormir, mantendo-a curta. Por exemplo: amamentar ou ler um livro, colocar seu filho no berço e diminuir as luzes do quarto.

De acordo com a National Sleep Foundation, o tempo de sono ideal para bebês de 4 a 6 meses é de 12 a 15 horas por dia. Se seu bebê dorme um pouco menos, cerca de 10 a 11 horas por dia, ou um pouco mais, em torno de 16 a 18 horas, pode ser bom. No entanto, dormir mais do que 18 horas ou menos do que 10 não é recomendado. Um longo sono noturno permite que o cérebro do seu bebê atravesse os diferentes estágios do sono, necessários para ter um ótimo desenvolvimento. Quando seu bebê dorme, o cérebro processa todas as informações recebidas durante o dia e o ajuda a aprender. Com um sono reparador, ele acordará feliz e descansado. Dormir menos ou mais horas durante o dia também o afeta. Se ele dormir menos, provavelmente ficará superestimulado, o que dificultará ainda mais o sono durante o dia. Por outro lado, se ele dormir muito durante o dia, terá dificuldades para dormir à noite. Por isso, tente estabelecer horários de sono fixos para ajudar seu bebê a tirar dois ou três cochilos durante o dia e dormir bem durante a noite.