O primeiro acampamento com o meu bebê

Ar fresco, natureza e bastante convívio familiar.

Acampar pode ser uma experiência gratificante para toda a família. No entanto, isso significa que você deve planejar tudo com antecedência, a fim de ter uma viagem bem-sucedida e agradável. As preparações que você deve fazer para garantir uma experiência prazerosa serão determinadas de acordo com o destino da viagem.

Acampar na floresta será muito diferente de fazer o mesmo na montanha ou na praia. Independentemente do local, seu bebê precisará de proteção contra os elementos da natureza, já que a regulação da temperatura corporal dele ainda não está totalmente desenvolvida. Você precisa garantir que seu filho não fique com muito calor ou com muito frio, e a melhor maneira de fazer isso é com as camadas de roupas apropriadas. Os bebês podem perder o calor do corpo muito rapidamente, até quatro vezes mais rapidamente que um adulto. Da mesma forma, eles também podem sofrer de superaquecimento, se não formos cuidadosos.

Ao preparar as malas, considere levar um chapéu apropriado, óculos de sol (se necessário), protetor solar e repelente de insetos. Não é recomendado expor um bebê com menos de 6 meses à luz solar direta. Se o seu filho tiver mais de 6 meses, use protetor solar, mas evite os horários de pico do sol (das 10h às 16h).

Dormir pode ser um pouco complicado durante uma viagem de acampamento e, possivelmente, uma grande armadilha. Se seu filho tiver um objeto de transição, como uma naninha, certifique-se de mantê-lo por perto. Vai viajar por vários dias? O que acontecerá se ele tiver um “acidente” e a roupa de cama ficar molhada? Seja qual for a circunstância, planeje com antecedência tudo aquilo que o seu bebê precisa para dormir, e tome as mesmas precauções que você tomaria em casa. A Academia Americana de Pediatria (AAP) recomenda uma superfície firme para dormir, sem objetos, cobertores ou roupas de cama soltos.

E quanto às mamadas? A amamentação é a maneira mais conveniente de alimentar o seu bebê durante uma viagem de acampamento. Ela não é apenas prática, mas também preferível, já que o leite materno ajuda a combater infecções e patógenos. A amamentação exclusiva elimina a necessidade de esterilizadores, mamadeiras e fórmulas, no entanto, essa pode não ser uma opção viável. Se você precisar levar os itens mencionados, coloque-os separadamente em um local acessível durante o passeio de carro. Certifique-se de levar água e alimentos sólidos em uma quantidade maior do que a necessária – é melhor sobrar do que faltar!

Antes de partir para a aventura, certifique-se de que o seu filho esteja com todas as vacinas em dia. Se precisar vaciná-lo, aguarde alguns dias após a vacinação para viajar. Um kit básico de primeiros socorros para bebês é necessário em casa, e ainda mais crucial em uma viagem. Certifique-se de levar todos os medicamentos e vitaminas que seu bebê possa precisar e lembre-se de pensar em possíveis reações alérgicas, asma, febre e qualquer problema que seu filho possa ter.

Como esta é sua primeira viagem, comece com uma viagem noturna perto de casa. Se possível, exagere na bagagem: leve quantidades a mais de roupas, fraldas, comida, brinquedos, etc. Se tiver dúvida sobre levar ou não alguma coisa, leve!

Os bebês que atingiram os marcos do desenvolvimento mais cedo serão beneficiados no futuro?

Os marcos do desenvolvimento costumam ser uma fonte de estresse para os pais de primeira viagem, particularmente se eles se concentram demais em conferir os itens de uma lista de desenvolvimento, ao invés de simplesmente aproveitarem a jornada magnífica de crescimento de seus filhos.

Para os pais, presenciar o momento em que seu bebê atinge um marco de desenvolvimento é emocionante, seja a primeira vez em que ele sorri, rola, balbucia ou engatinha. Muitas vezes comparamos os marcos alcançados e o progresso do nosso filho com o de um irmão, primo ou amigo. Para alguns pais, isso acaba trazendo tranquilidade em relação ao desenvolvimento dos seus filhos, enquanto, para outros, é uma fonte de preocupação.

Continue lendo

Por que devemos elogiar os esforços das crianças ao invés das suas habilidades naturais?

A maioria dos pais tende a elogiar seus filhos por tudo, especialmente nos primeiros anos de vida, quando estão constantemente aprendendo e superando novos desafios. Seja porque eles conseguiram dar os primeiros passos, ou então porque eles são lindos, os pais tendem a elogiar seus filhos constantemente por tudo! É como se eles fossem contratados como animadores de torcida dos seus filhos 24 horas por dia.

 

Continue lendo

Toxoplasmose: causas e prevenção

O protozoário toxoplasma gondii é responsável pela toxoplasmose, uma infecção que pode penetrar na placenta, ser transmitida ao seu bebê e, portanto, ser perigosa durante a gravidez. Durante o terceiro trimestre, essa infecção tende a ser arriscada, pois é quando o bebê tem o maior risco de ser infectado. Portanto, tome precauções para evitá-la e cuide da saúde do seu bebê.

Como a toxoplasmose é transmitida?

Continue lendo

O parto está se aproximando, conheça os sinais

Seu corpo começará a se preparar para o nascimento do seu bebê algumas semanas antes do parto. Mesmo que seja impossível saber o momento exato com antecedência (seu médico consegue apenas estimar a data), existem alguns sinais que podem ajudá-la a descobrir que você está entrando em trabalho de parto. No entanto, mesmo com esses sintomas presentes, pode ser apenas um alarme falso.

Listamos abaixo alguns sintomas que podem ocorrer antes do parto:

Continue lendo

Candidíase vaginal: causas e prevenção

A candidíase vaginal é uma infecção causada pelo crescimento do fungo Candida em suas paredes vaginais. Ter uma pequena quantidade desses fungos é completamente normal. No entanto, você pode desenvolver uma infecção se eles se multiplicarem demais.

Essa infecção é comum durante a gravidez, devido aos altos níveis de estrogênio e, portanto, maior produção de glicogênio na vagina (o glicogênio favorece o crescimento do fungo).

Os sintomas mais comuns da candidíase vaginal são: corrimento vaginal espesso, sensação de queimação ao urinar, dor, vermelhidão e coceira ao redor da vagina ou dos lábios. Se você sentir algum destes sintomas, consulte o seu médico para fazer um exame. Conversar com um profissional antes de se medicar é muito importante, pois esses sintomas podem ser confundidos com outros tipos de infecções, como doenças sexualmente transmissíveis.

Essa infecção não é prejudicial para o bebê. No entanto, ela pode ser transferida ao bebê durante o parto. Se isso acontecer, ela pode ser tratada sem problemas.

Como posso prevenir a candidíase vaginal?

  • Evite umidade na área genital;
  • Use calcinhas de algodão;
  • Evite usar calças sintéticas;
  • Tente dormir sem calcinha para ventilar melhor a área genital;
  • Lave os genitais com água e evite duchas vaginais.

Doenças sexualmente transmissíveis durante a gravidez

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) são causadas por vírus e bactérias transmitidos por meio do sexo anal, oral ou genital com uma pessoa infectada. Algumas doenças, como a hepatite B, também podem ser transmitidas por meio de agulhas e aparelhos de barbear ou pelo contato com o sangue da pessoa infectada.

É importante ter um cuidado especial durante a gravidez para prevenir as DSTs, pois algumas delas podem atravessar a placenta e infectar o seu bebê. Além disso, as DSTs são perigosas e podem causar partos prematuros, abortos espontâneos ou infecções no trato urinário.

Listamos abaixo as doenças sexualmente transmissíveis mais comuns:

  • Clamídia;
  • Hepatite B;
  • Herpes;
  • Sífilis;
  • Gonorreia;
  • HPV;
  • HIV / AIDS.

Algumas DSTs podem não apresentar sintomas, e é por isso que você deve consultar o seu médico o mais rápido possível se suspeitar de uma possível infecção.

Como posso evitar as DSTs?

É difícil evitá-las se você ou seu parceiro fizerem sexo com outras pessoas ou usarem drogas intravenosas. Você pode usar preservativos para diminuir os riscos de contrair DSTs, mas, mesmo assim, é possível ser infectada. É por isso que as relações sexuais monogâmicas são a melhor maneira de reduzir os riscos.

Infecção do trato urinário: riscos durante a gravidez

Uma infecção urinária pode provocar uma infecção na bexiga ou no rim se não for tratada a tempo. A infecção renal, um tipo de infecção urinária, pode ser prejudicial à gravidez e, portanto, deve ser identificada e tratada rapidamente. Exames de urina podem detectar essas infecções, portanto, realizá-los é muito importante durante a gravidez.

Listamos abaixo alguns tipos de infecções urinárias:

  • Infecção da bexiga ou cistite. Muito comum entre mulheres jovens que são sexualmente ativas;
  • Infecções do trato urinário. Não são graves se tratadas a tempo. Alguns sintomas podem incluir sensação de ardor ao urinar, dor ou pressão nas costas ou no abdômen inferior e urina turva ou de odor estranho. Mesmo que, geralmente, não apresentem tantos riscos, as infecções do trato urinário podem evoluir para infecções renais, representando uma ameaça maior para gestantes. Portanto, se você tiver febre ou sentir calafrios, consulte o seu médico, pois esses sinais podem indicar infecção renal.
  • Infecção nos rins. Não é comum durante a gravidez. Essa infecção pode ser grave, pois aumenta os riscos de parto prematuro e de o bebê nascer com baixo peso. A infecção também pode se espalhar para a corrente sanguínea da mãe e prejudicar sua saúde.

As infecções urinárias têm sintomas semelhantes: necessidade constante de urinar, dor durante o sexo, sensação de queimação ao urinar e dor no baixo-ventre. As infecções renais têm sintomas diferentes, tais como: vômito, náuseas, dor lombar e febre alta. Se você apresentar algum dos sintomas acima, certifique-se de entrar em contato com o seu médico.

O papel dos hormônios durante a gravidez

Os hormônios são os principais causadores das mudanças físicas que ocorrem durante a gravidez. Cada hormônio liberado tem um propósito para um estágio específico da gestação. A flutuação hormonal também pode causar alterações de humor na gestante.

Os principais hormônios presentes durante a gravidez são:

  • Progesterona: estimula a espessura do tecido do útero para se preparar para o óvulo fertilizado, permitindo o desenvolvimento do bebê dentro útero durante os 9 meses de gravidez;
  • Gonadotrofina coriônica humana (Beta hCG): é encontrada na corrente sanguínea da mãe e estimula a produção de estrogênio e progesterona. A presença desse hormônio confirma a gravidez;
  • Ocitocina: hormônio responsável pelas contrações e pelos laços afetivos entre a mãe e o bebê;
  • Prolactina: estimula as glândulas mamárias em preparação para a amamentação;
  • Estrogênio: é maior durante a gravidez, produzindo mudanças no corpo, na pele, nos cabelos e nas unhas.

Você pode se sentir extremamente sensível e receptiva às emoções e necessidades de outras pessoas durante a gravidez. A flutuação hormonal gera uma montanha-russa de emoções, de modo que rir ou chorar sem motivo aparente pode acontecer com frequência. Você também pode ficar mais “esquecida” durante o dia. No entanto, os especialistas acreditam que isso se deve ao fato de você estar mais atenta às necessidades do seu bebê, de modo que outras coisas se tornam irrelevantes. Os hormônios desempenham um papel importante na gravidez. Conhecer o propósito de cada um deles pode ajudá-la a compreender melhor suas reações emocionais.

Alterações no cérebro durante a gravidez

Estudos demonstraram que os cérebros das mulheres mudam durante a gravidez. Cada mudança tem um propósito específico. Uma dessas mudanças é que o cérebro tem seu tamanho reduzido em aproximadamente 7%, o que pode estar relacionado a mudanças estruturais ou novas conexões neurais.

Pesquisas mostraram que as áreas responsáveis pelo afeto são ativadas, e as responsáveis pelo julgamento são desativadas. É por isso que as mães são menos propensas a julgar seus filhos. Muitas mulheres grávidas se sentem mais distraídas durante a gravidez. No entanto, estudos mostraram que a maternidade estimula a inteligência; portanto, uma mulher que está grávida experimenta mudanças positivas. De acordo com especialistas, a distração resulta do fato de a gestante prestar mais atenção ao que está fazendo e, portanto, ser capaz de notar mais essas distrações.

Alterações hormonais são bastante evidentes durante a gravidez. O aumento dos níveis de progesterona reduz a produção de cortisol, que protege o bebê de ser afetado pelo estresse da mãe. Além disso, o aumento dos níveis de ocitocina ajuda a criar confiança e laços afetivos entre a mãe e o bebê. Os níveis de ocitocina aumentam durante o parto para diminuir a dor, e durante a amamentação para fornecer leite ao bebê.

Como se essas mudanças não fossem suficientes, os sentidos de alerta, como o olfato e a audição, ficam mais aguçados durante e após a gravidez. Isso ajuda a mãe a distinguir o choro de seu bebê de outros, e a perceber quando ele está em perigo.

Cada uma dessas mudanças no cérebro permite que a mãe seja capaz de cuidar melhor do seu bebê. O apego e a conexão entre a mãe e o bebê têm início durante a gravidez, e aumentam à medida que o bebê nasce e cresce.