Como desencorajar os comportamentos negativos da criança

Todos nós fazemos isso no dia a dia – reforçamos, acidentalmente, os comportamentos de que não gostamos. A boa notícia é que não é tarde demais para mudar isso! Com os nossos filhos, principalmente os menores de 5 anos, as atitudes realmente falam mais alto do que as palavras. Seu filho responderá ao que você faz mil vezes mais do que ao que você diz (* veja o gráfico acima). Então, sim, você pode dizer “nós não jogamos”, mas essas palavras não significarão nada se as suas ações não forem correspondentes. Se o comportamento indesejado do seu filho foi eficaz em satisfazer as necessidades dele, ele continuará. Assim, no exemplo acima, ao invés vez de jogar a tigela para conseguir mais comida, ele deverá lhe entregar a tigela, dizer “quero mais” ou apontar para a comida que deseja. Não devemos encher a tigela até que a criança imite o comportamento que ensinamos e demonstramos.

Vamos dar uma olhada em alguns exemplos da vida real.

Continue lendo

Como incorporar a leitura na rotina do seu filho

Os primeiros anos de vida de uma criança são um tempo de crescimento e aprendizado exponencial. Isso é especialmente verdadeiro quando se trata do desenvolvimento da linguagem de uma criança em idade pré-escolar. Dedicar alguns minutos do dia para ler com o seu filho é uma ótima maneira de estimular o desenvolvimento de sua linguagem, além de uma ótima forma de passar tempo de qualidade com ele!

Quer incorporar a leitura à rotina diária do seu filho? Confira estas dicas:

Continue lendo

5 dicas de uma terapeuta de linguagem para estimular a fala do seu filho

Aqui estão algumas dicas sobre como trabalhar as habilidades de fala do seu filho. Você pode verificar essas e muitas outras ideias no guia para pais de Molly: “The Speech Teacher’s Handbook”. Ela escreveu este guia para dividir com os pais algumas ideias práticas e divertidas que podem ser incluídas em suas rotinas diárias.

Eu vejo, você vê
A primeira coisa que você deve fazer é olhar para o ambiente do seu filho. Se for possível alcançar seus brinquedos favoritos ou outros objetos do dia a dia sem ter que pedir ajuda, ele não irá interagir com você. Comece a colocar, pouco a pouco, uma ou duas coisas fora do seu alcance ou dentro de um recipiente transparente que o seu filho não consiga abrir sozinho. O objetivo é permitir que ele veja os objetos, mas necessite da sua ajuda para pegá-los, assim você estará criando novas oportunidades de interação. Além disso, isso lhe ajuda a descobrir se o seu filho é capaz ou não de identificar os objetos do dia a dia. Muitas vezes nos concentramos na capacidade das crianças de nomear os objetos, e esquecemos que, para elas conseguirem isso, elas primeiro devem ser capazes de identificá-los. Seu filho usará essas habilidades quando você pedir a ele para encontrar algo em seu quarto, tocar uma imagem específica em uma página de um livro ou apontar para alguma parte do corpo.

Continue lendo

Tudo está conectado: a relação entre as interações sociais e a coordenação motora

Quando falamos sobre os aspectos da experiência humana, tendemos a organizá-los em áreas e partes específicas de acordo com suas características. Isso é especialmente verdadeiro na psicologia do desenvolvimento, mas dividir o desenvolvimento da primeira infância em diferentes áreas e habilidades não quer dizer que elas não sejam interligadas, conectadas, ou mesmo dependentes umas das outras.

Algumas das conexões entre as habilidades de desenvolvimento são bastante intuitivas, como a ligação entre a capacidade das crianças de falar e comunicar suas necessidades e desejos e sua inteligência emocional. A vida se torna consideravelmente mais fácil quando conseguimos nos expressar e nos conectar com os outros. No entanto, outras associações são surpreendentes, como aquelas entre as habilidades físicas e o desenvolvimento das áreas cognitivas e socioafetivas.

Continue lendo

Como incentivar o interesse do seu filho pela descoberta, arte e ciência!

Depois de nascer, cada descoberta é uma nova aventura para o seu filho! O ambiente em que ele cresce afeta suas experiências e influencia diretamente no seu desenvolvimento. Continue lendo para encontrar sugestões eficazes sobre como estimular a mente do seu pequeno gênio!

Você notará que o seu filho é aventureiro e fica empolgado com tudo, especialmente quando é alguma novidade. Quando estamos interessados ou motivados em relação a alguma coisa, a dopamina é liberada dentro do nosso cérebro. E, quando isso acontece, é mais provável que nos lembremos da atividade que estamos fazendo porque, após a liberação de dopamina, o cérebro se sente recompensado. Quando reforçamos nosso cérebro com resultados positivos, o centro de recompensas nos ajudará a lembrar dessa atividade e manter nossos cérebros motivados.

Continue lendo

O que você deve saber sobre as vitaminas pré-natais e pós-natais

Você está grávida ou acabou de dar à luz? É provável que, em breve, você comece a procurar por vitaminas pré-natais ou pós-natais para obter os nutrientes que você e o seu bebê precisam para ter uma boa saúde. Uma dieta saudável é a melhor maneira de obter as vitaminas e minerais que o seu corpo necessita. No entanto, mesmo que você esteja se alimentando de forma saudável, você pode ter uma redução nos níveis de alguns nutrientes essenciais – é aí que entram os suplementos.

Durante a amamentação, seu corpo precisa de uma quantidade maior de todos os nutrientes que uma dieta bem equilibrada pode oferecer. Tomar vitaminas pré-natais mesmo após o nascimento do seu bebê é uma opção recomendada. Elas funcionam bem como vitaminas pós-natais, já que o seu leite continuará a fornecer nutrientes importantes para o seu bebê. Certifique-se de que seus suplementos incluam nutrientes essenciais, como ácido fólico, ferro, vitamina D, óleo de peixe e cálcio.

Continue lendo

Como promover o autocontrole e a autorregulação no meu filho?

Em suas aventuras como mãe ou pai, você irá se deparar com uma grande variedade de momentos típicos infantis que se resumem, basicamente, a um fator: o autocontrole – ou, na maioria das vezes, a falta dele. Primeiro, quando falamos de autocontrole, estamos nos referindo à habilidade de inibir impulsos fortes (como fugir ou morder um amigo). Por outro lado, a autorregulação tem a ver com a redução da frequência e da intensidade desses impulsos por meio de sua administração adequada (por exemplo, a capacidade de resistir aos doces). De certo modo, a autorregulação é o que torna o autocontrole possível. Então, o que podemos fazer para ensinar aos nossos filhos esse conjunto de habilidades tão importantes?

Continue lendo