Pragmática: ensinando habilidades de comunicação social

Às vezes, nos esquecemos de falar sobre um componente muito importante da linguagem: a pragmática, ou as regras de uso dependendo da situação e dos interlocutores. Também conhecida como comunicação social, a pragmática inclui expressões faciais, gestos, o que é dito e quando é dito. Conhecer e seguir essas regras é essencial para uma comunicação eficaz entre as pessoas.

Existem três importantes habilidades de comunicação social que você pode ensinar ao seu filho:

Continue lendo

Marcos da linguagem: respondendo a perguntas simples

Certamente você já se perguntou quando o seu filho começará a responder verbalmente as suas perguntas. Não é tão simples quanto parece! Fazer isso exige que o seu filho entenda o que você está pedindo, processe a pergunta, formule uma resposta e, em seguida, comunique-a verbalmente. Como tudo depende da pergunta e da idade da criança, é uma boa ideia saber que tipo de perguntas você pode fazer em cada estágio do desenvolvimento.

Continue lendo

Marcos da linguagem: falando no plural

Quando o plural de um substantivo é usado, indicamos que estamos falando de mais de uma pessoa ou objeto. Na maioria das vezes, a forma plural dos substantivos é formada pela adição de um “s” no final. Este é o plural regular. Muitas crianças dominam essa regra entre 27 e 36 meses de idade. Quando começam a usar plurais, muitas crianças os usam em palavras que utilizam com frequência. Com o passar do tempo, elas extrapolam a regra para outros substantivos. Isso pode levar ao uso incorreto do plural, como quando dizem “mamãos” ao invés de “mamões”.

Continue lendo

Marcos da linguagem: aprendendo a usar pronomes

Pronomes são palavras =usadas para substituir nomes ou substantivos. Eles fornecem informações sobre o gênero e o número de pessoas ou objetos aos quais você está se referindo. Existem diferentes tipos de pronomes. Os pronomes pessoais retos – como eu, tu, ele, nós, vós e eles – servem como sujeitos de uma oração. Por exemplo, “nós fomos ao parque”. Por outro lado, pronomes pessoais oblíquos – como me, te, se, nos, vos – são usados como complementos (objetos diretos ou indiretos) em frases. Por exemplo, “o bebê me ama muito”. Normalmente, as crianças aprendem a usar pronomes pessoais retos antes dos oblíquos, mas, quando completam três anos, já usam os dois.

Continue lendo

Dicas para ter conversas significativas com o seu filho

Você certamente conversa com o seu filho todos os dias, alguns até dirão que você fala com ele o dia todo! Mas essa fala é realmente uma conversa? Uma conversa envolve a troca recíproca de ideias entre duas ou mais pessoas. Se o seu filho disser alguma coisa, primeiro ouça-o. Depois, responda enquanto ele presta atenção. Dê a ele tempo para formular a resposta e assim por diante, em uma comunicação de mão dupla. As conversas podem ser sobre qualquer coisa, desde o personagem favorito dele até os planos de vocês para o fim de semana. O mais importante é conversar com o seu filho, e não ter um monólogo com ele.

Ter conversas significativas aumentará a confiança e a autoestima do seu filho, porque ele saberá que você se importa e que está interessado em conhecer as ideias e emoções dele. Ele também aprenderá a se comunicar de maneira eficaz, enquanto expande o vocabulário e desenvolve as habilidades linguísticas. Aqui estão algumas dicas para as conversas fluírem:

Continue lendo

Meninos e meninas desenvolvem a linguagem de forma diferente. Entenda!

É bem sabido que as meninas tendem a ter habilidades linguísticas superiores às dos meninos, e, por um tempo, não ficou muito claro o motivo e no que seus cérebros diferem. Em 2008, alguns cientistas estudaram a atividade cerebral de meninos e meninas, e os resultados mostraram que, quando realizavam tarefas linguísticas, as áreas cerebrais associadas à linguagem eram mais ativas nas meninas porque, de fato, elas usavam várias áreas do cérebro para completar as tarefas.

Continue lendo

Marcos da linguagem: outras pessoas já entendem o que meu filho diz!

Com certeza houve um momento da vida em que só você era capaz de entender o que o seu filho dizia. Na verdade, nem deve fazer tanto tempo assim! Mas, com tempo e prática, a pronúncia do seu filho melhorou o suficiente para que, agora, outras pessoas possam entendê-lo.

Esse marco do desenvolvimento da linguagem, como muitos outros, é alcançado gradualmente; as pessoas de fora da família não entenderão o que o seu filho tenta dizer de uma hora para a outra. Para muitas crianças, esse marco é alcançado por volta do terceiro aniversário, mas o desenvolvimento da linguagem é um processo muito variável nessa idade, então pode acontecer mais cedo ou mais tarde. Entender o seu filho é uma conquista que será não apenas emocionante para você e outros adultos, mas também muito importante para o bem-estar social e emocional dele. Ser capaz de se comunicar com o resto do mundo abrirá as portas para muitos novos aprendizados!

Continue lendo

Dicas para ensinar habilidades de escuta

À medida que o vocabulário do seu filho se expande, ele será capaz de entender uma linguagem mais complicada sobre diferentes assuntos. Além disso, ele conseguirá entender o significado de frases mais complexas e mais longas, como instruções de três etapas. No entanto, às vezes, o difícil será captar a atenção do seu filho para que ele ouça e compreenda o que você diz. Ouvir é uma habilidade muito importante, que está inter-relacionada com o desenvolvimento linguístico e, como qualquer outra habilidade, deve ser praticada e aperfeiçoada.

Aqui estão algumas dicas para ajudar o seu filho (e você) em casa:

Continue lendo

As interações de qualidade estimulam o desenvolvimento linguístico

Você provavelmente já ouviu falar que a melhor maneira de estimular o desenvolvimento da linguagem do seu filho é conversar com ele o tempo todo. E o conselho está certo. Vários estudos mostraram que as crianças que ouvem mais palavras em casa têm melhores habilidades linguísticas e desempenho acadêmico. No entanto, pesquisas recentes descobriram que o que realmente faz a diferença não é o número de palavras, mas a forma com a qual você interaje com o seu filho.

Um estudo conduzido pela doutora Katy Kirsh-Pasek, da Temple University, analisou 60 famílias de baixa renda e como os pais interagiam com os filhos quando brincavam ou liam um livro. Os pesquisadores estudaram as gravações de 60 mães brincando com seus filhos de dois anos e contaram o número de palavras faladas durante essas interações. Em seguida, eles compararam essas interações com as habilidades linguísticas das crianças até os três anos de idade. Os resultados mostraram que a qualidade da interação entre mãe e filho teve muito mais peso do que o número de palavras faladas. As crianças com melhores habilidades linguísticas tiveram interações que envolveram:

Continue lendo

Marcos da linguagem: aprendendo a usar verbos

As primeiras palavras das crianças geralmente são substantivos, coisas como mamãe, papai ou bola, porque são as palavras que representam as coisas ou as pessoas. No entanto, depois de dois anos, as crianças começam a incorporar verbos e palavras de ação, como “ir”, “vir” e “brincar” ao seu vocabulário.

Este é um marco importante para o desenvolvimento linguístico, pois indica que uma criança está pronta para construir suas primeiras frases. A aquisição da linguagem varia muito entre as crianças, e é difícil prever quantos verbos elas usarão quando atingirem dois ou três anos. Normalmente, nessa idade, elas usam alguns verbos, e daí em diante seu vocabulário se expande.

Aqui estão algumas ideias sobre como se certificar de que o vocabulário crescente do seu filho inclua verbos:

Continue lendo