Category Archives: Meu Bem-estar

Toxoplasmose: causas e prevenção

O protozoário toxoplasma gondii é responsável pela toxoplasmose, uma infecção que pode penetrar na placenta, ser transmitida ao seu bebê e, portanto, ser perigosa durante a gravidez. Durante o terceiro trimestre, essa infecção tende a ser arriscada, pois é quando o bebê tem o maior risco de ser infectado. Portanto, tome precauções para evitá-la e cuide da saúde do seu bebê.

Como a toxoplasmose é transmitida?

Continue lendo

O parto está se aproximando, conheça os sinais

Seu corpo começará a se preparar para o nascimento do seu bebê algumas semanas antes do parto. Mesmo que seja impossível saber o momento exato com antecedência (seu médico consegue apenas estimar a data), existem alguns sinais que podem ajudá-la a descobrir que você está entrando em trabalho de parto. No entanto, mesmo com esses sintomas presentes, pode ser apenas um alarme falso.

Listamos abaixo alguns sintomas que podem ocorrer antes do parto:

Continue lendo

Candidíase vaginal: causas e prevenção

A candidíase vaginal é uma infecção causada pelo crescimento do fungo Candida em suas paredes vaginais. Ter uma pequena quantidade desses fungos é completamente normal. No entanto, você pode desenvolver uma infecção se eles se multiplicarem demais.

Essa infecção é comum durante a gravidez, devido aos altos níveis de estrogênio e, portanto, maior produção de glicogênio na vagina (o glicogênio favorece o crescimento do fungo).

Os sintomas mais comuns da candidíase vaginal são: corrimento vaginal espesso, sensação de queimação ao urinar, dor, vermelhidão e coceira ao redor da vagina ou dos lábios. Se você sentir algum destes sintomas, consulte o seu médico para fazer um exame. Conversar com um profissional antes de se medicar é muito importante, pois esses sintomas podem ser confundidos com outros tipos de infecções, como doenças sexualmente transmissíveis.

Essa infecção não é prejudicial para o bebê. No entanto, ela pode ser transferida ao bebê durante o parto. Se isso acontecer, ela pode ser tratada sem problemas.

Como posso prevenir a candidíase vaginal?

  • Evite umidade na área genital;
  • Use calcinhas de algodão;
  • Evite usar calças sintéticas;
  • Tente dormir sem calcinha para ventilar melhor a área genital;
  • Lave os genitais com água e evite duchas vaginais.

Doenças sexualmente transmissíveis durante a gravidez

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) são causadas por vírus e bactérias transmitidos por meio do sexo anal, oral ou genital com uma pessoa infectada. Algumas doenças, como a hepatite B, também podem ser transmitidas por meio de agulhas e aparelhos de barbear ou pelo contato com o sangue da pessoa infectada.

É importante ter um cuidado especial durante a gravidez para prevenir as DSTs, pois algumas delas podem atravessar a placenta e infectar o seu bebê. Além disso, as DSTs são perigosas e podem causar partos prematuros, abortos espontâneos ou infecções no trato urinário.

Listamos abaixo as doenças sexualmente transmissíveis mais comuns:

  • Clamídia;
  • Hepatite B;
  • Herpes;
  • Sífilis;
  • Gonorreia;
  • HPV;
  • HIV / AIDS.

Algumas DSTs podem não apresentar sintomas, e é por isso que você deve consultar o seu médico o mais rápido possível se suspeitar de uma possível infecção.

Como posso evitar as DSTs?

É difícil evitá-las se você ou seu parceiro fizerem sexo com outras pessoas ou usarem drogas intravenosas. Você pode usar preservativos para diminuir os riscos de contrair DSTs, mas, mesmo assim, é possível ser infectada. É por isso que as relações sexuais monogâmicas são a melhor maneira de reduzir os riscos.

Infecção do trato urinário: riscos durante a gravidez

Uma infecção urinária pode provocar uma infecção na bexiga ou no rim se não for tratada a tempo. A infecção renal, um tipo de infecção urinária, pode ser prejudicial à gravidez e, portanto, deve ser identificada e tratada rapidamente. Exames de urina podem detectar essas infecções, portanto, realizá-los é muito importante durante a gravidez.

Listamos abaixo alguns tipos de infecções urinárias:

  • Infecção da bexiga ou cistite. Muito comum entre mulheres jovens que são sexualmente ativas;
  • Infecções do trato urinário. Não são graves se tratadas a tempo. Alguns sintomas podem incluir sensação de ardor ao urinar, dor ou pressão nas costas ou no abdômen inferior e urina turva ou de odor estranho. Mesmo que, geralmente, não apresentem tantos riscos, as infecções do trato urinário podem evoluir para infecções renais, representando uma ameaça maior para gestantes. Portanto, se você tiver febre ou sentir calafrios, consulte o seu médico, pois esses sinais podem indicar infecção renal.
  • Infecção nos rins. Não é comum durante a gravidez. Essa infecção pode ser grave, pois aumenta os riscos de parto prematuro e de o bebê nascer com baixo peso. A infecção também pode se espalhar para a corrente sanguínea da mãe e prejudicar sua saúde.

As infecções urinárias têm sintomas semelhantes: necessidade constante de urinar, dor durante o sexo, sensação de queimação ao urinar e dor no baixo-ventre. As infecções renais têm sintomas diferentes, tais como: vômito, náuseas, dor lombar e febre alta. Se você apresentar algum dos sintomas acima, certifique-se de entrar em contato com o seu médico.

Ansiedade durante a gravidez

A ansiedade é muito comum entre as gestantes devido às dúvidas e incertezas em relação à gravidez, às preocupações relacionadas com o futuro bebê e aos medos relacionados ao parto. Além disso, mudanças físicas e hormonais podem provocar alterações de humor e aumentar os níveis de estresse das grávidas.

Quais são os sintomas da ansiedade?

  • Dificuldades respiratórias;
  • Dor de estômago;
  • Dor de cabeça;
  • Hipertensão;
  • Sudorese e aumento da frequência cardíaca.

Por que a ansiedade deve ser reduzida durante a gravidez?

O estresse pode ser prejudicial caso esteja presente por longos períodos, pois produz altos níveis de cortisol no corpo. Se o nível de cortisol ficar elevado por muito tempo, ele pode elevar a sua pressão arterial e prejudicar a sua memória e o seu sistema imunológico.

Ainda não há informações concretas sobre como o estresse prolongado afeta futuros bebês. No entanto, estudos mostraram que alguns problemas de desenvolvimento, como o parto prematuro, abortos espontâneos, distúrbios de atenção e atrasos na linguagem têm sido associados com o estresse durante a gravidez.

Como posso diminuir a ansiedade?

Existem alguns exercícios que você pode fazer para controlar os ataques de ansiedade durante a gravidez. Por exemplo, exercícios de respiração e Yoga pré-natal. Fazer esses exercícios trará muitos benefícios para a sua saúde e o seu bem-estar, além de melhorar a sua circulação sanguínea e eliminar as toxinas.

O Método Canguru para bebês prematuros

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15 milhões de bebês nascem prematuramente a cada ano. Para um bebê ser considerado prematuro, ele deve nascer antes da 37ª semana de gestação. De acordo com os centros de controle e prevenção de doenças dos Estados Unidos, bebês prematuros têm um risco maior de sofrer de doenças respiratórias, deficiências mentais, entre outras complicações. Até mesmo suas vidas estão em risco devido à falta de intervenção, recursos e cuidados intensivos fornecidos em algumas unidades de saúde. No entanto, estudos mostraram que esses riscos diminuem quando os bebês recebem contato físico por várias horas por dia.

O Método Canguru caracteriza-se pela mãe segurando o bebê pele a pele, mantendo contato total do corpo dele com o dela. As costas do bebê devem ser cobertas com um cobertor para mantê-lo aquecido. Estudos mostram que esse método melhora os sinais vitais e o desenvolvimento dos bebês prematuros, podendo até salvar suas vidas.

Por que isso funciona? Estudos sugerem que o desenvolvimento dos bebês e certos sistemas corporais, como a frequência cardíaca, são sensíveis ao contato materno. Portanto, quando os bebês nascem prematuramente, o desenvolvimento desses sistemas é interrompido. O Método Canguru é capaz de simular o ambiente do útero, proporcionando o calor e o contato materno que os bebês supostamente recebem quando estão se desenvolvendo no útero.

Atualmente, sabemos como é importante para um bebê – especialmente se ele for prematuro – receber muito contato físico. Devido aos seus enormes benefícios, os especialistas sugerem que as mães pratiquem o Método Canguru em todos os bebês, prematuros ou não.

Depressão pós-parto

É completamente normal se sentir triste, irritada, ansiosa ou chorosa alguns dias após o parto. Se você se sentir assim, não se preocupe! O cansaço, as alterações hormonais e o estresse podem levar a sentimentos relacionados com a tristeza ou com a vulnerabilidade emocional, que geralmente desaparecem em poucos dias. No entanto, em alguns casos, esses sentimentos podem persistir por mais tempo – pode ser um caso  de depressão pós-parto. Se isso acontecer com você, o melhor a se fazer é procurar a ajuda de um especialista.

Listamos alguns sintomas de depressão pós-parto comuns em novas mães:

  • Tristeza e choro;
  • Dificuldade para dormir;
  • Ansiedade;
  • Irritabilidade;
  • Dor física;
  • Cansaço / fadiga;
  • Mudanças nos hábitos alimentares;
  • Falta de foco;
  • Sentimento de culpa / medo de machucar o bebê.

Avalie seus sentimentos como fortes ou fracos, se eles duram muito ou não, e se você os sente com pouca ou muita frequência para identificar se você precisa de apoio profissional. Enquanto isso, você pode fazer o seguinte para se sentir melhor: compartilhar seus sentimentos, praticar exercícios físicos, descansar, passear e fazer refeições e lanches saudáveis.

Fatores de risco ambientais

A exposição pré-natal a metais pesados, radiação, plásticos e pesticidas pode causar anomalias congênitas e até mesmo afetar o desenvolvimento físico e cognitivo dos bebês. Tomar precauções e cuidados em relação a esses fatores de risco é importante durante a gravidez. No entanto, não é possível evitá-los completamente. A exposição a pequenas doses provavelmente não causará nenhum dano ao seu bebê, portanto, não se apavore – o importante é que você esteja ciente dos riscos e tome precauções para proteger o seu bebê.

Depois do acidente nuclear em Chernobyl no ano de 1986, a radiação teve um impacto negativo no DNA das pessoas, e os casos de síndrome de Down e de leucemia aumentaram na Alemanha e na Suécia. Estudos também mostraram que a exposição à radiação pode afetar o desenvolvimento neural dos bebês, especialmente durante o primeiro e o segundo trimestres. Ela também pode causar problemas de crescimento e problemas nos ossos, na retina, etc.

Os metais pesados, como o mercúrio e o chumbo, também podem ser tóxicos e causar atrasos no crescimento ou déficits neurais. O mercúrio é encontrado na maioria dos peixes e frutos do mar e entra na placenta quando é ingerido. Para evitar elementos perigosos em sua alimentação, é muito importante estar atenta à sua dieta e às atividades que você realiza durante a gravidez. O chumbo está presente em muitos objetos, como pigmentos, cabos, e até mesmo brinquedos.

O plástico também pode prejudicar os pulmões, os rins, os testículos e o fígado do seu bebê. Os plásticos mais perigosos e possivelmente carcinogênicos são: 3 (PVC) usado para amaciar o plástico, 6 (PS) usado em bandejas, coberturas, isolamento ou outros materiais de construção e 7 (BPA), normalmente usado em mamadeiras.

Por fim, os pesticidas também podem alterar o desenvolvimento do seu bebê. Todos os anos, mais de 2.000 produtos químicos são introduzidos no mercado sem terem passado por testes laboratoriais adequados. Acredita-se que esses produtos químicos afetam o desenvolvimento de várias espécies, incluindo a nossa. Se você está grávida, mantenha-se longe dos campos agrícolas; é melhor prevenir do que remediar!

A importância do exame para estreptococo do grupo

O estreptococo do grupo B (EGB) é uma bactéria encontrada no trato digestivo. Cerca de 10% a 30% das pessoas que possuem a bactéria não são afetadas por ela. No entanto, ela pode prejudicar o seu bebê se for transmitida durante o parto. O EGB pode causar infecções no sangue, no pulmão ou no cérebro. Felizmente, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado antes do nascimento podem impedir que o seu bebê seja contaminado.

O exame para EGB é feito algumas semanas antes do parto. Se o resultado for positivo, um antibiótico será administrado. Além disso, recomendações serão dadas para evitar que seu bebê seja infectado por meningite ou septicemia. De acordo com um estudo publicado pela Sociedade Americana de Microbiologia, essa bactéria é prejudicial para os bebês, já que pode sofrer mutações após ser transmitida pela mãe e prejudicar o sistema imunológico do bebê.

É muito importante fazer o exame para EGB durante as últimas semanas da gestação para saber se você é portadora. Lembre-se de que o diagnóstico precoce é a melhor maneira de prevenir riscos e assegurar que o seu bebê tenha um desenvolvimento saudável. Não se esqueça de fazer o exame para EGB algumas semanas antes do nascimento do seu bebê!