Category Archives: Estimulação pré-natal

Estimulação pré-natal: a importância de encontrar o que é adequado para você

Ultimamente, muitos blogs ou redes sociais sobre pré-natal foram inundados com publicações que falam sobre os benefícios do uso de métodos de estimulação pré-natal mais diretos e ativos, que ajudam a promover o desenvolvimento do bebê. Existem muitas ideias e programas que se concentram nisso, mas é importante que você escolha uma que tenha base científica e com a qual se sinta confortável.

Há muitos estudos que promovem métodos de estimulação pré-natal como contar histórias, tocar música ambiente ou sair para tomar sol, pois são atividades simples e divertidas para você e para o seu bebê.

Por outro lado, há outros programas de estimulação que tomam muito tempo ou são muito invasivos para o bebê. Por exemplo, cutucar a sua barriga todos os dias em intervalos regulares ou direcionar uma caixa de som para o seu abdômen e tocar música por várias horas durante o dia. Quando se trata de estimulação pré-natal, cientistas afirmam que “quanto mais, melhor” não se aplica. Ao invés disso, é melhor ser seletivo. Mesmo que você tenha a melhor das intenções, tocar música em um volume alto ou iluminar a barriga o dia todo alterará os ciclos naturais de sono do bebê. E tentar encaixar um programa de estimulação de seis horas por dia em sua agenda pode ser estressante.

Estamos muito felizes por você estar tão comprometido e querer estimular o seu bebê agora. Há muitos recursos, programas e atividades disponíveis para incentivar o desenvolvimento do seu filho nos próximos nove meses. No Kinedu você encontrará muitas idéias. Então, não se preocupe se você perdeu a hora de colocar Mozart para o bebê por estar com seus amigos, ou se você já está cansado de ouvir repetidamente aquele audiolivro francês que, de acordo com seu primo, ajudará seu filho a ser poliglota quando ele for mais velho. O mais importante para o seu bebê é que você crie um ambiente pré-natal saudável e feliz com o qual você fique calma e que lhe permita dedicar mais tempo ao seu filho.

Sem comparações: cada gravidez é uma experiência única

Talvez você acabe comparando sua barriga com a de uma amiga que também está grávida ou, se você já tiver filhos, note algumas diferenças entre sua primeira gravidez e a atual. Você pode estar se perguntando o motivo do seu bebê estar chutando tão forte, pois o anterior deu apenas batidinhas bem leves, ou da sua barriga estar mais alta ou mais baixa do que a da sua amiga, ou de não estar com aquele desejo de comer manga com pimenta que você teve na primeira gravidez. Lembre-se de que cada criança é diferente, e o mesmo se aplica a cada gravidez! Há muitos fatores que contribuem para que as mulheres tenham experiências diferentes durante a gravidez, como vivências anteriores, fatores genéticos ou estilos de vida. Na verdade, a forma da sua barriga não é um indicador do que mais importa: a saúde do seu bebê. Se o seu médico estiver tranquilo, você pode ter certeza de que algumas diferenças entre e sua gravidez e as outras são perfeitamente normais.

Diz-se que as crianças desfrutam de benefícios especiais ou vantagens de desenvolvimento graças à interação com seus irmãos, mas você sabia que isso também acontece na vida do bebê dentro do útero? Uma pesquisa do Departamento de Saúde Materna e Infantil da Universidade Johns Hopkins descobriu que o segundo ou os bebês subsequentes podem desenvolver uma maior experiência motora dentro do útero e, portanto, são crianças mais ativas. Isso acontece porque os bebês começam a explorar seus arredores desde muito cedo. Foi documentado que, durante o último trimestre da gestão, os bebês lambem a parede uterina e começam a caminhar pelo útero, empurrando com os pés. Como após a primeira gravidez, seu útero é maior e o cordão umbilical mais longo, seu próximo filho terá mais espaço para se mover!

Os reflexos do meu bebê

Mesmo que pareça que o seu bebê está confortável apenas crescendo dentro do útero e nada mais, ele também está desenvolvendo alguns comportamentos automáticos e respostas sensoriais que o ajudarão a interagir com o mundo durante os primeiros quatro ou cinco meses após o nascimento. Essas habilidades são chamadas de “reflexos do recém-nascido” e, embora alguns deles ocorram espontaneamente como parte da rotina dele, outros são respostas a ações ou estímulos específicos.

De acordo com o Sistema de Saúde Infantil de Stanford, alguns reflexos do recém-nascido já são ensaiados dentro do útero:

• Reflexo de busca: ajuda o bebê a encontrar o seio ou a mamadeira imediatamente após o nascimento. Quando a bochecha do bebê for tocada, ele virará a cabeça na direção do toque, procurará a fonte de comida e começará a sugar.

• Reflexo de sucção: esta é a resposta para qualquer coisa que toque o céu da boca do seu bebê. É por isso que recém-nascidos têm o reflexo de levar o pé até a boca e sugar os dedos.

• Reflexo de preensão: quando a palma da mão do bebê é tocada, ele responde fechando os dedos ao redor do dedo do adulto.

• Reflexo de marcha: se o bebê for mantido em pé e seus pés tocarem uma superfície, ele começará a dar passos como se estivesse dançando.

Na 32ª semana de gestação, seu bebê terá desenvolvido esses reflexos que serão úteis após o nascimento. Talvez você até consiga ver ele chupando um dedo no ultrassom, o que causará uma “explosão de fofura”, mas isso é assunto para outra publicação deste blog…

O cérebro do meu bebê e eu

“O comportamento não começa no nascimento, começa mais cedo e se desenvolve de maneira previsível.” – Janet DiPietro, do Departamento de Saúde Materna e Infantil da Universidade Johns Hopkins

Você sabia que o cérebro do seu bebê se desenvolve mais rápido durante as 40 semanas de gravidez do que em qualquer outro momento da vida dele? Por isso sabemos o quão perfeito para o desenvolvimento é o ambiente dentro do seu ventre!

De fato, vários cientistas descobriram que, no terceiro trimestre da gravidez, seu filho já tem o sono REM (Movimento Rápido dos Olhos, ou Rapid Eyes Movemont em inglês) característico dos estados em que se está sonhando. Eles especulam que os bebês sonham com o que conhecem: as sensações intrauterinas, as vibrações do coração e a voz da mãe. Embora um bebê passe de 90 a 95% do tempo dormindo, muitas coisas acontecem durante os longos cochilos restauradores!

Os bebês não apenas reconhecem e lembram das vozes de suas mães, mas também identificam padrões. Os recém-nascidos tendem a gostar mais das histórias que ouviram quando ainda estavam no útero, em comparação com as que são contadas depois de terem nascido. Eles também preferem o som da voz da mãe ao falar em sua língua nativa, ao invés de quando pronunciam palavras estrangeiras. Sim, seu filho te conhece tão bem que percebe quando você faz algo diferente, como cantar aquela música da Shakira em espanhol! Os psicólogos afirmam que isso não significa que o seu filho nascerá pronto para aprender chinês, mas sim que ele responde às cadências e ritmos sonoros aos quais foi exposto.

Enquanto espera impacientemente pelo fim do seu último trimestre, maravilhe-se com as habilidades incríveis do seu bebê: ouvir, aprender, lembrar e sentir-se seguro em sua presença.

Estabelecendo um vínculo com o seu bebê

Você provavelmente já ouviu centenas de vezes que não há nada como o laço que é criado entre uma mãe e seu bebê. Essa relação especial existe e é fortalecida graças às interações entre vocês dois. Foi demonstrado que essa ligação tem efeitos “protetores” para o seu filho. Numerosos estudos estabelecem que alguns dos efeitos positivos da relação entre mãe e filho são:

• Crianças mais capazes de estabelecer relacionamentos saudáveis

• Reduz o risco de problemas acadêmicos ou de aprendizagem

• Reduz o risco de problemas de saúde

• Reduz o risco de problemas mentais

• Reduz o risco de problemas de comportamento

• Reduz o risco de vícios e abuso de substâncias

Então, vá em frente e fortaleça esse relacionamento especial com o seu bebê desde já! Mesmo que você tenha que enfrentar muitos desafios e superar preocupações durante os próximos nove meses, estimular e conectar-se com seu filho deve ser uma prioridade. Muitas mães sentem essa conexão quase imediatamente, enquanto outras levam mais tempo para criá-la. Lembre-se de que o seu filho tem a incrível capacidade emocional e intuitiva de sentir o quanto você e o seu parceiro o amam mesmo estando dentro do seu útero.

Nos próximos nove meses, você e o seu bebê irão se mexer, crescer e se adaptar como se fossem uma só pessoa. Se ele chutar, você irá instintivamente acariciar sua barriga; quando ele se mexe, você muda de posição. Vocês estão mais conectados do que você imagina, tanto que quando você finalmente tiver seu bebê em seus braços, sentirá que está se encontrando com um velho amigo pessoalmente.

Cada vez que você tira um tempo para aproveitar a presença do seu bebê e pensar nele, você está criando um ambiente de segurança e amor que ele percebe e faz com que se sinta amado e bem vindo. Fortalecer o vínculo entre vocês determinará como ele aprenderá a se relacionar com o mundo e desenvolverá sua personalidade. Use o Kinedu para encontrar maneiras novas e divertidas de fortalecer seu relacionamento com seu filho e garanta que essa conexão seja indestrutível!

Bebê, você consegue me ouvir?

Como mãe, você descobriu intuitivamente o que os cientistas dizem há anos: que seu bebê é um ser sensível e que, a cada dia, o relacionamento dele com você se torna mais forte. Estudos mostram que enquanto estão no útero os bebês podem ver, ouvir, sentir e, em um nível muito básico, ter consciência. Com isso em mente, os psicólogos afirmam que a experiência intrauterina pode determinar a personalidade e as futuras habilidades do bebê.

Aspectos como autoconfiança, depressão e até comportamentos relacionados ao vício estão ligados à experiência dentro do útero materno. A partir do quinto mês de gravidez, seu bebê consegue perceber sons e lembrar deles (incluindo a sua voz!). A Universidade da Califórnia descobriu que os bebês se lembram das histórias que eram contadas repetidas vezes quando ainda não tinham nascido.

Seu bebê, assim como você, também tem períodos de sono e vigília. De fato, é muito provável que seu bebê adote os seus padrões de sono. Um estudo na Suíça mostrou que crianças nascidas de mães que acordam cedo tendem a se levantar mais cedo e que os bebês de pessoas que dormem tarde tendem a dormir mais tarde. Você influencia mais seu bebê do que você imagina!

Sabemos que você já ouviu isso muitas vezes, mas se você está estressada ou sofre de estresse crônico, seu corpo produz hormônios do estresse que entram no seu sangue e alcançam o útero. Como resultado, seu bebê também ficará estressado e há estudos que mostram que um bebê exposto ao estresse constante pode nascer prematuramente, pesar menos do que a média, ser hiperativo e irritável e, em alguns casos, nascer com o polegar em carne viva ou úlceras. Por outro lado, se você permanecer sempre positiva e calma, transmitirá esses mesmos sentimentos ao seu filho e estará contribuindo para a saúde física e emocional dele no futuro.

Seu bebê se lembra

Ao contrário do que geralmente se pensa, o bebê não nasce como um papel em branco, e tem a capacidade de lembrar-se da sua experiência intrauterina. Estudos mostram que os recém-nascidos reagem e lembram dos sons que ouviram durante a gravidez. Com o estímulo certo, seu bebê pode: 1. Reconhecer melodias e sons ambientes aos quais ele foi exposto 2. Diferenciar seu idioma nativo de outros idiomas 3. Reconhecer sua voz

Qualquer tipo de aprendizagem pré-natal ajudará o seu filho a aprender outros idiomas durante os primeiros anos dele. Foi descoberto que um bebê começa a captar sons a partir da 27ª semana de gestação. Além disso, existe uma correlação entre os sons aos quais o bebê é exposto, especialmente a fala, e a maior atividade cerebral.

Essa incrível capacidade do seu bebê de reagir e ser influenciado pelos sons aos quais é exposto é uma faca de dois gumes. Alguns sons pré-natais podem ser prejudiciais para o bebê e ter efeitos negativos mais tarde. Como qualquer pessoa, ele pode ficar desconfortável em ambientes barulhentos e perturbadores.

É incrível como algo tão simples como cantar ou falar com o seu filho tem um impacto tão importante no desenvolvimento cognitivo e linguístico dele. O som favorito do seu bebê é, sem dúvida, a sua voz. Estudos sugerem que a capacidade do recém-nascido de reconhecer rostos está intimamente ligada ao reconhecimento da sua voz desde o período pré-natal (o bebê se lembra!).

A conclusão é que, além do impacto nas habilidades linguísticas, seu filho tem um pequeno cérebro com habilidades únicas de aprendizado e memória. Então, agora que você sabe disso, controle os estímulos nocivos aos quais expõe seu bebê e estimule-o com sons positivos enquanto ele estiver em sua barriga.

Estimulação pré-natal em casa

A estimulação pré-natal é muito importante, e seus benefícios são muito valiosos para o seu bebê. No entanto, nem sempre é possível ter tempo ou dinheiro para participar de cursos sobre o tema. O que você talvez não saiba é que a estimulação pré-natal pode ser feita em casa, de maneira fácil e segura. Tudo o que você precisa é do aplicativo do Kinedu instalado em um celular ou computador.

A maioria dos exercícios de estimulação pré-natal é fácil de fazer e não requer muito tempo. Cada exercício requer cerca de 5 a 15 minutos. Você pode falar ou cantar para o seu bebê para estimular a audição, massagear sua barriga para estimular o tato e fazer alguns alongamentos em um tapete de Yoga para estimular o sistema vestibular do seu bebê. O importante é fazer esses exercícios constantemente durante a gestação.

O Kinedu facilita a sua vida, fornecendo as ferramentas necessárias para praticar as técnicas de estimulação pré-natal. Você escolhe a hora e o lugar! Tudo o que você precisa é de um celular ou um computador e alguns materiais simples para realizar as atividades que o Kinedu oferece. Assim, você pode estimular o desenvolvimento do seu bebê de forma simples, com atividades de estimulação pré-natal que são baseadas em evidências científicas e recomendadas por especialistas. O que você está esperando?

Desenvolvendo um programa de estimulação pré-natal

Vários estudos têm demonstrado que a estimulação pré-natal contribui para o desenvolvimento dos bebês dentro do útero. Além disso, está provado que os bebês podem reagir aos estímulos antes mesmo de nascerem. É por isso que os especialistas recomendam um programa de estimulação pré-natal para gestantes saudáveis. Para otimizar os resultados do programa de estimulação, você deve incluir todas as técnicas no mês correspondente, com base no desenvolvimento do seu bebê. Para facilitar sua vida, você pode marcar em um calendário cada uma das técnicas e suas atividades, incluindo o tempo necessário para cada uma delas. O Kinedu oferece um guia de atividades com os passos a serem seguidos, para que você não precise se preocupar com isso.

Antes de iniciar uma técnica de estimulação pré-natal, os seguintes fatores devem ser levados em consideração:

  • A saúde da mãe;
  • A segurança e o conforto da mãe;
  • A hora do dia (é melhor fazer isso depois do almoço ou do jantar);
  • Certificar-se de que o bebê esteja acordado;
  • Certificar-se de que o local seja ventilado;
  • Ter os materiais necessários;
  • Ser constante e repetitiva. Cada técnica deve ser realizada pelo menos duas ou três vezes por semana;
  • A disposição da mãe e/ou do parceiro.

Estudos mostraram que os bebês respondem à estimulação por meio de movimentos reflexivos, movimentos do corpo, alterações no ritmo respiratório ou aumento da frequência cardíaca. Essas reações podem ser vistas por meio de ultrassonografias. Lembre-se de que você precisa ser repetitiva e levar em conta o tempo necessário para cada exercício trazer bons resultados. É por isso que seguir um plano de estimulação pré-natal pode ajudá-la a se organizar e aplicar cada técnica no momento certo.

Os benefícios da música durante a fase pré-natal

A música pode mudar nosso humor e funcionar como uma ferramenta de relaxamento. Verificou-se que ouvir música na fase pré-natal pode beneficiar os bebês cognitivamente e fisicamente.

Vários estudos mostraram que bebês que ainda estão no útero podem ouvir ruídos externos durante o segundo trimestre. Percebeu-se que o ritmo cardíaco dos bebês aumenta quando eles ouvem certos ritmos, e que esses ritmos podem acalmá-los após o nascimento. Os cientistas acreditam que a música estimula as ondas alfa no cérebro e, portanto, acalma os recém-nascidos.

Alguns estudos também afirmam que a música ajuda a construir novas conexões neuronais no cérebro do bebê. Segundo Partanen et al. (2013), bebês que são estimulados no útero apresentam atividade neural ativa. Verificou-se que os bebês que têm a maior atividade cerebral após o nascimento são aqueles que tiveram sua audição mais estimulada enquanto estavam no útero.

De acordo com estudos realizados pelo Dr. René Van de Carr, os bebês que foram estimulados no útero dormem melhor, choram menos e têm melhor capacidade de aprendizado.