Entender o desenvolvimento infantil ajuda pais, mães e cuidadores a acompanharem melhor suas crianças, além de conhecerem os estímulos certos para cada necessidade da infância.

O desenvolvimento infantil pode parecer um grande mistério ou campo nebuloso para muitos pais, mães e cuidadores. O motivo é que muitas vezes as crianças desenvolvem-se de maneira diversa e fazem coisas diferentes umas das outras. Aí, começam a surgir comparações, dúvidas e até um pouco de culpa.

Mas tenha calma: ter crianças é um eterno aprendizado e não é igual para todas as pessoas. A ideia deste post é, justamente, ajudar você a compreender melhor as fases que seu filho desenvolverá ao longo da primeira infância. Além disso, mostraremos dicas de estímulos que podem ser praticados em casa.

Ficou com curiosidade e quer aprender mais sobre o desenvolvimento do seu filho? Então, vamos ao post!

O desenvolvimento na infância e suas etapas

O desenvolvimento infantil é, há muitos anos, estudado por diferentes médicos, cientistas e pesquisadores. A principal descoberta é que a primeira infância, estágio que compreende os primeiros 5 anos de idade, é muito importante e determinante para o restante da vida.

Isso significa que ações nessa época têm efeitos duradouros e interferem no comportamento e no aprendizado da criança.

Outro ponto interessante descoberto é que o desenvolvimento infantil não é linear. Isso significa que existe um padrão percebido entre as crianças, mas que ele não acontece sempre do mesmo jeito. Então, não há uma regra.

Cá entre nós, isso é um alívio, não? Saber que seu filho pode ter liberdade para se desenvolver sem ser comparado com outras crianças!

Porém, não sinta-se mal se ouvir comparações ou, até mesmo, fizer algumas. Esse processo é natural para nós. Inclusive, é uma das formas que as próprias crianças têm de aprender, e que permanece conosco até o fim. Em vez de desentendimentos e culpa, troque informações com o pediatra e outros pais, mães e cuidadores.

Diga o que você já sabe — que não precisa comparar, porque cada criança desenvolve-se de uma forma — e conforte seu filho, apoiando-o para que ele continue crescendo saudável. Além disso, cada área do desenvolvimento infantil tem sua própria linha do tempo e que é influenciada por diversos fatores, como experiência, estímulos e maturação do seu pequeno.

Por falar nisso, vamos apresentar as áreas do desenvolvimento infantil para que você entenda melhor seu pequeno. Abaixo, você confere quais são elas e outros detalhes.

Desenvolvimento físico

O desenvolvimento físico é uma área que abarca tanto o crescimento do corpinho da criança quanto a maneira como ela se movimenta e realiza ações, como chutar. Esse é um processo gradual, que envolve o sistema nervoso e os músculos. Logo, ambos os setores são desenvolvidos gradativamente desde o útero.

Algumas das características do desenvolvimento físico, separadas por idades, são:

  • recém-nascidos: fortalecimento dos músculos e sistema nervoso com movimentos bruscos, desordenados e aleatórios, como chutes involuntários e movimentos agitados com os braços;
  • entre 6 e 12 meses: o bebê já consegue sentar-se sem apoio e ensaia levantar-se sem ajuda, testando o próprio equilíbrio. Em torno dos 8 meses, já pode começar a engatinhar, e dos 9 meses, andar segurando-se nos móveis;
  • entre 1 e 2 anos: provavelmente já anda, mas seu controle total sobre marcha, corrida e pulos será somente dos 16 meses em diante;
  • entre 2 e 3 anos: tem equilíbrio melhor coordenado, já saltando e pulando com mais segurança. Além disso, tem melhor coordenação motora fina, segurando melhor objetos como um giz de cera ou talheres;
  • entre 3 e 4 anos: tem maior independência higiênica, controlando suas necessidades fisiológicas, consegue ter certa independência com a alimentação e as roupas, tentando se vestir por conta própria;
  • entre 4 e 5 anos: desenvolvimento muscular rápido e grande atividade motora. A criança tem bastante energia e gosta de atividades que a estimulem fisicamente. Além disso, ela já tem mais controle sobre seus movimentos e consegue escovar os dentes, tomar banho e vestir-se com menos ajuda.

Desenvolvimento cognitivo

A cognição é a capacidade de receber informações e “picá-las” em outras menores ainda para que, assim, a criança consiga perceber, compreender, responder e integrar-se com o ambiente e seus estímulos. Por exemplo, quando o bebê está na sala brincando no chão e com a TV ligada, assim que ouve a voz da mãe, volta-se para ela.

Além de ter certa capacidade motora para isso, a criança precisa de cognição para distinguir a audição de diferentes sons (TV e voz da mãe) e entender para que direção deve voltar sua atenção, deixando de olhar os brinquedos e prestando atenção à mamãe.

Por sua vez, essa mesma habilidade ajudará seu filho a compreender a matéria escolar, obedecer às regras da escola e conviver com coleguinhas. Sendo assim, podemos dizer que a cognição é um grupo de processos mentais que engloba:

  • pensamento abstrato;
  • memória;
  • resolução de problemas;
  • atenção.

Reparou como seu filho precisa de tudo isso para experimentar o mundo e compreendê-lo? Não é à toa que o desenvolvimento cognitivo é tão importante!

Desenvolvimento linguístico

Antes mesmo de pronunciar a primeira palavra, o desenvolvimento linguístico do seu filho já estava recebendo estímulos. Desde a barriga, a criança já pode ouvir sons, conversas da mãe e de quem se aproxima da barriga. Ao nascer, esse aprendizado e estímulo continua com as conversas que ela ouve.

Seu filho, logo nas primeiras semanas, já aprenderá o que significa uma palavra gritada e outra sussurrada. Você perceberá que há reações diferentes para diversos sons, palavras e formas de falar. Assim mesmo, você perceberá que ele também tentará se comunicar assim, com gritos, choros e, depois de um tempo, balbucios.

A evolução da fala, para quem observa a criança que cresce, é algo incrível mesmo. Em questão de meses, os choros serão substituídos por pequenas palavras, depois por termos e frases. Depois de outros meses, já ao redor dos 3 anos, conversas vívidas já poderão ser desenvolvidas com ele. Mas os estímulos não devem parar, pois a linguagem é diversa:

Seu filho ainda poderá:

Desenvolvimento socioafetivo

O desenvolvimento socioafetivo é a área que envolve a maneira como seu filho socializa, além da forma como lida com as próprias emoções. Você pode perceber que, no início da vida, basicamente, as emoções são expressas por choros, mesmo quando de felicidade, ao ver a mamãe ou o papai de volta do trabalho.

Trata-se de um misto de emoções que envolvem “ai que saudades de você” com “que ótimo que você chegou”. A forma de expressar esses sentimentos acaba vindo por um choro, mas também podem vir com agitação das perninhas e bracinhos. Ainda há aqueles que reagem a mudanças emocionais com febres.

O desenvolvimento do apego seguro, da autoconsciência, da independência, da empatia e da autorregulação (o gerenciamento das próprias emoções) também faz parte do desenvolvimento infantil socioafetivo.

Powered by Rock Convert

Ao longo dos anos, você perceberá, inclusive, que a linguagem entrará em ação, assim como a cognição. Seu filho expressará por palavras o que sente e também entenderá as emoções dos que estão ao seu redor. Esse é um dos motivos pelos quais as primeiras experiências são tão importantes.

Os marcos, saltos e picos no desenvolvimento infantil

Esses três conceitos são importantes no desenvolvimento infantil, porém, são facilmente confundidos. Abaixo, explicaremos de maneira objetiva o que cada um é. Acompanhe!

Marcos do desenvolvimento

Tratam-se de referências usadas para acompanhar o desenvolvimento infantil (como, por exemplo, quando o bebê geralmente começa a sustentar a cabeça, formar frases de duas palavras ou sentar-se sem apoio). Aqui, entra o que já mencionamos antes, sobre o desenvolvimento não ser linear e que os padrões são apenas padrões, e não regras. Por isso, não se preocupe com eles e tente entender os marcos que o seu filho já alcançou e incentivá-lo com os próximos.

Saltos de desenvolvimento

Esses se referem a momentos que ocorrem após seu bebê atingir um marco do desenvolvimento. O salto de desenvolvimento representa a ampliação de suas habilidades cognitivas, linguísticas, sociais e físicas.

Em outras palavras, quando seu filho atinge um marco do desenvolvimento — como andar —, isso acaba “acelerando”a aquisição de outras habilidades. No caso de aprender a andar, por exemplo, o bebê conseguirá explorar melhor o mundo ao seu redor e irá adquirir mais autonomia.

Todas essas novas interações e possibilidades podem deixar a criança mais sensível. Os principais sinais de que seu filho está passando por um salto de desenvolvimento são choros mais frequentes e “sem motivos” e mais despertares durante a madrugada.

Picos de crescimento

Os bebês têm uma forma diferente de crescer fisicamente. Isso quer dizer que eles não crescem de maneira gradativa — um pouquinho por dia. Há ciclos que duram, em média, de 3 a 5 dias, podendo chegar a 7 ou 10 dias, dependendo do momento.

É nesses momentos que ocorrem os picos de crescimento, fazendo parte do desenvolvimento infantil, inclusive, choros e dificuldades para dormir nessa fase. Além disso, é comum que o bebê sinta mais fome, aumentando as mamadas.

A importância das primeiras experiências da infância

Sejam as primeiras experiências positivas ou negativas, elas são importantíssimas para o o desenvolvimento infantil do seu filho. Algumas pesquisas já mostram como elas afetam a formação do cérebro, além de também impactarem o DNA.

Não faz muito tempo que a crença comum era de que as crianças não tinham memória desses fatos que aconteciam logo na primeira infância. Embora algumas memórias realmente não sejam resgatadas, há o impacto em seus genes e na maneira como elas trilharão alguns caminhos da vida.

É importante não se preocupar excessivamente com isso, pois tudo o que você pode fazer para garantir as melhores experiências da infância do seu filho é protegê-lo, amá-lo, alimentá-lo e fornecer estímulos positivos e adequados ao estágio do desenvolvimento dele.

Algumas sugestões de estímulos são:

  • participe das brincadeiras que o seu filho propõe;
  • tenha tempo de qualidade com ele, foque realmente nele;
  • ofereça um ambiente confortável e emocionalmente seguro para o seu pequeno.

Atividades para desenvolver o bebê ou a criança em casa

Agora você já entende bem as fases e áreas do desenvolvimento infantil e também já sabe diferenciar o que são os marcos do desenvolvimento, os saltos de desenvolvimento e os picos de crescimento. Inclusive, aprendeu como as primeiras experiências da infância são importantes. Por isso, seu próximo passo é entender como estimular o desenvolvimento do seu filho.

Confira nossas sugestões:

Música para desenvolver a área física

A música é uma excelente ferramenta para o desenvolvimento físico infantil. Isso porque seu pequeno pode dançar ao ritmo da melodia ou do próprio jeito. Aos poucos, aqueles movimentos desengonçados se transformarão em lindas piruetas, saltos e cambalhotas.

Além disso, tocar instrumentos musicais melhora a coordenação motora, a cognição e a socioafetividade em conjunto. Veja algumas dicas de brincadeiras que separamos:

Conversações para a área cognitiva

Desde os 18 meses, aproximadamente, seu filho já presta mais atenção às conversas e consegue até participar delas de maneira ativa e mais compreensível. Além de influenciar a aquisição e compreensão de linguagem, estudos mostram que esses momentos de conversação ajudam na cognição infantil. Quando você usa formas verbais corretamente, por exemplo, a criança naturalmente aprenderá como construir frases.

Além disso, a leitura será um atrativo para ela, facilitando ainda mais o entendimento das matérias escolares. Estas são outras formas de estimular a cognição do seu filho:

Leituras e rimas para a área linguística

O tempo todo, a área linguística do desenvolvimento infantil de seu filho é estimulada por meio dos sons, músicas, vozes e conversas. A leitura de histórias, particularmente, tem um papel importantíssimo porque leva o bebê ou a criança a ter curiosidade pelos livros. Pensando em longo prazo, será importante para o desenvolvimento escolar.

Porém, existem diferentes formas de estimular a área linguística na infância, como rimas e trava-línguas, e essas outras brincadeiras:

Caretas e imitações para a área socioafetiva

Participar de atividades que estimulam o senso de amizade e companheirismo é muito importante para o desenvolvimento socioafetivo do seu filho. A identidade da criança será formada por meio de suas experiências, mas cada idade interage de uma maneira. É comum que até os 36 meses as brincadeiras individuais sejam as preferidas.

A música é uma boa forma de fortalecer as habilidades sociais e afetivas do seu pequeno. Outras atividades interessantes para a socioafetividade da criança são:

Logo nos primeiros meses, a criança ainda está desenvolvendo toda sua cadeia cerebral e neural. Isso quer dizer que as primeiras experiências impactam bastante, mas que a interação com o ambiente de convívio também. Então, faz todo sentido que os pais e cuidadores busquem praticar estímulos de ação e reação.

Para fortalecer o desenvolvimento infantil, pensando nos estímulos reativos, você pode pensar em brincadeiras com bola. Por exemplo, jogar a bola e pedir para que o seu filho a jogue de volta é um excelente começo. Outra ideia é dividir os pontos de atenção apontando para o mesmo lugar ou fazer o mesmo barulho que o seu filho quando ele vir algo.

Não perca a oportunidade de dividir conhecimento com outras mamães, papais e cuidadores. Compartilhe este post em suas redes sociais e espalhe informação de qualidade!