Todos nós temos a mesma imagem da cena perfeita de ler histórias com os nossos filhos. Estamos sentados com eles em nosso colo, com uma história perfeita e repleta de lições de vida nas mãos, enquanto eles prestam atenção a cada palavra.

A realidade da hora da leitura nem sempre é tão cinematográfica. Talvez o seu filho não goste de ficar parado e ouvir uma história; talvez ele queira segurar o livro e virar as páginas, ou talvez seu filho pense que os livros são para colorir, ou para rasgar ao invés de ler. Tudo bem. Nós podemos reverter esse quadro!

Aqui estão algumas dicas para ajudar seu filho a amar a hora da leitura:

Comece com pouco

banner kinedu desenvolvimentoPowered by Rock Convert

Primeiramente, você pode começar a ler imediatamente para o seu bebê. Começar a ler histórias com o seu recém-nascido é uma ótima maneira de iniciar uma rotina de leitura. Além disso, como o movimento dele é limitado, o foco será apenas em você! Em segundo lugar, comece lendo livros curtos e simples. Meus livros favoritos para começar são aqueles que têm uma imagem por página (e, de preferência, têm texturas para tocar e sentir). Começar com uma imagem por página permite que seu bebê se concentre em um conceito de cada vez. Você pode abrir o livro e dizer “cachorro”, apontar para a imagem, acariciar o pelo do cachorro e dizer “au au”. É importante manter uma linguagem simples nesta fase, pois queremos que o nível seja apropriado para o seu bebê. No início, a utilização de 1 a 2 palavras ou sons por página já é o suficiente. Esta fase é para ensinar.

Compre livros interativos

Livros interativos são muito úteis! Procure livros que tenham texturas para tocar e sentir, fechos de velcro, abas de feltro, partes móveis, imagens que “saltam” das páginas ou objetos para esconder. A motivação durante a hora da leitura é importante, pois promove a atenção conjunta, que é necessária para o aprendizado. A atenção conjunta ocorre quando o seu filho está focado em uma determinada tarefa (por exemplo, o livro) e em você. É tão simples quanto ter seu bebê olhando para o livro, depois para você e depois para o livro novamente. Os livros interativos fazem o trabalho duro de envolver o seu filho na tarefa. Também adoro o fato de que eles têm várias instruções para as crianças seguirem (por exemplo, “Encontre o…”, “Olhe embaixo do…”, “Coloque o…”). Eles também são ótimos para promover a linguagem expressiva. Já que seu filho estará bastante entretido e utilizando sua atenção conjunta, você terá muito mais chances de ouvir novos sons e palavras saindo da boca dele.

Envolva o seu filho

Queremos que nossos filhos ponham a mão na massa na hora da leitura. É melhor pedir para o seu filho se envolver em tarefas nas quais ele se sinta confiante. As crianças conseguem identificar os desenhos antes de nomeá-los – a identificação é tão simples quanto tocar ou apontar para uma imagem. Você pode ensinar a ele essa habilidade fazendo perguntas (por exemplo, “Onde está a bola?”) ou fazendo pedidos (por exemplo, “Encontre a bola”) e, em seguida, pegando a mãozinha dele e colocando-a sobre a imagem. Mesmo que o seu filho não saiba nenhuma palavra, é possível trabalhar com a identificação dos objetos! É mais fácil identificar um objeto quando apenas duas opções são apresentadas (por exemplo, um livro com uma imagem por página). Quanto mais opções de imagens existirem, mais difícil será a tarefa. Quando seu filho for capaz de encontrar os objetos com facilidade (por exemplo, uma bola, um carro, uma maçã, etc.), você poderá dificultar a tarefa, pedindo a ele para identificar as ações. Por exemplo: “mostre o que a menina está comendo”, “encontre o leão correndo”, etc. As crianças adoram se envolver nas tarefas, especialmente quando confiam em suas habilidades. Lembre-se de começar com instruções que você tem certeza que seu filho será capaz de seguir, e avance gradualmente a partir daí.

Inspire a curiosidade

Essa pode parecer uma parte óbvia da leitura de um livro, mas é importante demais para não ser mencionada! Muitas vezes nos envolvemos com livros infantis lindamente escritos com mensagens significativas. Podemos ler esses livros até o final sem sequer parar para conversar com nossos filhos. Mas a melhor maneira de inspirar a curiosidade é fazer perguntas. Eu sempre faço pelo menos uma pergunta por página, mesmo que seja simples (por exemplo, “O que aconteceu?”, “Quem é esse?”, “Para onde ele foi?”, “Por que ela está brava?”, etc.). Fazer perguntas é a maneira mais rápida e fácil de garantir que nossos filhos prestem atenção e entendam as palavras que estamos lendo. Mesmo que seu filho ainda não seja capaz de se comunicar verbalmente, você pode usar gestos, transformando sua pergunta em uma que possa ser respondida pelo seu filho ao apontar para a resposta na página (por exemplo, “Onde está o caminhão?”, “Quem está feliz?”, “O que ele comeu?”, etc.).

Use ferramentas

  • Temporizadores: Os temporizadores são ideais para iniciar uma rotina de leitura com uma criança que não gosta de ficar parada. A maioria dos telefones tem temporizadores simples. É uma maneira fácil de ajudar seu filho a entender que a tarefa não é para sempre, e sim até o cronômetro apitar.
  • YouTube: Muitas das nossas histórias favoritas têm vídeos no YouTube. Seu filho pode estar mais interessado em encenar a história do que sentar para lê-la. Você pode segurar o livro e ler junto com o vídeo ou interpretar as cenas com o seu filho. Eu não recomendo deixar seu filho assistir aos vídeos sozinho. Você deve incentivar a participação ativa e passar um tempo de qualidade com ele.
  • Uma cópia: Eu costumo comprar uma cópia extra dos meus livros preferidos, pois algumas crianças gostam de controlar e segurar os livros sozinhas. Desta forma, elas se sentem mais independentes, e podem ler junto comigo.
  • Objetos: Sempre que possível, eu gosto de combinar objetos que aparecem na história com objetos reais, e muitas vezes as crianças também fazem isso! Às vezes, estou lendo, e vejo um dinossauro que se parece com o Tiranossauro Rex de brinquedo do meu filho e, quando vou ver, ele já veio me trazer o Tiranossauro Rex e me mostrar o dinossauro da imagem! Essa generalização é incrível!
  • Quanto mais forte, melhor: Livros que podem ser molhados ou que são feitos de papelão rígido geralmente são os mais fortes, e conseguem resistir melhor ao manuseio das crianças, que tendem a colocá-los na boca ou tentar rasgá-los.

Molly Dresner é patologista e terapeuta da linguagem com base em Nova York. Ela recentemente publicou seu livro The Speech Teacher’s Handbook, um guia interessante com dicas práticas e atividades simples para os pais ajudarem seus filhos.