Category Archives: Segurança

Segurança na água: mantenha o seu filho sempre seguro!

Dias de verão e clima quente são o convite perfeito para relaxar em uma piscina, passear na praia ou nadar no lago. Essas atividades são muito divertidas, mas também perigosas – se as precauções não forem devidamente aplicadas. De acordo com os Centros de Controle para Prevenção de Enfermidades, o afogamento é a principal causa de morte acidental ou relacionada a ferimentos em crianças entre 1 e 3 anos de idade. O afogamento é silencioso e rápido. As crianças não gritam ou se agitam quando isso acontece, mas geralmente afundam e perdem a consciência após 2 minutos.

A segurança adequada na água pode salvar a vida do seu filho. Continue lendo este artigo para descobrir as diretrizes de segurança que devem ser seguidas:

Continue lendo

A primeira viagem para a praia com o seu bebê

Sabemos que a ideia de levar o seu bebê para a praia pela primeira vez pode ser excitante e, ao mesmo tempo, angustiante.

A primeira vez de um bebê na praia é uma experiência completa. Estar bem preparada fará com que seja um momento inesquecível.

Neste artigo, você encontrará dicas e truques para ajudá-la a se preparar para sua viagem, bem como o que esperar dela.

Continue lendo

Ter um animal de estimação pode proteger seu bebê da obesidade e das alergias

Seja pela brincadeira ou companhia, os animais de estimação trazem muita alegria aos seus donos. Mas você sabia que os benefícios vão além do carinho e da diversão? Um novo estudo mostrou que ter animais de estimação em casa pode proteger os bebês das alergias e da obesidade!

No início, pode parecer difícil ter argumentos a favor, já que a maioria dos pais prefere manter seus filhos longe de animais de estimação peludos, como cães e gatos, para evitar alergias e espirros. No entanto, uma pesquisa conduzida pelo Departamento de Pediatria da Universidade de Washington descobriu que o oposto é verdadeiro.

Continue lendo

O primeiro acampamento com o meu bebê

Ar fresco, natureza e bastante convívio familiar.

Acampar pode ser uma experiência gratificante para toda a família. No entanto, isso significa que você deve planejar tudo com antecedência, a fim de ter uma viagem bem-sucedida e agradável. As preparações que você deve fazer para garantir uma experiência prazerosa serão determinadas de acordo com o destino da viagem.

Acampar na floresta será muito diferente de fazer o mesmo na montanha ou na praia. Independentemente do local, seu bebê precisará de proteção contra os elementos da natureza, já que a regulação da temperatura corporal dele ainda não está totalmente desenvolvida. Você precisa garantir que seu filho não fique com muito calor ou com muito frio, e a melhor maneira de fazer isso é com as camadas de roupas apropriadas. Os bebês podem perder o calor do corpo muito rapidamente, até quatro vezes mais rapidamente que um adulto. Da mesma forma, eles também podem sofrer de superaquecimento, se não formos cuidadosos.

Ao preparar as malas, considere levar um chapéu apropriado, óculos de sol (se necessário), protetor solar e repelente de insetos. Não é recomendado expor um bebê com menos de 6 meses à luz solar direta. Se o seu filho tiver mais de 6 meses, use protetor solar, mas evite os horários de pico do sol (das 10h às 16h).

Dormir pode ser um pouco complicado durante uma viagem de acampamento e, possivelmente, uma grande armadilha. Se seu filho tiver um objeto de transição, como uma naninha, certifique-se de mantê-lo por perto. Vai viajar por vários dias? O que acontecerá se ele tiver um “acidente” e a roupa de cama ficar molhada? Seja qual for a circunstância, planeje com antecedência tudo aquilo que o seu bebê precisa para dormir, e tome as mesmas precauções que você tomaria em casa. A Academia Americana de Pediatria (AAP) recomenda uma superfície firme para dormir, sem objetos, cobertores ou roupas de cama soltos.

E quanto às mamadas? A amamentação é a maneira mais conveniente de alimentar o seu bebê durante uma viagem de acampamento. Ela não é apenas prática, mas também preferível, já que o leite materno ajuda a combater infecções e patógenos. A amamentação exclusiva elimina a necessidade de esterilizadores, mamadeiras e fórmulas, no entanto, essa pode não ser uma opção viável. Se você precisar levar os itens mencionados, coloque-os separadamente em um local acessível durante o passeio de carro. Certifique-se de levar água e alimentos sólidos em uma quantidade maior do que a necessária – é melhor sobrar do que faltar!

Antes de partir para a aventura, certifique-se de que o seu filho esteja com todas as vacinas em dia. Se precisar vaciná-lo, aguarde alguns dias após a vacinação para viajar. Um kit básico de primeiros socorros para bebês é necessário em casa, e ainda mais crucial em uma viagem. Certifique-se de levar todos os medicamentos e vitaminas que seu bebê possa precisar e lembre-se de pensar em possíveis reações alérgicas, asma, febre e qualquer problema que seu filho possa ter.

Como esta é sua primeira viagem, comece com uma viagem noturna perto de casa. Se possível, exagere na bagagem: leve quantidades a mais de roupas, fraldas, comida, brinquedos, etc. Se tiver dúvida sobre levar ou não alguma coisa, leve!

O que fazer se meu bebê cair?

Não importa o quão cuidadosa você seja, isso pode acontecer um dia. Você olha para o lado por uma fração de segundo, e seu bebê pode cair do sofá, da cama ou do trocador. É fácil sentir-se a pior mãe de todos os tempos. No entanto, você não está sozinha. A cada ano, apenas nos Estados Unidos, 2.8 milhões de crianças vão parar no pronto-socorro por causa de ferimentos relacionados a uma queda.

Então, se o seu bebê cair, mantenha a calma. A maioria das quedas não é grave, mas você deve aprender sobre os sinais de alerta e o que fazer quando percebê-los.

Por quais sintomas devo procurar?

  • Inchaço;
  • Sangramento significativo;
  • Perda de consciência e/ou olhos revirados;
  • Tontura/Sonolência;
  • Vômito;
  • Perda de equilíbrio;
  • Choro prolongado (por mais de uma hora);
  • Choro ao ser tocado;
  • Uma pupila maior do que a outra;
  • Fraqueza ou falta de reação;
  • Dificuldade para acordar.

O que devo fazer se meu bebê sofrer uma queda?

  • Entre em contato com o seu médico ou ligue para o 193.
  • Mantenha a calma e console seu bebê. Isso o ajudará a se acalmar, e permitirá que você avalie sua condição.
    • Nota: Se você acha que há alguma chance de o pescoço ter sido lesionado (por exemplo, se você viu o pescoço do seu bebê torcer ou sabe que ele caiu diretamente sobre a cabeça), não o mova – isso pode causar sérias complicações. Em vez disso, ligue para o 193 e tente acalmá-lo).
  • Tire as roupas do seu bebê para verificar se há vermelhidão, hematomas, inchaços ou deformidades em seu corpo. Se você não notar nenhum inchaço significativo na cabeça ou no corpo, provavelmente não há ferimentos sérios.
  • Se você notar qualquer inchaço ou deformidade em qualquer parte do corpo do seu filho, ou se ele estiver mancando por algumas horas, leve-o ao pronto-socorro ou ao consultório do seu médico.
  • Verifique se há ferimentos na cabeça.
    • Nota: Preste muita atenção em como seu bebê se comporta depois da queda. Se não há sinais óbvios de lesão e ele está agindo normalmente, então não há muito para se fazer. No entanto, se seu bebê parecer tenso, tonto ou sonolento, ou se começar a vomitar, procure ajuda imediatamente.
  • Em caso de dúvida, ligue para o 193.
    • Se a queda pareceu muito grave, ou se você notar algum dos sinais mencionados acima – ligue para o 193 ou leve seu bebê para um pronto-socorro pediátrico imediatamente.
    • Se a lesão não parecer particularmente grave, mas você ainda tiver dúvidas, ligue para o seu pediatra – ele dirá se você precisa ou não levar o seu bebê até o consultório ou o pronto-socorro.

É importante ressaltar que o principal elemento da prevenção é perceber que as crianças geralmente estão um passo à frente do que seus pais imaginam em relação ao seu desenvolvimento. Isso significa que você pode achar que o seu filho não é capaz de rolar – até que isso aconteça! Você pode estar trocando a fralda dele e, do nada, ele pode rolar e cair no chão. Por isso, é fundamental que os pais se previnam para evitar acidentes.

Aqui estão algumas dicas para lhe ajudar a evitar quedas ou ferimentos graves:

  • Coloque protetores nas quinas dos móveis.
  • Coloque antiderrapantes em todos os tapetes, ou remova-os até que eles não representem mais risco para o seu filho.
  • Mantenha seu filho longe de varandas e decks elevados, e coloque portões de proteção na parte superior e inferior de cada escada.
  • Mantenha cadeiras e outros móveis longe das janelas.
  • Não tire o olho do seu filho e nem deixe-o sozinho quando ele estiver no trocador.
  • Abaixe o colchão do seu filho assim que ele começar a ficar em pé no berço.
  • Quando você estiver no supermercado, afivele seu filho no carrinho de compras.
  • Use redes de proteção nas janelas. Não confie nos vidros!

Como deixar a casa segura para o bebê?

Desde que seu bebê começou a se movimentar mais, tudo ao seu redor é um novo mundo a ser explorado. Seu filho irá se movimentar rapidamente em direção aos objetos que atraem sua atenção, e que nem sempre são seguros. Ele começará a se levantar com o apoio de uma pequena mesa ou de uma cadeira e, naturalmente, tropeços e quedas serão mais frequentes durante esse período. Não se preocupe – a distância entre o seu bebê e o chão é muito pequena

Quando os bebês caem, eles tendem a se virar para ver sua reação antes de resolver a situação por conta própria. Eles buscam constantemente a orientação de adultos em quem confiam antes de continuar com novas experiências. Com isso em mente, você pode ajudar seu bebê a entender que um pequeno tropeço não deve impedi-lo de explorar seu ambiente. Se, apesar da sua reação calma, o seu filho chorar, não deixe de consolá-lo e oferecer palavras de incentivo, para que ele possa aprender que, apesar do pequeno contratempo, ele deve continuar.

Mas, apesar de saber que as quedas são muito comuns, é importante deixar a sua casa segura para o seu bebê. Lembre-se:

  • Não deixe objetos em mesas que estejam ao alcance do seu bebê, especialmente se eles forem de vidro;
  • Proteja os cantos das mesas;
  • Coloque corrimãos nas escadas;
  • Mantenha materiais de limpeza e remédios fora do alcance do seu bebê;
  • Não deixe cabos soltos pela casa;
  • Certifique-se de que nenhum objeto pequeno esteja no chão, ou ele irá parar na boca do seu bebê;
  • Feche as portas dos banheiros e o acesso à cozinha;
  • Cubra todas as tomadas: as crianças as amam;
  • Esteja sempre atenta ao seu bebê, e nunca o deixe sozinho;
  • Por fim, engatinhe pela casa, veja os cômodos sob o ponto de vista do seu bebê e verifique se você não esqueceu nada.

Agora seu bebê está pronto para explorar à vontade e aprender que um pequeno tropeço não deve impedi-lo de seguir em frente.

Como escolher a melhor creche para o meu bebê?

Se você decidiu voltar ao trabalho, provavelmente está procurando uma boa creche para o seu bebê. Aqui estão algumas dicas para ajudá-la a encontrar a mais apropriada para você e para o seu filho.

  • Se a localização é algo importante para você, procure uma creche perto da sua casa ou do seu local de trabalho;
  • Investigue as creches que chamaram a sua atenção, e certifique-se de que elas tenham uma boa reputação. Agende uma visita a cada uma delas e tente conversar com os pais das crianças que frequentam a instituição;
  • Verifique se o clima é caloroso e amigável, e se os funcionários são treinados como cuidadores infantis. Certifique-se também de que eles sejam amorosos e carinhosos com o seu filho. Além disso, veja se há um cuidador para cada 3 ou 4 bebês, e de 4 a 6 cuidadores para crianças maiores;
  • Verifique se a creche é organizada e tem uma administração adequada. Ela deverá ter os horários de abertura e de encerramento estabelecidos, mas ser flexível em relação ao horário em que você deixa e busca o seu bebê;
  • Pergunte sobre seus primeiros socorros e procedimentos de emergência. Eles têm algum berçário separado para crianças que podem ter algum tipo de doença transmissível, como a gripe?
  • Verifique a programação dos cochilos e das refeições, e veja se ela é adequada para o seu filho;
  • Pergunte sobre as trocas de fraldas. É importante que as crianças sejam trocadas frequentemente para evitar assaduras;
  • Quais atividades são realizadas durante o dia? Elas devem ser estimulantes e apropriadas para o desenvolvimento do seu filho;
  • Certifique-se de que o ambiente seja seguro e adequado para o seu bebê;
  • Pergunte se e como você pode estar em constante comunicação com a creche, e também se eles fornecem e estão dispostos a receber feedback;
  • Certifique-se de que as crianças recebam cuidados adequados e atenção personalizada, e que os cuidadores conversem constantemente com elas;
  • Ao visitar a creche, observe se as crianças, de modo geral, estão ocupadas e felizes;
  • A limpeza da creche é essencial. Verifique as condições das instalações e fique à vontade para fazer qualquer pergunta. Da mesma forma, certifique-se de que os profissionais lavam as mãos antes e depois de cada troca de fralda e de cada refeição;
  • Examine os berços e verifique se eles são firmes, bem como se as crianças dormem de barriga pra cima. Isso ajuda a reduzir o risco de morte súbita;
  • Certifique-se de que, se houver uma televisão na creche, ela terá pouca ou nenhuma utilidade;
  • A atmosfera deve ser positiva e alegre. O maior interesse deve ser o bem-estar das crianças;
  • Finalmente, certifique-se de que a creche em que você está interessada tenha as credenciais e licenças apropriadas para operar.

Mantenha esses pontos em mente sempre que visitar uma creche, adicionando quaisquer outros requisitos essenciais para você. É muito importante ter tempo para escolher uma creche e fazer as perguntas necessárias antes de chegar à sua decisão final. Seu bebê vai passar muito tempo lá, por isso, é importante que seja um local de alta qualidade, que cuide do seu bebê e estimule seu desenvolvimento. Ouça seus instintos e não aceite algo do qual você não tenha certeza.

Meu bebê precisa de sapatos?

Se o seu bebê está começando a andar, ou a mostrando sinais de que ele está prestes a dar seus primeiros passos, você pode estar se perguntando se ele precisa de sapatos especiais. Durante esse estágio, seu filho não precisa usar sapatos. É claro que você pode optar por colocar sapatos para deixá-lo mais bonito, manter seus pés aquecidos ou protegê-los de superfícies ásperas ou perigosas. No entanto, os sapatos não são necessários para aprender a andar ou para fortalecer os pés.

Quando as crianças aprendem a andar dentro de casa em uma superfície plana e segura, elas não precisam de sapatos. Na verdade, é benéfico para o seu bebê aprender a andar descalço. Andar desta forma o ajuda a fortalecer os músculos, e permite que ele movimente os dedos dos pés livremente. Embora possa parecer que ele não tem apoio suficiente, ou que seus pés são planos, isso é completamente normal para a idade dele. Além disso, usar sapatos não ajudará seu bebê a andar melhor.

E se ele não puder ficar descalço?

Se você vive em um ambiente frio e quer proteger seu filho de superfícies geladas, compre sapatos que atendam aos seguintes requisitos:

  • A palmilha não deve ser almofadada;
  • A frente deve ser larga e arredondada, deixando espaço suficiente para os dedos dos pés se moverem;
  • O revestimento interno não deve ter costuras, e deve permitir a transpiração;
  • As solas devem ser flexíveis e antiderrapantes;
  • Eles devem abraçar os pés, mas sem apertá-los.

Bebês e animais de estimação

Sabemos que, às vezes, pode parecer que seu animal de estimação foi seu primeiro “bebê”. Fiéis e amáveis, os animais de estimação trazem muita alegria a uma família. Aqui estão algumas dicas para ajudar a criar uma relação harmoniosa entre seu animalzinho de estimação e seu bebê e evitar acidentes ao longo do caminho.

Às vezes, os cães que vivem com uma família há muito tempo podem ficar desconfiados ou com ciúmes quando um novo membro chega, o que pode levar a agressões. Por isso, tente ficar atenta aos sinais do seu animalzinho, tais como: pular em você, exigir sua atenção mais do que o habitual ou latir para o seu filho quando você estiver com ele.

Como posso evitar reações agressivas?

  • Se seu animal de estimação for um cachorro, treine-o. Embora você possa achar que o adestramento é desnecessário, isso o tornará mais estável, previsível e menos propenso a machucar seu filho.
  • Se for possível, antes de apresentar seu animalzinho ao seu bebê, mostre a ele uma das roupas usadas do seu filho, para que ele possa se acostumar com o cheiro.
  • Animais de estimação são imprevisíveis, e nossos filhos também podem ser espontâneos. Por isso, esteja sempre presente e alerta quando seu animalzinho e seu bebê estiverem juntos no mesmo ambiente.
  • Envolva seu animal de estimação quando estiver com o seu bebê. Seja carinhosa com ele enquanto cuida do seu filho.
  • Se você notar qualquer agressão contra o seu filho, repreenda seu animalzinho imediatamente.
  • Se você tiver um gato, coloque uma rede de proteção sobre o berço do seu bebê, para evitar visitas não supervisionadas.
  • A preocupação com a segurança do seu bebê é importante, mas os cuidados com a higiene dele também são.
  • Certifique-se de que seu animal de estimação foi vermifugado. Alguns parasitas podem ser passados ​​de animais para bebês. Certifique-se também de que ele seja vacinado e esteja 100% saudável.
  • Mantenha seu animalzinho limpo. Cuidado com pulgas e carrapatos, pois eles podem entrar em contato com a pele do seu filho.
  • Se seu animal de estimação morder seu filho, apenas raspando a pele, você poderá tratar a ferida em casa. Lave-a bem com água fria, cubra com um curativo e verifique no dia seguinte para ver se há algum sinal de infecção.
  • Se a ferida for profunda, lave-a da mesma forma, mas leve seu filho ao médico ou ao pronto-socorro imediatamente.

Animais de estimação podem trazer alegria para o lar. Bons laços afetivos entre bebês e animais de estimação são muito benéficos. Além disso, especialistas afirmam que crianças pequenas que vivem com animais de estimação desenvolvem um excelente sistema imunológico – acredita-se que isso esteja relacionado à descamação da pele dos animais e de alguns micróbios que os cães carregam no corpo. Contanto que você cuide da saúde do seu animalzinho e esteja sempre monitorando o seu bebê quando ele estiver por perto, não há nada para se preocupar!#

Se você está pensando em comprar ou adotar um cachorro, é melhor ler muitos guias de cães e optar por uma raça recomendada para crianças pequenas. O mesmo vale para os gatos: escolha um bichano que melhor conviva com bebês e crianças.

Conselhos para manter o seu bebê na temperatura ideal

Normalmente, seu bebê estará em uma temperatura confortável usando uma camada a mais de roupa do que você. No entanto, todo bebê é diferente. Por isso, é importante verificar se seu bebê está confortável: toque no pescoço, nas costas ou no peito dele para conferir. As mãos e os pés não são um bom indicador de sua temperatura corporal, pois seu sistema circulatório não está completamente formado, e o sangue circula mais nos órgãos centrais do que nas extremidades. Se você perceber que seu bebê está suando ou sua pele está quente, remova uma camada de roupa. Verifique a temperatura dele alguns minutos depois para ver se ele está mais frio. Por outro lado, se você sentir que seu bebê está com frio ao tocá-lo, acrescente uma camada de roupa. É melhor vestir o seu pequeno com camadas mais finas do que com roupas muito grossas. Não só é mais confortável, como também ajuda a manter o calor do corpo isolado!

Se você sair, leve as roupas do seu bebê e as camadas extras com você. Também é uma boa ideia viajar com um cobertor, para que, se a temperatura cair ou você estiver em um local com ar condicionado muito frio, você possa cobrir seu bebê. Verificar a temperatura corporal do seu bebê é muito importante, pois ficar com o corpo muito quente ou muito frio pode colocá-lo em risco. Se for possível, tente manter a temperatura no quarto dele entre 20º e 22ºC durante o dia, e entre 16º e 20ºC à noite. Segundo os pediatras, essa temperatura protege a pele e o trato respiratório. As recomendações de temperatura podem variar, por isso, é bom consultar seu médico, pois ele pode ter uma opinião diferente. Também é importante que o ar condicionado não seja direcionado ao seu bebê. Não cubra seu filho excessivamente na hora de dormir, e vista-o com um pijama que cubra os braços e os pés, evitando usar cobertores soltos ou lençóis soltos no colchão, pois isso o coloca em risco de morte súbita infantil (SMSI).