Os pais que são capazes de cultivar fortes relacionamentos com seus filhos estão ajudando a formar adultos mais produtivos. “O amor dos pais é uma parte importante da economia”, diz o economista James Heckman.

Os genes e o ambiente contribuem com 50% do desenvolvimento intelectual de uma criança. Isso dá aos pais algum espaço para interferir e aumentar a inteligência de seus filhos. Quando é a melhor hora para começar a cultivar a inteligência do seu filho? Logo no início é ótimo, pois o cérebro é maleável, e você ainda exerce a influência decisiva sobre o ambiente. Curiosidade, persistência, motivação e atenção: tudo isso pode ser ensinado desde cedo. A evolução parece já ter favorecido esses primeiros anos – seu filho é mais receptivo ao que você tem a ensinar devido à alta dependência que ele tem de você, por conta de suas necessidades físicas e emocionais. Pesquisadores conseguiram identificar vários aspectos específicos do ambiente das crianças que influenciarão seu desenvolvimento intelectual. Aqui estão alguns passos que os pais podem dar para melhorar o desenvolvimento do cérebro e o potencial cognitivo de seus filhos!

 

  • Influências pré-natais: De todas as influências ambientais na inteligência de uma criança, a experiência pré-natal é, talvez, a mais potente. A saúde, a nutrição, o ambiente e o bem-estar emocional da mãe influenciam o desenvolvimento do cérebro do feto. Altos níveis de hormônios de estresse interferem negativamente no desenvolvimento do cérebro, agindo direta e indiretamente nos neurônios em desenvolvimento e alterando o curso da gravidez. Se você está grávida ou conhece alguém que está, sugira um cronograma mais simples, exercícios regulares e o uso de técnicas de relaxamento ou outros métodos para manter os níveis de estresse baixos.

 

App Kinedu Desenvolvimento do bebePowered by Rock Convert
  • Nutrição: Entre 4 meses de gestação e dois anos, o cérebro de um bebê tem uma sensibilidade elevada à quantidade e à qualidade dos nutrientes consumidos. Os bebês que estão desnutridos durante esse período específico apresentam déficits de QI e no desenvolvimento sensório-motor, assim como um desenvolvimento linguístico mais lento. Isso acontece porque seus cérebros são menores, com menos neurônios e sinapses, menos dendritos e menos mielina do que os bebês que estão devidamente nutridos. Após o nascimento, o leite materno é a escolha nutricional mais importante, e ele pode servir para aumentar o QI de uma criança. Pesquisas comprovaram que crianças criadas com leite materno atingem 8 pontos a mais em testes de QI aos 8 anos de idade do que aquelas alimentadas com fórmula (após a correção de outras variáveis, como as diferenças socioeconômicas).

 

  • Atividades e ambiente físico: O desenvolvimento do cérebro requer estimulação adequada. Crianças mais inteligentes vêm de lares que oferecem uma oportunidade maior de explorar e brincar. O cérebro de uma criança também precisa de variedade nas experiências diárias. A chave para efetivamente estimular uma criança é ficar um passo à frente do que ela já está acostumada. Então, inclua diferentes materiais nas brincadeiras toda semana. Com um pouco de criatividade, os pais podem encontrar muitas maneiras de estimular seus filhos sem precisar comprar constantemente novos brinquedos. A aprendizagem acontece quando as crianças criam seus próprios mundos de brincadeira. Segundo Shonkoff, professora de Saúde e Desenvolvimento Infantil de Harvard, “o brincar é o principal veículo para as crianças aprenderem”. As crianças precisam sair e ficar expostas a diferentes ambientes, ver outras crianças e interagir com outros adultos. No entanto, existe um limite quanto à quantidade de estímulos que uma criança deve ter. Muitos brinquedos e atividades podem criar confusão e causar o efeito oposto, dificultando a capacidade da criança de se concentrar.

 

  • Música: Uma das descobertas mais surpreendentes sobre o enriquecimento cerebral precoce é o efeito da música. Embora a música não tenha um componente espacial, seu tom é convertido em um mapa espacial pelo ouvido interno e, assim, nosso cérebro experimenta a música como padrões simultâneos no espaço e no tempo. Uma ótima maneira de estimular a inteligência espacial é por meio da prática de piano. A razão pela qual tocar piano dá um impulso extra à experiência musical de uma criança deve-se ao uso simultâneo de movimentos dos dedos, localização, tom, tempo e feedback estético – tudo isso está associado ao desenvolvimento do hemisfério direito do cérebro. Sabe-se que a grande maioria dos músicos mais talentosos começou a treinar bem cedo, antes dos sete anos. Um cérebro jovem está pronto para esse tipo de treinamento espaço-temporal!

 

  • Estilo dos pais ou dos cuidadores: As atividades e o ambiente são essenciais na equação para o enriquecimento cerebral precoce, mas a qualidade das interações entre a criança e o cuidador é de suma importância. Ensinamos nossos filhos diretamente quando os ensinamos como algo funciona ou quando reforçamos o comportamento e a curiosidade por meio de feedback positivo. No entanto, também ensinamos indiretamente por meio do exemplo que damos para eles todos os dias. As crianças aprendem diariamente com as interações mais simples: elas aprendem sobre sentimentos, gentileza, como tratar outras pessoas, resolver problemas, observar detalhes e lembrar de eventos. O sucesso intelectual vai além da inteligência crua. Crianças inteligentes fazem perguntas, ficam curiosas sobre o mundo ao seu redor, são persistentes na resolução de problemas e na busca de respostas. Todas essas qualidades são influenciadas pelos pais. Psicólogos descobriram características-chave relacionadas ao sucesso intelectual de uma criança, como a nutrição (física e emocional), a capacidade de resposta e o envolvimento. Bebês têm melhores resultados cognitivos quando recebem afeto e feedback positivo. Para as crianças, o cuidado responsivo significa não apenas responder às necessidades físicas essenciais, mas também envolver-se em “jogos de ação e reação”. Os bebês balbuciam e esperam que você responda e se envolva em uma conversa. A responsividade verbal aumenta o desenvolvimento da linguagem e também serve para moldar as reações emocionais e a autoconsciência de uma criança. Os pais devem se envolver em interações diretas cara-a-cara, nas quais podem concentrar a atenção em seu filho. Estudos descobriram uma relação entre o QI das crianças e a quantidade de tempo de qualidade gasto em atividades com seus pais.