Seu filho é tímido? Para determinar a resposta desta pergunta, você pode se perguntar como descreveria o temperamento do seu filho. Muitas vezes as pessoas tendem a confundir timidez ou inibição comportamental com introversão (Weir, 2014). Uma resposta tímida ou introvertida das crianças às interações sociais pode parecer a mesma, porém são bem diferentes.

De acordo com a psicóloga do desenvolvimento da Universidade Estadual da Pensilvânia, Koraly Pérez-Edgar, as crianças que são tímidas desejam ter interações sociais, mas ao mesmo tempo, sentem que a socialização é algo muito estressante. Por outro lado, as crianças introvertidas preferem passar o tempo sozinhas e não estão interessadas nas interações sociais. E então, como você pode detectar se o seu filho é tímido? Pérez-Edgar conta o que as crianças tímidas têm em comum: elas sorriem de forma acanhada.

Quando você consegue descobrir se o seu filho é tímido?

De acordo com estudos de Harvard e da Universidade de Maryland, os sinais de inibição comportamental ou timidez podem ser percebidos antes do primeiro aniversário do bebê (Weir, 2014). Um desses sinais é a sensibilidade à novidade. Por exemplo, ele pode reagir demonstrando sinais de angústia ao ser exposto a um novo brinquedo musical. Com o passar do tempo, essa sensibilidade a coisas novas será transformada em uma sensibilidade à novidade social (Weir, 2014). Esta é uma das razões pelas quais é mais comum uma criança tímida desenvolver ansiedade social em comparação com uma criança introvertida.

A timidez pode prejudicar meu filho?

Ao contrário do que você possa imaginar, ser sensível – ou reservado em situações sociais – não é um problema. Ter pessoas mais cautelosas em relação às ameaças do ambiente é algo positivo! Além disso, de acordo com a pesquisa realizada por Weir em 2014, um sorriso tímido é percebido como um comportamento positivo perante a nossa sociedade, porém, existem algumas desvantagens para as crianças tímidas, como passar menos tempo com os amigos – o que é importante para o desenvolvimento da área socioafetiva. Deixando de lado essas pequenas desvantagens, a maior preocupação para se ter em relação a uma criança tímida é que ela desenvolva ansiedade social (Weir, 2014) – embora a maioria das crianças que são tímidas aprendam a se adaptar ao longo da adolescência, cerca de 35% delas passam por isso. A ansiedade social pode levar ao uso de drogas que ajudam a diminuir a timidez, e à depressão. Porém, a boa notícia é que a maioria das crianças tímidas aprende a administrar sua timidez e suas reações com o passar dos anos (Weir, 2014).

App Kinedu Desenvolvimento do bebePowered by Rock Convert

Como ajudar as crianças no controle da timidez?

De acordo com um estudo de Perez-Edgar, os bebês que deram maior atenção às ameaças ficaram mais inibidos socialmente quando se tornaram adultos. Ela sugere que nós devemos ajudar as crianças tímidas a manter sua atenção longe dos estímulos ameaçadores. Assim, elas serão capazes de modificar seus comportamentos, reduzindo o risco de desenvolverem ansiedade social. Os pais também influenciam diretamente na timidez. Mesmo que haja o desejo de superproteger os bebês tímidos, é necessário permitir que eles experimentem e lidem com situações desconfortáveis. Assim, eles terão a oportunidade de praticar o autocontrole de suas reações e do sentimento de timidez (Weir, 2014). Como pais, precisamos apoiar nossos filhos enquanto permitimos que eles realizem as coisas por conta própria. Resumindo: a timidez não é um transtorno e não precisa se tornar um problema para as crianças tímidas (Weir, 2014). Se você tem um bebê tímido, basta colocá-lo no ambiente correto sem protegê-lo demais, e ele provavelmente se sairá bem!

Referências: [source]