As crianças constroem sua autoestima por meio das experiências. Quando você brinca com o seu filho e permite que ele seja ele mesmo, você está alimentando a confiança dele. Confira um passo a passo para ajudar seu pequeno a desenvolver a autoestima dele. 

A de Apreciação

Quando seu bebê nasce, você é a coisa mais fascinante do mundo para ele! É por isso que ele olha para você com tanta admiração! Desde que nasceu, seu bebê começou a gostar das coisas que você proporciona a ele, como o calor do seu toque ou mesmo a luz no corredor (que indica que a mamãe está a caminho). Seu bebê veio ao mundo sentindo-se agradecido.

Portanto, para fazê-lo se sentir apreciado, você deve primeiro prestar muita atenção a ele. Transforme suas expectativas em apreciações e reconheça a realidade de quem ele é. Do que ele gosta? Como ele é? Permitir que seu filho descubra o que realmente lhe interessa, e não o que todo mundo gosta, faz parte da construção de sua própria identidade. Se seu filho estiver brincando no jardim sozinho, isso não significa que ele tenha uma autoestima baixa – descubra o que ele está fazendo que o deixa tão intrigado.

Preste atenção nos sentimentos do seu filho e tente entender o que ele gostaria de dizer colocando-se no lugar dele. Observe e pergunte a si mesmo o que ele pode estar sentindo quando você diz ou faz alguma coisa. Aprecie os sentimentos dele, reconheça a legitimidade do que ele quer e mostre a ele que você o entende. Quando seu filho se sente compreendido, ele também se sente aceito e amado.

B de Bom exemplo

Ser um bom exemplo não significa ter que sorrir o dia todo. Em vez disso, também ensine o seu pequeno sobre o esforço. Mostre a ele que, às vezes, não sentimos vontade de fazer algo, mas que, quando fazemos as coisas de uma maneira alegre ou pelo menos sem reclamar e colocamos nosso esforço nelas, podemos nos orgulhar de um trabalho bem feito. Isso irá demonstrar confiança e persistência.

banner kinedu desenvolvimento

Encontre momentos para fortalecer os laços afetivos entre vocês e deixe que seu filho lhe mostre e lhe diga quem ele é. O que ele quer fazer? Talvez ele não goste de futebol, mas goste de brincar com blocos de montar, ou talvez prefira quebra-cabeças do que bichos de pelúcia. Por que isso?

É claro que você pode elogiar seu filho durante uma atividade, mas não exagere. Ele consegue ler muito bem suas expressões faciais e seu tom de voz. Então, às vezes, é melhor dar a ele um voto de confiança e elogiar seu esforço dizendo: “Está tudo bem, amanhã será melhor”, “Tenho orgulho de você por não desistir!” ou “Você está ficando cada vez melhor neste jogo!”.

Comecem a se conhecer nesse contexto de amor e respeito. Quando seu filho sente que pode ser ele mesmo, ele cria confiança em quem é.

C de Confiança

Crie momentos para fazer com que seu filho se sinta orgulhoso de si mesmo. Deixar que ele seja a fonte de sua própria maestria construirá sua confiança e autoestima.

Deixe-o explorar livremente enquanto você estabelece limites no ambiente. Não há nada mais fascinante para o seu filho do que conhecer coisas novas; desde aprender a segurar um bloco até saber o nome das formas e das cores. Ele quer saber como as coisas funcionam, então deixe que ele descubra por si mesmo.

Não evite os desafios que possam frustar ou assustar o seu filho. Haverá situações em que você desejará atender às necessidades dele imediatamente, mas tente mostrar a ele o caminho e deixá-lo ser o protagonista da história. Por exemplo, se o seu filho estiver naquela fase de se arrastar por aí e for parar embaixo de uma mesa sem saber como sair de lá, ao invés de tirá-lo, mostre a ele como fazer isso: “Está tudo bem. Abaixe a cabeça e venha até mim, assim”. Ele sairá com um sorriso de orelha a orelha, sentindo-se competente e sem medo de entrar nesse tipo de situação novamente. Consolar seu filho e ajudá-lo a encontrar seu próprio caminho são coisas que abrem caminho para que ele se conecte com as pessoas, tolere frustrações e gerencie suas emoções e seus impulsos.

Estas são oportunidades em que seu filho descobre as coisas por conta própria e constrói seu senso de competência e de valor próprio. É disso que ele precisará no futuro para lidar também com as partes tristes e assustadoras da vida. Continue ajudando seu pequeno a construir sua autoestima e se expressar!