X
X

Será que as crianças aprendem e formam laços afetivos durante videochamadas?

Ajude o seu bebê a dormir melhor.

Ajude o seu bebê a dormir melhor.

X
X

Em todo o mundo, as pessoas usam ferramentas como FaceTime e Skype para se conectarem com suas famílias e amigos. E os nossos filhos? Eles entendem e crescem a partir dessas interações virtuais com seus familiares?

Uma equipe de pesquisadores do Lafayette College, liderada pela professora doutora Lauren J. Myers, estudou crianças de 1 a 2 anos para descobrir os resultados das interações no FaceTime, buscando descobrir se elas criam relacionamentos e aprendem durante as videochamadas com outras pessoas. Neste estudo, 60 crianças com menos de 2 anos foram divididas em dois grupos. Cada grupo teve uma semana de interações por meio de videochamadas em tempo real ou vídeos pré-gravados de novas palavras, ações e padrões.

Os pesquisadores descobriram que as crianças prestavam atenção e respondiam às pessoas dos dois tipos de vídeo, mas só respondiam em sincronia com a pessoa no bate-papo por vídeo em tempo real (como bater palmas após a pessoa no vídeo fazer o mesmo). Da mesma forma, após uma semana de conversas por vídeo, as crianças que interagiam ao vivo aprenderam informações sociais e cognitivas. Por exemplo, elas reconheciam e demonstravam preferência pelas pessoas com quem conversavam nas chamadas em tempo real, e aprenderam novas palavras e padrões.

O aprendizado não ocorreu com o vídeo pré-gravado, em que não se podia ver ou ouvir a criança, e responder de acordo com suas reações. Os pesquisadores encontraram evidências de que as crianças podem perceber a diferença entre interações em tempo real e “interações falsas" pré-gravadas, que fazem pausas após as perguntas para que as crianças as respondam – como em muitos programas de TV infantis.

De acordo com o estudo, por volta dos 17 meses, as crianças começam a aprender a partir das interações de vídeo ao vivo com pessoas reais. “Eles começam a entender quem é essa pessoa na tela, e são capazes de obter resultados significativos a partir da interação em tempo real com ela", diz Myers.

X
banner kinedu desenvolvimento

Assim, você pode ficar tranquilo, sabendo que seu filho pode – e vai! – aprender a criar laços com os membros da família, como a vovó e o vovô – mesmo que ele não os veja muito fisicamente. As ferramentas de bate-papo por vídeo irão ajudá-la a conectá-los.

Lafayette College. (ID: 2016 , 15 de julho). Novo estudo sobre crianças ressalta o valor do chat por vídeo do FaceTime como interação significativa. ScienceDaily. Consultado em 30 de agosto de 2016. Disponível em  www.sciencedaily.com/releases/2016/07/160715115023.htm

Lauren J. Myers, Rachel B. LeWitt, Renée E. Gallo, Nicole M. Maselli. Baby FaceTime: as crianças podem aprender com o bate-papo por vídeo on-line? Developmental Science, ID: 2016 ; DOI: 10. ID: 1111  / desc. ID: 1243 0

Quer receber outros conteúdos como este de graça?

Assine a nossa newsletter e faça parte da comunidade kinedu.

Artigos relacionados

bilinguismo

O bilinguismo e o cérebro

Muitos pais conhecem os benefícios que o aprendizado de mais de um idioma pode ter no futuro de uma criança.

Deixe seu comentário!

1 comentário em “Será que as crianças aprendem e formam laços afetivos durante videochamadas?”

  1. Pingback: A importância dos avós - Kinedu Blog

Comentários encerrados.