Dia 8 de Março é o Dia Internacional da Mulher, um dia para celebrar as conquistas e evidenciar a luta pelos direitos das mulheres.

Não é nenhum segredo que a COVID-19 levou as mulheres – especialmente as mães – ao limite. Nos Estados Unidos, o número de novas mães que declararam sofrer com ansiedade e depressão triplicou durante a pandemia e mais de 2 milhões de mulheres deixaram o mercado de trabalho, especialmente por não terem acesso a creches ou escolas. Depois de um ano de pandemia, o coronavírus evidenciou uma dinâmica que já existe há muito tempo: com frequência, a maioria das tarefas domésticas e da responsabilidade em relação à criação dos filhos cabe às mulheres.

Em Abril de 2020, o Kinedu colaborou com o Dr. Phil Fisher, psicólogo e professor na Universidade de Oregon, para estudar o impacto da pandemia no bem estar das famílias. Com essa iniciativa, queríamos 1) apoiar estudos importantes durante este momento histórico e 2) entender melhor como a quarentena vem afetando você e sua família.

Mais de 500 famílias do Kinedu responderam ao questionário e ajudaram a contribuir com um dos maiores estudos em andamento sobre parentalidade na pandemia. O estudo Avaliação Rápida do Impacto da Pandemia no Desenvolvimento da Primeira Infância  (RAPID-EC, sigla em inglês) não possui foco exclusivo nas mães, mas nos revela como os pais estão lidando com os desafios pessoais, econômicos e sociais trazidos pela pandemia. Em sua pesquisa, que incluiu milhares de famílias nos Estados Unidos, o Dr. Fisher e sua equipe descobriram que:

banner kinedu desenvolvimento
  • 42% das famílias estão preocupadas em cobrir suas despesas básicas, como alimentação e moradia.
  • Pais solteiros, dentre a maioria mulheres, reportam altos níveis de estresse emocional, em comparação com casais que têm filhos pequenos.
  • 70,3% dos pais que possuem filhos com alguma deficiência apresentam quadros de ansiedade, em comparação com 40,2% dos pais que possuem filhos sem deficiências.
  • Conflitos familiares, seja entre o casal, pais e filhos, ou entre irmãos, aumentaram significativamente durante a pandemia, em comparação com tempos pré-pandemia (31,3%, 56,4%, e 58,4% respectivamente).
  • 28% das famílias com crianças pequenas perderam alguma consulta médica.

O que podemos fazer, sabendo que muitas famílias, especialmente mães, estão passando por altos níveis de estresse e ansiedade? Nós, do Kinedu, estamos fazendo nosso melhor para atender às necessidades de nossas famílias: liberamos o acesso Premium gratuitamente para todos nossos usuários em Março do ano passado, diminuímos o custo de nossas assinaturas, compartilhamos as mais recentes pesquisas sobre a COVID-19 e colaboramos com a Universidade de Oregon para oferecer apoio virtual individualizado. Porém, acreditamos que sempre podemos fazer mais. Por isso, continuamos a avaliar como podemos apoiar famílias, especialmente as mães. Caso você tenha alguma ideia, ou esteja interessado em colaborar conosco, entre em contato pelo e-mail ola@kinedu.com.

As mulheres não devem carregar o peso desta pandemia sozinhas. Fundamentalmente, os governantes, parceiros, e empregadores possuem a responsabilidade de oferecer apoio e acesso universal a creches, escolas e serviços essenciais.

Para saber mais sobre o estudo RAPIC-EC, visite o site https://www.uorapidresponse.com/. Se você mora nos Estados Unidos e gostaria de participar da pesquisa, entre em contato com o e-mail uorapideec@uoregon.edu.

Para mais informações sobre como a pandemia está afetando mulheres ao redor do mundo, acesse: