Muitos pais conhecem os benefícios que o aprendizado de mais de um idioma pode ter no futuro de uma criança. No entanto, muitos pais não estão cientes dos benefícios adicionais que o aprendizado de uma segunda língua pode ter! A experiência de aprendizado de um idioma muda o cérebro e, com isso, altera o curso do desenvolvimento. Existem vários estudos que tentam entender os efeitos do bilinguismo, e a conclusão surpreendente é que aprender uma segunda língua (ou até mesmo uma terceira ou quarta) tem um efeito sobre o desenvolvimento que vai além do domínio linguístico.

O cérebro social

A ideia da teoria da mente é focada em obter um vislumbre do que sabemos agora sobre como o bilinguismo pode afetar os processos sociais. A teoria da mente (ToM) é definida como suposições ou ideias de alguém sobre o que os outros pensam sobre algo. Ela requer as representações mentais de você e dos outros – e a percepção de que sua mente e seu conhecimento são separados da mente e do conhecimento dos outros.

Em um estudo importante sobre os efeitos do bilinguismo na cognição social, os pesquisadores Nguyen e Astington compararam grupos de crianças de 3 a 5 anos de idade em uma série de medidas, incluindo uma tarefa de crença falsa para testar a teoria da mente. Nessa tarefa, também conhecida como “Teste de Sally e Anne”, uma história é mostrada a uma criança. Nessa história, Anne move os brinquedos de Sally quando Sally não está olhando. É solicitado, então, que a criança aponte onde Sally irá pensar que os brinquedos estão. Uma criança que demonstra a teoria da mente irá reconhecer que Sally ainda pensará que os brinquedos estão onde ela os deixou originalmente, porque ela não tem todas as informações que Anne tem. No estudo, um grupo de crianças foi exposto tanto ao inglês quanto ao francês desde o nascimento ou antes dos 8 meses de idade, enquanto, em outro grupo, as crianças foram expostas ao inglês ou ao francês. O estudo constatou que as crianças que dominam dois idiomas superaram significativamente as que falam apenas um idioma nas tarefas de crenças falsas depois do controle da idade e da proficiência nos idiomas. A memória de trabalho também foi significativamente aumentada nas crianças bilíngues.

Powered by Rock Convert

Função executiva

A memória de trabalho parece não ser a única função executiva que é aprimorada em pessoas bilíngues. Um estudo de Bialystok e Senman mostrou que as diferenças entre pessoas bilíngues e pessoas monolíngues em uma série de tarefas de teoria da mente estavam relacionadas a um controle inibitório mais forte. Embora isso possa ser considerado mais relevante para o campo cognitivo, não é irrelevante para a competência social. A competência social envolve regulação emocional – a adaptação das reações para atingir um objetivo. Embora os controles inibitório e emocional não sejam a mesma coisa, os dois se mostraram fortemente correlacionados em crianças com idade pré-escolar (Carlson e Wang, ID: 2007 ). Por que a competência social é importante? A competência social é “preditiva de ajustes posteriores, sucesso acadêmico, autoestima e saúde mental”. É também um “indicador fundamental” dos resultados positivos em crianças pequenas, e uma das bases para a prontidão escolar (Oades-Sese, Esquivel, Kaliski e Maniatis, 2011).

Há várias implicações possíveis para a política a partir da pesquisa que foi realizada com bilíngues emergentes e monolíngues. Oades-Sese, Esquivel, Kaliski e Maniatis (2011) sugerem que é importante que as crianças se tornem proficientes em pelo menos uma língua durante a pré-escola. Programas que ajudem a identificar crianças com baixa habilidade linguística devem ser criados para permitir uma intervenção oportuna. Também é importante o conhecimento público de que o bilinguismo não “confunde” ou desacelera as crianças. Embora tenha havido vários estudos que sugerem que as crianças bilíngues se desenvolvem mais lentamente do que as crianças monolíngues, a evidência é inconclusiva – fatores como o status socioeconômico são provavelmente a razão por trás disso. Em termos de política, isso significa que ensinar uma segunda língua na pré-escola não prejudica as habilidades da língua nativa em crianças, e pode até mesmo ser benéfico para a prontidão escolar e para a competência social!

Se quisermos melhorar os resultados acadêmicos de uma criança, o bilinguismo pode ser uma ferramenta poderosa a ser considerada. Como mencionado acima, a competência social é fundamental para um bom desempenho escolar, e o bilinguismo parece melhorar as habilidades “não cognitivas” que as crianças precisam para ter sucesso. A interação entre o bilinguismo, a teoria da mente e as habilidades sociais provou ser tudo, menos insignificante. Com esse conhecimento, é importante que os formuladores de políticas no campo da educação reconheçam o poder dos idiomas para melhorar drasticamente os resultados.