A síndrome de Down leva a alterações no corpo e no cérebro da criança, que precisa de acompanhamento específico para se desenvolver da melhor forma.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou recentemente que cerca de 300 mil pessoas no Brasil têm síndrome de Down, uma condição causada por uma cópia “extra” dos genes do cromossomo 21. Essa cópia a mais é responsável por alterações no desenvolvimento físico e mental dos pequenos, podendo ser mais leves ou mais severas.

Por se tratar de uma condição genética, ela acompanha a criança por toda a vida e pode provocar algumas diferenças tanto na saúde quanto nos processos de aprendizagem. Por isso, é fundamental conhecer melhor as características da síndrome de Down e os cuidados específicos nesses casos. Continue a leitura e confira!

O que é a síndrome de Down e quais as suas causas?

Em geral, os bebês nascem com 46 cromossomos. Cada um é como um “pacote de genes”; todos determinam como o corpo e o cérebro se formam e, em alguma medida, como funcionarão ao longo da vida. Como dissemos, a síndrome de Down resulta de uma cópia do cromossomo 21. Por esse motivo, ela também é conhecida como Trissomia 21.

Isso ocorre no momento da concepção do seu bebê. Portanto, a condição não está relacionada a causas específicas: ela pode acontecer em qualquer gestação, embora seja mais comum entre mães com idade superior a 40 anos.

Quais são as características de crianças com síndrome de Down?

Cada criança é única, e isso é ainda mais verdadeiro quando ela nasce com síndrome de Down. No entanto, a Trissomia 21 leva a algumas características físicas comuns, como:

banner kinedu saúde
  • rosto mais achatado, sobretudo a ponta do nariz;
  • olhos em formato de amêndoa e levemente inclinados para cima;
  • orelhas, mãos e pés menores do que a média;
  • cabelos bastante lisos e finos;
  • baixa estatura;
  • prega palmar única.

Além disso, pessoas com síndrome de Down costumam ter o tônus muscular mais fraco (hipotonia) e são mais vulneráveis ao desenvolvimento de algumas doenças cardíacas, respiratórias, visuais e auditivas.

Por fim, pode ocorrer um desenvolvimento mental mais lento que o de outras crianças, principalmente quando não há estimulação adequada desde a primeira infância.

Existem cuidados específicos para crianças com síndrome de Down?

É importante reforçar que a Trissomia 21 não é uma doença. Logo, não existe algo como um “tratamento para a síndrome de Down”. Porém, alguns cuidados específicos são muito bem-vindos para que a criança possa alcançar um bom desenvolvimento físico e cognitivo.

Cada caso deve ser avaliado individualmente para que a criança receba o apoio e os estímulos ideais para alcançar um bom grau de autonomia. Além disso, é essencial realizar o acompanhamento especializado para prevenir ou identificar e tratar precocemente as doenças associadas à síndrome de Down.

Como você viu, a Trissomia 21 leva a alterações no desenvolvimento infantil. Assim, embora uma criança com síndrome de Down tenha mais semelhanças do que diferenças em relação às demais, é importante conhecer suas características e particularidades para cuidar dela da melhor maneira.

Você tem um filho ou familiar com síndrome de Down? Deixe seu comentário!