Nas primeiras papinhas, os bebês, em sua maioria, aceitam bem os ingredientes. Mas com o passar dos meses, a resistência a certos tipos de alimentos pode acabar ocorrendo.

Porém, isso não é motivo para você desistir! Afinal, uma boa alimentação é fundamental para o desenvolvimento das crianças, tanto físico quanto cognitivo. Portanto, confira agora algumas dicas infalíveis para garantir alimentos saudáveis na mesa, na lancheira e na vida dos seus filhos.

1. Incentive o consumo de frutas nos lanches

Quando o seu bebê iniciou a introdução alimentar, provavelmente, havia frutas das quais ele gostava mais. É claro que as preferências mudam muito rápido nessa fase (o que ele ama hoje, pode não gostar amanhã, e vice-versa).

Se o seu filho está apresentando resistência a comer frutas, vale a pena oferecer as mais queridas primeiro para ver se a aceitação é melhor — e siga apresentando variedades e novidades.

Se ele não gostou, ofereça de novo em um outro dia, mude a apresentação e coma junto. Seu filho vai adorar a companhia e o incentivo.

2. Tenha alimentos saudáveis em casa

Na correria do dia a dia, pode ser muito mais fácil oferecer um produto menos saudável, mas que seja mais prático. Para fugir dessas armadilhas, a melhor dica é ter mais alimentos saudáveis em casa, com variedade de sabor e também nutricional.

Fazer essas substituições nos lanches não é tão difícil: os biscoitos repletos de açúcar, por exemplo, podem ser substituídos pelos biscoitos de polvilho ou, até mesmo, por biscoitos doces na sua versão integral — com grãos integrais, açúcares mais saudáveis e em menor quantidade. Da mesma forma, sucos “de caixinha” podem ser trocados pelo suco de uva integral: misture com um pouco de água para ficar menos concentrado. As crianças adoram!

App Kinedu Desenvolvimento do bebePowered by Rock Convert

3. Evite produtos muito processados e industrializados

Existe uma orientação sábia que diz: “descasque mais e desembale menos”. É difícil, hoje em dia, não contarmos com as opções industrializadas dos alimentos, mas é possível fazer melhores escolhas — não somente pelas crianças, mas pela saúde de toda a família.

Uma forma consciente de comprar alimentos é lendo os rótulos. Felizmente, a tecnologia (e a mudança dos padrões de consumo) tem feito com que as empresas invistam em produtos mais saudáveis. Você sabia, por exemplo, que há leite em caixinha sem estabilizantes? É possível ler nas embalagens a redução de sódio e açúcar de muitos produtos, além da ausência de gorduras trans, e snacks que são assados em vez de fritos.

Logo, se você não consegue fugir dos alimentos industrializados, recorra às melhores opções. Há, inclusive, aplicativos que indicam se o alimento é bom e quais são seus ingredientes nocivos.

4. Faça refeições coloridas

Assim como nós, adultos, as crianças também comem com os olhos. Por isso, capriche na montagem dos pratos e das lancheiras: quanto mais colorido, mais atrativo (e saudável).

Mas se o seu filho ainda mostra resistência a um determinado ingrediente, vale a pena buscar combinações interessantes — sem mascarar esse alimento. A cenoura, por exemplo, pode ser ralada e refogada junto ao arroz; o espinafre fica delicioso quando preparado com um ovo mexido; e a couve vai muito bem em uma farofa.

Garantir uma alimentação saudável para crianças pode ser um desafio, mas com paciência, respeito e criatividade, você vai conseguir melhorar os hábitos alimentares de toda a sua família. Os esforços, com certeza, valem a pena!

E você? Tem alguma dica ou receita especial para incentivar as crianças a comer alimentos saudáveis? Divida com a gente aqui nos comentários!