Veja algumas formas simples de dar continuidade ao desenvolvimento das crianças em casa

Mais de 300 milhões de crianças ao redor do mundo estão em casa devido à pandemia de coronavírus (COVID-19). A ausências prolongada da creche ou da escola pode ser desafiadora para todos, mas ela é especialmente difícil para os pequenos.

Durante os primeiros anos de vida, os bebês dependem das interações com os adultos ao seu redor para se desenvolver e aprender. Crianças pequenas formam cerca de 1 milhão de conexões neurais por segundo – e muitas dessas conexões são estimuladas com as brincadeiras. Sem o acesso às escolas, creches e berçários, os pais se tornam os “novos professores” dessas crianças. Mas não se preocupe! Existem algumas formas de mantê-las ativas e engajadas ao longo do dia. Confira:

Atividades para fazer com as crianças em casa

Dança

Considere se desligar um pouco das notícias e ouvir mais música. Estudos mostram que ouvir música ajuda no desenvolvimento das principais habilidades cognitivas e linguísticas das crianças e pode proporcionar uma sensação de calma, tão necessária neste momento. Se você tem um bebê pequeno, coloque uma música tranquila quando ele estiver brincando de bruços. Se o seu filho tem entre 1 e 3 anos, você pode colocar uma música e pedir para ele criar uma “pintura interpretativa” com base nos sons que ouve. Com as crianças maiores, você pode assistir a videoclipes de quando você era adolescente. Elas costumam se divertir com a moda da época e adoram aprender mais sobre você e seus interesses! Dance com o seu pequeno, é uma ótima ginástica!

Leitura

Livros são ótimos para ajudar o seu filho a processar as emoções. Procure na sua estante livros que falem sobre transições, tédio ou saúde e leia em voz alta com o seu pequeno. Se o seu filho tem quatro ou cinco anos de idade, talvez seja o momento de começar a ler capítulos! Escolha um horário do dia para ler um ou dois capítulos, e considere criar um cantinho da leitura bem aconchegante em algum lugar da casa. Isso dará ao seu filho algo pelo qual esperar. Está ficando sem livros? A biblioteca pode até estar fechada, mas os livros digitais estão sempre disponíveis!

Powered by Rock Convert

Jogos de tabuleiro

Jogos de tabuleiro são uma forma divertida de envolver toda a família. Jogos simples de estratégia podem ajudar o seu filho a praticar resolver problemas, esperar pela vez dele, seguir regras e desenvolver estratégias – os jogos de tabuleiro envolvem várias habilidades de autorregulação emocional! Se o seu filho estiver irritado, deixe um pouco os jogos de lado. Quebra-cabeças também podem ser uma ótima alternativa!

Brincadeiras ativas

Crie um “acampamento de verão” em casa e façam brincadeiras interativas, como as de quando você era criança, como “O mestre mandou” ou pular corda. Você também pode montar uma pista de obstáculos e cronometrar o tempo que seu filho leva para percorrê-la. Se você não tiver quintal ou um espaço aberto para essas brincadeiras, lembre-se de tirar os móveis do caminho para evitar que o seu pequeno se machuque. As brincadeiras ativas são uma ótima forma de cansar as crianças antes dos cochilos; considere separar um horário para elas no começo da tarde.


Autor: Olivia Maitret é psicóloga com especialidade em Educação e mestrado em Terapia Sistêmica Breve. É professora de atenção plena e especializada no tratamento de transtornos de aprendizagem. Olivia foi professora pré-escolar por quatro anos e conselheira escolar por três anos, e ensina crianças a meditar. É psicoterapeuta familiar e adora ajudar pais e professores ao redor do mundo a participar do desenvolvimento infantil.

Editor: Riley Stevenson é escritora e professora em Portland, Oregon. Conta com um mestrado em Mídia e Educação. Possui certificações de Professora de Inglês para Estrangeiros e Cuidadora em Situações Traumáticas. Riley passou cinco anos trabalhando como professora de linguagem artística em escolas públicas de Oregon, onde teve o papel de consultora dos programas de estudo. Tem interesse no desenvolvimento precoce das habilidades linguísticas, sobretudo na área de aquisição de uma segunda língua.