O luto infantil é um momento difícil para a criança e para os pais, por isso é muito importante se preparar para lidar com ele.

A morte é algo que todos nós temos que lidar em algum momento, seja em função de um ente querido, seja com a perda de um animalzinho de estimação. Quando isso acontece ainda na infância, pode ser complicado para a família vivenciar o luto infantil.

Pensando nisso, listamos aqui informações que podem ajudar você a enfrentar esse período da melhor maneira possível. Continue a leitura e confira.

O que é o luto infantil?

Quando perdemos algo significante para nós, temos uma reação emocional intensa chamada de luto. Essa perda não se refere apenas à morte, mas a várias situações que nos causam dor, como uma decepção, uma despedida, um relacionamento, etc.

A criança também sofre com essas perdas desde muito cedo. A ausência da mãe por longos períodos e o desmame (perda do seio) são alguns exemplos. Sendo assim, os pequenos também enfrentam dificuldades com o luto.

Como a criança compreende a morte?

A compreensão da morte pela criança é bem diferente do que nós, adultos, estamos acostumados. Na verdade, ela ocorre em constante evolução de acordo com o desenvolvimento cognitivo. Aos 3 anos, por exemplo, o pequeno percebe a morte como a ausência e sente falta.

A partir dessa idade até os 5 anos, a criança acredita que os desejos, pensamentos e palavras podem causar ou evitar a morte. Por isso, é comum os sentimentos de culpa pelas mortes de pessoas próximas. Até os 11 anos, o conceito de morte é diferente a cada fase do desenvolvimento infantil. Conforme a criança amadurece, ela compreende a situação de maneira mais profunda.

Como o luto infantil se manifesta?

O luto infantil pode se manifestar de diversas maneiras, por isso, é importante que os pais observem se há mudanças no comportamento dos filhos para que possam apoiá-los.

kinedu-developmentPowered by Rock Convert

Veja alguns sinais do luto infantil:

  • a criança fica mais pegajosa ou mais ansiosa na separação;
  • a criança muda seu padrão de sono ou de higiene;
  • a criança faz muitas perguntas sobre a morte em geral ou sobre a partida de alguém em específico;
  • a criança não brinca mais como antes;
  • a criança perde o apetite;
  • a criança brinca em torno do tema “morte”, como fingindo que um boneco morreu.

Vale lembrar que essas mudanças comportamentais costumam ser temporárias e somem com o passar do tempo. Para que isso aconteça, é preciso que os pais sejam compreensivos, tenham paciência e ofereçam mais carinho e atenção à criança.

Como lidar com o luto infantil?

Muitos pais podem ficar perdidos ao terem que lidar com o luto infantil. Realmente não é algo fácil, já que muitas vezes eles também estão sofrendo o próprio luto.

As crianças em fase escolar aprendem por repetição, então podem perguntar sobre a morte várias vezes. Por mais doloroso que seja para você, explicar é importante para que elas compreendam o que aconteceu.

Há um costume de não falar sobre a pessoa que morreu para que a criança esqueça, mas não há problema algum em relembrar o ente querido. Você pode contar alguma história interessante ou fazer alguma atividade que ela gostava de praticar com a pessoa que não está mais entre vocês.

Há também quem prefira esconder a tristeza das crianças, mas chorar na frente do seu filho também é uma maneira de dizer que está tudo bem sentir falta, ter saudades e ficar triste. Isso ajuda os pequenos a lidarem com os próprios sentimentos.

Sabemos que o luto infantil é uma fase muito delicada que a família enfrenta. A dor é algo que faz parte do processo de desenvolvimento emocional da criança, por isso, é importante que os pais saibam lidar com esse momento. Apesar de geralmente ser temporária, se essa fase persistir e for intensa, é preciso buscar ajuda profissional.

Gostou de saber mais sobre o luto infantil? Então baixe agora o Kinedu e acesse centenas de atividades e artigos sobre desenvolvimento socioafetivo!