O parto natural é a maneira mais recomendada para dar à luz a uma criança. Conheça sua definição e vantagens e veja mais informações abaixo.

A hora de o bebê nascer vai se aproximando e, com ela, vem uma decisão muito importante a ser tomada: a forma como a mulher gostaria de dar à luz a criança. Entre algumas delas, temos o parto natural.

É preciso pensar bastante sobre o assunto, preparando o corpo e a mente para esse momento. Assim, desenvolvemos este artigo para apresentar uma visão geral sobre o parto natural. Mostraremos a seguir como ele funciona, o que é e os seus benefícios. Acompanhe!

O que é o parto natural e como funciona?

O parto natural nada mais é que aquele feito sem a necessidade de medicação e intervenções médicas durante o trabalho de parto, no momento do nascimento e no pós-parto. Ele acontece quando o corpo da mulher, depois de algumas horas, alcança altos níveis de ocitocina, resultando no nascimento do bebê.

Durante o parto, a mulher age ativamente ao longo de todo o processo, fazendo com que os médicos, enfermeiros obstetras e doulas fiquem apenas como apoio. Eles acompanham o momento, checando se tudo está correndo dentro do esperado em relação à saúde da mulher e do bebê, encorajando-a a continuar fazendo um bom trabalho.

O parto natural pode acontecer no hospital, em casas de parto e até mesmo no próprio domicílio.

Qual a diferença entre o parto natural e o parto normal?

Muita gente ainda tem essa dúvida, já que os dois tipos de partos acontecem de forma semelhante, mas existe uma diferença crucial entre os dois: o nível de interferência médica durante o nascimento do bebê.

No parto normal, há uso de artifícios para controlar a dor — como analgésicos e anestesia —, ou mesmo para acelerar as contrações e, consequentemente, o nascimento do bebê — como a introdução de ocitocina sintética no organismo da mulher.

Já o parto natural, como dito anteriormente, não utiliza nenhum desses artifícios, deixando que o corpo da mulher e o bebê façam todo o trabalho. Ele pode ser mais doloroso, mas apresenta uma série de vantagens, como:

  • não é um parto invasivo, diminuindo muito a possibilidade de ter algum efeito colateral para a mulher e para o bebê;
  • durante as horas de parto, a mulher tem controle sobre o próprio corpo, não perdendo nenhuma sensação e lucidez decorrentes de substâncias químicas;
  • participação ativa na hora de fazer força para empurrar o bebê no momento do nascimento;
  • muitas mulheres se sentem mais capazes e fortes depois de um parto feito totalmente por elas.

Como é a recuperação da gestante depois de um parto natural e quando ele é recomendado?

Dois dos aspectos que muitas mulheres consideram na hora de escolher a forma como irão parir são a velocidade e a facilidade de recuperação. O parto natural tem outra vantagem nesse ponto. Normalmente, o pós-parto de alguém que teve um parto natural é tranquilo e a recuperação é rápida. Isso acontece justamente pelo fato de o parto ocorrer sem o auxílio de substâncias que possam trazer efeitos colaterais severos.

Esse é um tipo de parto recomendável para todas as mulheres que levam uma gravidez saudável — ou seja, que não demandam de atenção especial do obstetra, nem de uma indução de emergência. É para todas aquelas que não enxergam a dor como algo impeditivo, e que gostam de ter controle sobre o próprio corpo.

Como visto, o parto natural, além de ser adequado para muitas mulheres, apresenta vários benefícios para o nascimento do bebê e para o pós-parto. É preciso se informar e se preparar para esse momento, mesmo que a hora do nascimento da criança não seja algo totalmente controlável.

Gostou do nosso artigo? Então, siga nossos perfis e páginas nas redes sociais para sempre ficar por dentro das nossas postagens! Estamos no Facebook e no Instagram.

Powered by Rock Convert