X
X
refluxo em bebê

Refluxo em bebê: dicas e sintomas

Ajude o seu bebê a dormir melhor.

Ajude o seu bebê a dormir melhor.

X
X

Seu bebê vomita, fica irritado e chora com frequência depois de comer? Em caso positivo, é provável que ele esteja sofrendo de refluxo gastroesofágico (também conhecido como “refluxo” somente).

Se um bebê é amamentado ou alimentado com fórmula, não importa – em ambos os casos, ele pode sofrer de refluxo. O refluxo ocorre quando o alimento e o ácido do estômago retornam ao esôfago e, às vezes, saem pela boca.

Em bebês, o refluxo geralmente acontece porque o anel do músculo na parte inferior do esôfago (que abre e fecha para permitir que a comida entre no estômago) ainda não se desenvolveu completamente. Isso significa que, quando a barriga do seu bebê estiver cheia, o leite e o ácido podem voltar para o esôfago, causando desconforto. Embora esse problema possa ser frustrante, você não deve se preocupar – ele é, na verdade, um dos problemas mais comuns relacionados à alimentação dos bebês! Cerca de 25% de todos os bebês experimentam algum grau de refluxo. 

A boa notícia é que o refluxo em bebê geralmente se resolve sozinho, sem qualquer tratamento, entre os 12 e os 18 meses de idade. Apenas cerca de 5% das crianças com idade superior a 12 meses continuarão a regurgitar.

Sinais de refluxo em bebê

Mas como saber se o seu bebê sofre de refluxo? Aqui estão alguns dos sinais de refluxo em bebê:

X
banner kinedu saúde
  • Ele regurgita o leite ou a comida;
  • Fica irritado;
  • Mama ou come pouco;
  • Tosse frequentemente;
  • Vomita com frequência;
  • Chora depois de mamar ou comer;
  • Tem desconforto, gases ou dores abdominais depois de mamar ou comer (azia).

Dicas para diminuir o refluxo em bebê

Se seu bebê tiver refluxo leve, mas estiver mamando ou comendo bem, as dicas a seguir podem lhe ajudar:

  • Mantenha o seu bebê ereto quando for alimentá-lo.
  • Depois de cada mamada ou refeição, seu bebê deve ser colocado na posição vertical por 20 a 30 minutos.
  • Dê a ele porções menores, mas com mais frequência – isso pode ajudar a diminuir as chances de regurgitação.
  • Certifique-se de não dar leite ou comida em excesso para o seu bebê, pois isso pode agravar o refluxo.
  • Se o seu bebê usa mamadeira, certifique-se de fazê-lo arrotar a cada 2 ou 3 minutos durante as mamadas.
  • Invista em uma boa bomba tira-leite de fluxo lento, para que o leite não saia muito rápido.
  • Fazer o seu filho arrotar a cada 50 ml de leite, em média, será muito útil.
  • Dependendo da idade do seu bebê, engrossar a fórmula com cereal de arroz poderá melhorar o refluxo.
  • Seu bebê pode ser alérgico a uma fórmula à base de leite, então você pode ter que considerar trocar a fórmula.

Certifique-se de anotar quantas vezes por dia você alimenta seu bebê, em quais horas do dia ele chora mais e quando e quanto ele vomitou. Essas informações são importantes na hora de consultar o pediatra.

No geral, independentemente de achar que o seu bebê sofre ou não de refluxo, é bom evitar o seguinte, tanto quanto for possível:

  • Andar de carro logo após mamar ou comer;
  • Fraldas ou roupas apertadas ao redor do abdômen;
  • Exposição ao fumo;
  • Alimentação forçada;
  • Distrações como TV, tablets ou brinquedos – certifique-se de que seu bebê esteja relaxado e não fique muito agitado na hora de comer ou mamar.

Quando procurar o pediatra

Embora você não deva se preocupar muito se o seu bebê vomitar ocasionalmente após as mamadas ou refeições, é importante falar com o seu médico se o seu filho:

  • Fica irritado durante ou após as mamadas ou refeições, chorando e arqueando as costas;
  • Vomita grandes quantidades regularmente;
  • Vomita fluidos esverdeados ou amarelados;
  • Fica agitado ou se recusa a mamar ou comer.

Embora esse problema seja confuso e possa ser frustrante, você não deve se preocupar. No entanto, estar ciente dos sinais do refluxo em bebê pode te ajudar a evitar esse problema. Leia esse artigo sobre como ajudar seu bebê com o refluxo dele. 

Qual técnica funcionou para o seu bebê? Compartilhe nos comentários! 

Quer receber outros conteúdos como este de graça?

Assine a nossa newsletter e faça parte da comunidade kinedu.

Artigos relacionados