É essencial que o bebê faça o teste do pezinho nos primeiros dias de vida. Conheça as doenças detectadas e por que ele é importante!

Logo que o bebê nasce, já são realizados diversos exames, entre eles, o teste do pezinho. Apesar de as mamães ficarem com o coração apertado — por conta da coleta de sangue no calcanhar do recém-nascido —, saiba que passar pelo procedimento ajuda a garantir a saúde do pequeno.

Isso mesmo! O exame pode diagnosticar uma série de doenças raras, permitindo que a família comece o tratamento o quanto antes. Esse exame é uma forma de evitar complicações devido às doenças que podem ser diagnosticadas, permitindo que a criança viva melhor.

Quer entender melhor como funciona o teste do pezinho, quais são as doenças diagnosticadas, como ele é realizado e a importância do exame para a saúde do seu bebê? Então, continue a leitura deste post!

Pra que serve o teste do pezinho?

O teste do pezinho, ou triagem neonatal, é um dos exames que todo recém-nascido precisa fazer — assim como os testes do olhinho, do coraçãozinho e o teste da orelhinha. No Brasil, o procedimento, que começou a ser feito no final dos anos de 1970, tornou-se obrigatório a partir de 1992.

Esse é um teste gratuito, oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas se a família preferir, pode realizar o exame em um laboratório privado credenciado.

Trata-se de um procedimento preventivo importante, pois ele, atualmente, detecta 6 doenças. Com uma nova lei, aprovada pelo governo federal em Maio de 2021 e que deverá entrar em vigor dentro de 365 dias, o exame passará a diagnosticar 53 doenças.

Confira algumas das doenças que o teste do pezinho poderá detectar:

  • fenilcetonúria;
  • hipotireoidismo congênito;
  • deficiência de biotinidase;
  • fibrose cística;
  • anemia falciforme;
  • hiperplasia adrenal congênita (HAC);
  • toxoplasmose congênita;
  • galactosemias;
  • aminoacidopatias;
  • imunodeficiências primárias;
  • atrofia muscular espinhal (AME);
  • mucopolissacaridoses (MPS);
  • doenças lisossômicas.

O teste do pezinho é um exame laboratorial que tem como objetivo rastrear doenças metabólicas, genéticas ou infecciosas. Caso o teste aponte alguma alteração, são realizados exames específicos para confirmar o diagnóstico.

Vale ressaltar que a ampliação do teste do pezinho será feita de forma gradual no Brasil, com cada fase abrangendo um novo grupo de doenças. Os estados terão um prazo para se adaptar às mudanças nesse exame.

Quando fazer o teste do pezinho?

Agora que você já sabe de algumas doenças que o teste do pezinho pode detectar precocemente, precisa ter em mente que existe um período ideal para o exame ser realizado.

A coleta de sangue precisa ser feita entre o terceiro e quinto dia de vida do bebê. É fundamental respeitar o prazo, visto que, se feito antes, é possível haver interferências devido a alterações hormonais e metabólicas do organismo do bebê nas primeiras 48 horas de vida — o que pode reduzir a efetividade do exame. Se feito depois desse tempo, pode atrasar a suspeita e a confirmação de um diagnóstico.

Geralmente, a maternidade já orienta as mamães a procurarem um posto de saúde ou local que faça o teste. Dependendo da cidade, o teste é feito na própria maternidade, antes da alta de mamãe e do bebê.

banner kinedu saúde

Como é feito o teste do pezinho?

Como o próprio nome indica, o teste do pezinho é feito no pé do recém-nascido. Para coletar o sangue, é realizada uma pequena picada no calcanhar do bebê — região que tem grande concentração de vasos sanguíneos.

Para o procedimento, é necessário segurar o tornozelo e o pé do pequeno para fazer a punção e coletar algumas gotinhas de sangue em um papel filtro. Uma boa dica é pegar a criança e segurá-la em pé, como é a posição para o pequeno arrotar após a mamada.

Depois de fazer o teste do pezinho e ter o resultado em mãos, basta levá-lo para que o pediatra possa analisar logo nas primeiras consultas.

Por que esse exame é tão importante?

Como você viu, o teste do pezinho é obrigatório, mesmo que a família não apresente histórico das doenças que podem ser identificadas. Isso acontece porque é possível detectar alterações no sangue que indicam doenças raras.

Como muitas dessas enfermidades podem demorar a apresentar sintomas ou ter uma evolução lenta, passar pelo procedimento permite começar o tratamento precocemente.

Ter esse diagnóstico pode evitar complicações sérias para o seu filho, como problemas:

  • ósseos;
  • respiratórios;
  • cardíacos;
  • neurológicos;
  • nas articulações.

Quando não identificadas precocemente, algumas doenças podem trazer prejuízos para a qualidade de vida ou levar a criança ao óbito. Ao ter o rastreamento da doença, é possível começar cedo o tratamento, permitindo que o pequeno viva bem — visto que a intervenção começa antes do agravamento da enfermidade.

Detecção da fenilcetonúria

Vamos mostrar como exemplo a fenilcetonúria, doença hereditária conhecida pela sigla PKU, que é caracterizada por ser um defeito metabólico. Nesse quadro, há um acúmulo do aminoácido fenilalanina no sangue, o que é tóxico para o organismo, afetando o sistema nervoso central.

Os primeiros sintomas da PKU começam a ser notados somente perto dos 6 meses do bebê. Entre eles, percebe-se problemas no desenvolvimento neuropsicomotor, deficiência mental e crises convulsivas.

Ao fazer o teste do pezinho, a família consegue diagnosticar precocemente a fenilcetonúria e pode iniciar o tratamento específico, evitando o quadro clínico típico da doença. No caso da PKU, a terapia é feita a partir de uma dieta especial.

É necessário evitar o consumo de alimentos que contêm fenilalanina, como carnes, ovos e oleaginosas. Devido a essa restrição na alimentação, é recomendado que a criança com o diagnóstico da doença tenha o acompanhamento de um nutricionista.

Nos primeiros dias de vida do seu bebê, ele já pode realizar um conjunto de exames importantes para a saúde e a qualidade de vida dele. Como foi mostrado, o teste do pezinho é um procedimento simples de ser feito e que permite rastrear doenças raras, possibilitando o início do tratamento adequado.

Agora que você já sabe pra que serve o teste do pezinho, como ele é feito e por que ele é tão importante, aproveite para baixar o app Kinedu e acessar aulas ao vivo e gravadas sobre a saúde e o desenvolvimento dos bebês!