Ao estimular a psicomotricidade da criança, a família faz com que ela tenha mais consciência sobre seus movimentos, trazendo benefícios para o seu desenvolvimento saudável.

O movimento é uma ação natural que realizamos, na maioria das vezes, de forma espontânea. Apesar disso, não é um processo simples, pois envolve não só a parte motora, mas também os aspectos cognitivos e até emocionais.

Desse modo, a psicomotricidade pode ser estimulada ainda na primeira infância, a fim de que a criança se desenvolva de forma integral. Assim, ela passa a entender não apenas a estruturação do próprio corpo, mas também o lugar que ocupa na natureza e na sociedade.

Quer compreender melhor o que é psicomotricidade, sua importância no desenvolvimento infantil e como ela pode ser estimulada em casa pela família? Então acompanhe nosso post!

O que é psicomotricidade?

Trata-se de uma ciência que busca entender os aspectos cognitivos, ligados ao processamento das informações, e também os emocionais, e sua relação com o movimento humano nas diversas etapas da vida.

Tal função se dá porque a realização de qualquer movimento envolve a nossa inteligência e tem uma intenção. Dessa maneira, ao estimular a psicomotricidade, estamos educando os movimentos com o melhor uso das nossas capacidades psíquicas.

Nesse contexto, é fundamental que ela seja trabalhada na primeira infância para que as crianças cresçam mais conscientes em relação a seus movimentos e ao próprio corpo, entendendo também como se dá o seu relacionamento com o mundo externo.

Por que a psicomotricidade é importante para o desenvolvimento da criança?

Agora que você já sabe o que é psicomotricidade, é possível entender como a terapia psicomotora é essencial para crianças com atrasos no desenvolvimento ou dificuldades de aprendizagem.

Contudo, ela pode ser trabalhada com todos os bebês e crianças. Veja a seguir as habilidades que o estímulo ao movimento dos pequenos – e sua consciência em relação a isso – ajuda a desenvolver:

  • coordenação motora grossa e fina;
  • consciência corporal;
  • noção de espaço e tempo;
  • autorreconhecimento;
  • lateralidade;
  • comunicação;
  • atenção;
  • concentração;
  • inteligência emocional;
  • raciocínio lógico;
  • ritmo;
  • equilíbrio.

Como estimular a psicomotricidade na educação infantil?

A escola trabalha a psicomotricidade dos pequenos em diferentes atividades, e um terapeuta psicomotrista pode tratar os casos em que as crianças apresentem atrasos ou dificuldades de aprendizagem – mas você também pode estimular o seu filho em casa, de um modo bastante lúdico, com brincadeiras e jogos.

Dessa maneira, você contribui para o desenvolvimento saudável do seu pequeno e ainda aproveita bons momentos de diversão com ele!

Confira abaixo algumas sugestões para cada fase.

De 4 a 6 meses

Por ainda serem bem pequenos, nessa fase, os bebês ainda não se reconhecem. Por isso, uma dica para estimular a psicomotricidade é colocar o seu filho em frente a um espelho, a uma curta distância, na qual ele consiga se ver por inteiro.

Sente-se com o seu pequeno e levante os braços dele apontando para o movimento do espelho. Você pode mostrar os pés, mãos, dedos, tudo de uma forma bem lúdica. É um exercício que vai ajudar a reforçar sua consciência corporal.

Powered by Rock Convert

De 7 a 9 meses

Nessa fase, o bebê está começando a engatinhar ou a se arrastar com a intenção de explorar o ambiente e, principalmente, de pegar objetos.

Então, você pode colocá-lo de bruços em um tapete de atividades e deixar um brinquedo do qual ele goste, de preferência que seja bem colorido ou musical, a uma pequena distância. A partir disso, você o incentiva a se movimentar para conseguir apanhar o brinquedo. É uma brincadeira que estimula a coordenação motora.

Seguindo essa mesma ideia, você também pode utilizar uma caixa de papelão aberta dos dois lados, para que funcione como um túnel: de um lado, coloque o brinquedo; do outro, o bebê. Ele terá que passar pelo túnel para conseguir aquilo que quer.

Aos 12 meses

Os pais podem utilizar brinquedos que tenham formas para encaixe e, assim, estimular o movimento de pinça e a coordenação motora fina. Dá para improvisar até mesmo com outros objetos: você pode entregar cotonetes para a criança colocar em um pote de plástico.

De 17 a 19 meses

É possível realizar diversas atividades, como colocar pequenas almofadas no chão como obstáculos para a criança andar, para que ela utilize o movimento como forma de transpor o desafio.

Um simples jogo de empilhar blocos também é bem-vindo, pois trabalha a verticalidade, e outra brincadeira em que ela tenha que abrir uma garrafa, estimula a lateralidade e a coordenação motora fina.

Outra sugestão é brincar com massinha: a criança pode se divertir fazendo bolinhas ou outros formatos.

De 22 a 24 meses

Perto dos dois anos, os pequenos já desenvolvem o equilíbrio, e a família pode estimular a psicomotricidade com brincadeiras de chutar uma bola ou arremessar objetos leves, por exemplo. Você pode improvisar uma caixa de papelão para ser o gol ou a cesta de basquete.

Podem parecer movimentos simples, mas que trabalham a concentração, senso de direção, força e autoconsciência.

Aos 36 meses

Nessa fase, a dica é fazer atividades artísticas utilizando cartolina, giz de cera, lápis de cor, papéis, cola ou carimbos. A criança pode desenhar, pintar, rabiscar e fazer colagens de forma livre.

É uma forma de estimular a concentração, a criatividade, a expressão das emoções e a coordenação motora fina.

Como a tecnologia pode auxiliar os pais nesse estímulo?

Mesmo sabendo o que é psicomotricidade e a importância de estimulá-la na primeira infância, muitos pais ficam confusos e sem ideia sobre qual é a melhor atividade a ser realizada de acordo com a faixa etária da criança.

Nessa hora, vale contar com a forcinha da tecnologia. Existem aplicativos criados para auxiliar as famílias a trabalharem as questões ligadas à psicomotricidade dos bebês e crianças, com instruções para atividades diárias e vídeos para cada fase. Assim, fica mais fácil estimular o movimento do pequeno e seus aspectos cognitivos, ajudando-o a atingir seu desenvolvimento pleno.

Gostou de entender o que é psicomotricidade e as formas de estimulá-la na infância? É possível trabalhar diferentes atividades lúdicas que acompanham o desenvolvimento do bebê. Dessa forma, ele passa a se reconhecer, ter consciência do seu corpo, das pessoas e do mundo à sua volta.

As informações que trouxemos neste post foram interessantes para você? Então, compartilhe este conteúdo com seus amigos nas redes sociais para que eles também entendam a importância da psicomotricidade no desenvolvimento infantil.