As birras são extremamente comuns em bebês e crianças pequenas. É através delas que as crianças enfrentam emoções complexas. É importante entrar em sintonia com as emoções do seu filho para evitar situações que provocam essas birras.

Você não precisa ter um filho para conhecer a palavra birra. É claro que todos já viram ou vivenciaram uma birra alguma vez na vida.
As birras são completamente normais e são esperadas em crianças entre 1 e 3 anos de idade. Elas são uma saída para as crianças lidarem com emoções complexas ou difíceis. Durante essa fase, as crianças pequenas começam a desenvolver sua independência, mas ainda dependem dos adultos. Elas ainda não contam com as habilidades necessárias ou o desenvolvimento do cérebro para se autorregular. Para piorar as coisas, as crianças nessa idade ainda não têm vocabulário suficiente para expressar suas emoções, então se expressam através de ações.

As birras variam em tipo e intensidade, podendo envolver: chorar, gritar, chutar, bater a cabeça, arquear as costas, se jogar no chão ou prender a respiração. Ao fazer isso, dizem que a pessoa “”surtou””, e esta situação não é exclusiva às crianças pequenas; As crianças mais velhas e até mesmo os adultos podem fazer birra quando se sentem sobrecarregados por suas emoções e não conseguem ou não têm as habilidades certas para se autorregular.

Quais são as possíveis causas de uma birra?

  • Temperamento: Se seu filho não tolera a frustração, é mais fácil ele reagir com uma birra.
  • Fome, cansaço e superestimulação: Para as crianças, essas sensações são difíceis de identificar. Você já ouviu alguém dizer “a fome o deixa insuportável”? As necessidades do corpo têm um grande impacto no nosso comportamento e não percebê-las pode ser um gatilho para as birras.
  • Frustração e perda de controle: Se uma criança pequena deseja concluir uma tarefa acima do seu nível de desenvolvimento ou uma criança ou irmão mais velho se impõe, isso pode provocar uma birra.
  • Grandes emoções: Emoções como raiva, vergonha e preocupação podem ser esmagadoras para as crianças.

Conselhos para lidar com as birras do seu filho:
É importante ter em mente que as birras são uma parte normal do crescimento, mas há coisas que você pode fazer, como pai ou mãe, para torná-las menos frequentes.

banner kinedu desenvolvimentoPowered by Rock Convert
  • Tenha uma rotina: Se você se certificar de que seu filho pequeno está alimentado e descansado, você pode reduzir as birras devido às necessidades fisiológicas.
  • Empatia: Esteja ciente das emoções do seu filho. Coloque-se no lugar dele e tente imaginar como ele deve estar se sentindo. Além disso, ajude seu filho a controlar essa emoção dando nome à ela e redirecionando sua atenção para algo que ele goste.
  • Conheça os gatilhos do seu filho: Se o seu filho sempre faz birra durante um passeio, antecipe-se. Leve os brinquedos apropriados, certifique-se de que ele está alimentado e descansado, e tente escolher ambientes que não provocam esse tipo de situação.
  • Ensine-o a nomear suas emoções: Mesmo que o seu filho ainda não fale, ele está sempre prestando atenção. Se ele se frustrar e arremessar um brinquedo, ao invés de repreendê-lo, nomeie a ação e a emoção que correspondem com o ato. Por exemplo: “”Você jogou o brinquedo porque ficou frustrado. Eu entendo que é difícil, deixe-me ajudá-lo para que você não se sinta assim””.
  • Ofereça brinquedos e atividades apropriadas: Crie um espaço para brincar com brinquedos e atividades que engajam o bebê, mas que não estejam bem acima do nível de desenvolvimento dele, pois tentar completá-las só causará frustração.

Sabemos que é difícil ver o seu pequeno lidando com um turbilhão de emoções. Certifique-se de cuidar de si mesmo também. Aqui estão algumas dicas que podem ajudar você a lidar com essas situações difíceis:

  • Lembre-se de que o cérebro do seu filho ainda está se desenvolvendo e que o lóbulo pré-frontal, responsável pela autorregulação, ainda não está maduro.
  • Tome um momento para respirar, permaneça presente e fique calmo. Crie espaço entre a reação do seu filho e a sua, pois isso pode ajudá-lo a regular sua resposta.
  • Aceite que as emoções do seu filho e as suas são complexas. A chave está em ter compaixão com ele e consigo mesmo.
  • Não tente argumentar ou corrigir seu filho durante a birra. Deixe-o desabafar e intervenha imediatamente e com calma se ele correr risco de ferir a si mesmo ou a outra pessoa. É importante que seu filho aprenda a não ter medo de emoções complexas.
  • Seja firme, gentil e consistente. Se você precisa manter um limite, não ceda. Tenha empatia com seu filho, aceite-o incondicionalmente e ouça-o, mas não ceda se o limite for importante para o bem estar dele. Ser consistente ajuda seu filho a se sentir seguro e a aprender sobre limites.
  • Finalmente, dê o exemplo de autorregulação. Se você “”perder o controle””, estará dando um mau exemplo de comportamento para seus filhos. Mas, somos apenas humanos e também erramos. Por isso, quando precisar, peça ajuda, faça uma pausa e conserte seus erros.

Ensinar seu filho como se comportar adequadamente é essencial para o seu desenvolvimento socioafetivo, por isso prefira sempre ser empático em vez de dar uma bronca. Especialistas concordam que uma boa conexão entre pais e filhos é a melhor maneira de ensinar e orientar as crianças para serem as melhores versões de si mesmas.

Você encontra diversas atividades divertidas para estimular a autorregulação do seu filho no catálogo do Kinedu. Ao abrir o aplicativo, basta acessar Catálogo > Socioafetiva > Inteligência Emocional e você poderá escolher entre diversas atividades. Boa diversão!