Durante a exterogestação, o bebê exige cuidados especiais, pois está se adaptando ao ambiente fora do útero materno. Continue a leitura para conferir algumas dicas! 

Os bebês humanos nascem ainda muito imaturos, em comparação aos filhotes de mamíferos, em geral. É como se ainda estivessem ligados ao corpo da mãe: esse período é chamado de exterogestação. A definição do termo diz respeito, justamente, a uma “gestação fora do útero”.

A relação contínua e próxima entre a mãe e seu bebê, nesse momento, tem impactos profundos no desenvolvimento infantil, passando por aspectos físicos, emocionais e psicológicos. Para que você entenda melhor, preparamos este texto! Continue a leitura e entenda como cuidar do seu bebê nas primeiras semanas de vida!

O que é a exterogestação?

A exterogestação corresponde às primeiras semanas de vida do seu bebê, sobretudo, nos três primeiros meses após o nascimento. Nesse período, seu pequeno é muito frágil e dependente, além de estar passando por uma fase de grande adaptação às condições ambientais fora do útero.

Por isso, os especialistas orientam que esse momento seja tratado como uma espécie de quarto trimestre da gestação. Para que seu bebê receba os cuidados ideais e possa passar por essa fase de adaptação da melhor forma, o ideal é que os pais tentem reproduzir o ambiente uterino tanto quanto for possível.

Como cuidar do seu bebê durante a exterogestação

Abaixo, separamos algumas informações úteis para que o seu bebê fique mais calmo durante essa fase. Antes delas, porém, anote uma dica: no aplicativo Kinedu, você conta com uma coleção de aulas para os pais de bebês em exterogestação, incluindo tópicos como sono, rotina, amamentação, dança com bebê de colo e muito mais.

Todos os conteúdos são elaborados com apoio e validação de especialistas, da mesma forma que as demais funcionalidades do app Kinedu, que incluem um extenso acervo de atividades para o desenvolvimento infantil, com estímulos adequados a cada faixa etária. Assim, o app acompanha seu filho durante a primeira infância!

Agora, confira algumas dicas para lidar com o período da exterogestação da melhor forma!

Relação contínua entre mãe e bebê

A relação contínua entre mãe e bebê é uma das mais importantes dicas para esse período. Apesar do corte do cordão umbilical, seu pequeno precisa estar em constante proximidade. Por isso, sempre que for possível, mantenha-o no colo: vale dançar com ele, colocá-lo no sling ou no canguru, ou mesmo deitar e deixá-lo de bruços sobre o seu corpo.

Mesmo que ele esteja no carrinho ou no berço, continue conversando com ele. Essas interações afetivas são fundamentais para o desenvolvimento saudável do seu bebê e, inclusive, contribuem para o estabelecimento de um apego seguro, com impactos nas relações interpessoais do seu pequeno por toda a vida.

Rotina de sono

Os recém-nascidos precisam de muitas horas de sono e não conseguem ficar muito tempo acordados. Por isso, é muito importante respeitar essa necessidade, deixando seu pequeno tirar várias sonecas durante o dia — a velha ideia de deixar o bebê mais cansado para dormir a noite toda pode ter o resultado oposto, pois quanto mais cansado e hiperestimulado, maior será a sua dificuldade para dormir.

banner kinedu saúde

A melhor forma de regular o sono do bebê durante a noite é estabelecer uma rotina do sono. Isso porque uma sequência de eventos — por exemplo, massagem, banho e amamentação — começa a ser associada ao sono pelos pequenos que, assim, desenvolvem uma facilidade maior para adormecer.

Outra dica para o sono do seu bebê durante a exterogestação é cuidar para que o ambiente de dormir seja confortável: isso vale para a iluminação e a temperatura. Para prepará-lo para a noite, comece a baixar as luzes da casa no fim do dia e evite atividades muito estimulantes, como conversas altas e brincadeiras, próximo à hora de dormir.

Alimentação e sucção

Provavelmente, você já ouviu falar que o aleitamento materno é o melhor para o seu bebê, não é? Isso porque a amamentação é repleta de benefícios, tanto para os pequenos quanto para as mães. Caso faça essa escolha, vale a pena apostar na amamentação em livre demanda.

Além disso, lembre-se de que a sucção é mais do que um mecanismo para suprir necessidades nutricionais: os recém-nascidos fazem esse movimento para buscar conforto, por isso, muitos adquirem até o hábito de chupar o dedo. Assim, não é prejudicial deixar o bebê sugando o peito, ao contrário, isso aumenta o aconchego e o vínculo.

Caso queira ou precise alimentar seu bebê usando fórmulas lácteas, é importante respeitar as orientações do seu médico quanto às quantidades e à frequência das mamadas. Ainda, vale reforçar que, de acordo com orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), os bebês de até seis meses não devem receber outros tipos de alimentos, por isso, evite acrescentar qualquer outra coisa na mamadeira.

Banhos

Os principais cuidados com o banho dos recém-nascidos se referem à segurança e à temperatura da água, que deve ser similar à temperatura corporal (entre 36 e 37,5ºC). Até que o coto do cordão umbilical caia, você pode dar “banhos de esponja”.

Nesta fase, é importante que os banhos sejam rápidos (não mais do que 5 minutos) e que você proteja as orelhinhas do seu bebê para não entrar água e evitar o desenvolvimento de otite (infecção no ouvido).

Caso o coto umbilical do seu bebê ainda não tenha caído, lembre-se de limpá-lo frequentemente com hastes flexíveis embebidas em álcool 70.

Choro

Por fim, um dos maiores desafios dos pais durante essa fase de exterogestação é interpretar o choro do bebê. É importante ressaltar que não existe a possibilidade de o pequeno chorar por “manha” ou por estar mal-acostumado. Nas primeiras semanas de vida, o choro é sempre representação de algum incômodo: fome, frio ou calor, fralda suja, dores ou apenas necessidade de afeto e aconchego.

Por isso, não é aconselhável deixar seu bebê chorar por muito tempo. Procure identificar a causa do desconforto e aliviá-la. A rotina do bebê é excelente nesse sentido, já que a regularidade das atividades do dia a dia ajuda bastante na hora de descobrir o que pode ou não estar incomodando o seu bebê.

Como você viu, a exterogestação representa uma fase de muita adaptação. Por isso, é importante cuidar do seu bebê, tendo sempre em mente que ele acabou de sair do útero e tudo aqui fora é novidade, inclusive, não estar mais ligado ao corpo da mãe. Para lidar com essa e as demais etapas do desenvolvimento do seu pequeno, não deixe de contar com o Kinedu como seu grande aliado!

Então, baixe o nosso app para aprender sobre diversos temas importantes com aulas de especialistas em primeira infância, acompanhar o desenvolvimento do seu bebê e estimulá-lo com atividades adequadas à idade e fase de desenvolvimento dele!