A prematuridade se refere ao nascimento antes das 37 semanas de gestação e ocorre por diversos motivos, sendo que algumas boas práticas ajudam a evitá-la.

A prematuridade pode acontecer devido a inúmeros fatores, como problemas de saúde da mãe, malformações, gestação múltipla e até o posicionamento da placenta. Por ser imprevisível em muitos casos, esse é um assunto que deixa muitas mães ansiosas.

Afinal, quais são os riscos para o bebê? A prematuridade é evitável? Seu bebê prematuro precisará ficar na UTI? O desenvolvimento dele será normal? Todas essas questões são muito comuns. Pensando nisso, preparamos este conteúdo completo sobre o assunto.

Continue a leitura e descubra qual é a classificação médica para a prematuridade, como ela afeta o seu bebê e quais são as medidas que você pode tomar para diminuir as chances de que ela ocorra.

A definição de prematuridade

A prematuridade é definida como o nascimento antes do tempo previsto. Em geral, a gestação avança até o 9º mês, podendo chegar a 42 semanas. A partir da 37ª semana de gestação, seu bebê está pronto para vir ao mundo. Isso quer dizer que a qualquer momento ele pode nascer e que o parto será a termo.

Antes desse marco, o nascimento é considerado pré-termo. Mas nem todo bebê prematuro precisa de cuidados diferentes! Tudo depende do nível de prematuridade: quanto mais tempo ele fica dentro do útero, melhor.

Assim, um bebê que nasce com 36 semanas pode ser tão saudável quanto um que nasceu a termo. Veja como é a classificação:

  • nascimento entre a 34ª e a 37ª semana de gestação — prematuridade tardia;
  • nascimento entre a 28ª e a 34ª semana de gestação — prematuridade intermediária;
  • nascimento antes da 28ª semana de gestação — prematuridade extrema.

Baixe GRÁTIS o Kinedu e acompanhe o desenvolvimento do seu bebê!

Os bebês prematuros extremos sempre precisam de cuidados especializados devido à pouca maturidade de seus pequeninos órgãos. Já os bebês prematuros intermediários geralmente são internados para que os aparelhos neonatais possam facilitar suas funções fisiológicas por algum tempo.

Por exemplo, o sistema respiratório ainda não está completamente maduro, por isso, pequenas sondas ajudam o bebê a se alimentar e ganhar peso sem que seja preciso levá-lo ao esforço da sucção que ocorre na amamentação.

Por fim, os prematuros tardios podem até mesmo não precisar de nenhum cuidado médico diferenciado, desde que tenham bons sinais vitais e atinjam o peso adequado para saírem do hospital.

O desenvolvimento do bebê prematuro

Em geral, o desenvolvimento do bebê prematuro é igual ao de um bebê nascido a termo, considerando sua idade corrigida. Ela é diferente da cronológica, pois é baseada na data prevista para o parto (DPP), com 40 semanas de gestação.

banner kinedu prenatal pt

Funciona assim: imagine que a DPP do seu bebê era dia 12 de fevereiro. Porém, ele nasceu com 36 semanas no dia 1 de janeiro. Quando chegar dia 12 de março, ele terá 2 meses de idade cronológica, mas apenas 1 mês de idade corrigida.

É baseado nessa última data que deve ser o acompanhamento do desenvolvimento do seu bebê. Isso porque as semanas entre o nascimento prematuro e o previsto são praticamente de um “término da gestação” fora do útero, em que ele ganha peso e seus órgãos adquirem mais maturidade.

Como é a aparência dele?

Enquanto o peso médio de um recém-nascido é 3,2 quilos, o prematuro pode pesar de 750 gramas a 2,5 quilos, a depender do nível de prematuridade — quanto mais tempo ele demora a nascer, maior ele será. Em geral, os pequenos só são liberados do hospital depois de atingirem 2,5 quilos, mesmo que estejam com a saúde 100%.

Além disso, como é justamente no último mês de gestação que o bebê acumula a maior parte de sua gordura corporal, os prematuros costumam ter o rostinho menos arredondado e a pele mais fina. A pouca gordura corporal também faz com que os pequenos sintam mais frio. Por isso, são mantidos em incubadoras com aquecimento especial. Bebês prematuros também podem ter o corpo – ou partes dele – coberto por lanugo.

Quais são os cuidados com o bebê prematuro?

Depois de ir para casa, seu bebê prematuro provavelmente precisará apenas dos cuidados de qualquer recém-nascido. Se precisar de internação, a melhor forma de cuidar dele é estar presente a maior parte do tempo. Ficar perto, segurá-lo, colocar uma música, conversar com ele: tudo isso pode ajudá-lo a se desenvolver melhor.

O método canguru é muito utilizado em casos de prematuridade. Ele consiste em carregar o pequeno em contato direto com o corpo materno ou paterno, enquanto as costas do bebê são cobertas com uma manta. O contato físico com a pele e o calor da mamãe e do papai trazem benefícios enormes.

Formas de evitar o nascimento prematuro

Como você viu no início deste texto, as causas da prematuridade podem ser diversas. Por isso, nem sempre é possível evitá-la. No entanto, algumas práticas são muito importantes para conservar seu bebê no útero pelo maior tempo possível. Veja!

Acompanhamento pré-natal

O pré-natal é o melhor amigo da gestação. Ele ajuda a identificar precocemente problemas que podem facilitar a prematuridade e, assim, a tomar as medidas necessárias para evitá-la, como o repouso absoluto, suplementação nutricional, imunização contra doenças e até cerclagem, um procedimento que ajuda a manter o colo do útero fechado.

Cuidados com os hábitos diários

Uma dieta materna equilibrada é essencial para o desenvolvimento saudável do bebê. Vitaminas e minerais ajudam a evitar malformações e, assim, a reduzir os riscos de prematuridade. Também é indicado suspender o consumo de alimentos que estimulam as contrações uterinas, além de praticar exercícios físicos moderados e sempre com acompanhamento profissional.

Abandono de substâncias nocivas à saúde

Os efeitos negativos de substâncias como álcool, drogas, tabaco, agrotóxicos e poluição excessiva no desenvolvimento do bebê são bastante conhecidos. Minimizar ou abandonar o contato com elas é um meio de evitar a prematuridade e outros problemas associados, como danos neurológicos.

Atenção aos sinais do trabalho de parto

Por fim, tenha atenção aos sinais de parto prematuro e, caso seja necessário, busque o atendimento médico. Contrações intensas e frequentes, perda do tampão mucoso, sangramentos, perda de fluidos pela vagina e sensação de pressão na pelve são sinais de alerta. Em muitos casos, os médicos conseguem interromper ou atrasar o trabalho de parto.

Agora que você conferiu as principais informações sobre a prematuridade, saiba que acompanhar o desenvolvimento do seu bebê prematuro é muito importante para oferecer os estímulos adequados e identificar possíveis atrasos. Para isso, você pode baixar GRÁTIS o Kinedu e acessar um plano personalizado de acordo com as necessidades do seu bebê!